Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

Room Service!

Hugo Gomes, 09.06.20

07304081-eac9-11e9-8f2e-000c29a578f8.jpg

Chambre 212 (Christophe Honoré, 2019)

anomalisa-michael-quarto-e1453832523960.png

Anomalisa (Duke Johnson & Charles Kaufman, 2015)

bestexoticmarigoldhotel04.jpg

The Best Exotic Marigold Hotel (John Madden, 2011)

Dont-Bother-to-Knock-FM001.png

Don't Bother to Knock ( Roy Ward Baker, 1952)

four-rooms-1.jpg

Four Rooms (Allison Anders, Alexandre Rockwell, Robert Rodriguez & Quentin Tarantino, 1995)

grand-budapest-hotel-ralph-fiennes-tony-revolori.j

The Grand Budapest Hotel (Wes Anderson, 2014)

Home_Alone_2_Trump.jpg

Home Alone 2: Lost in New York (Chris Columbus, 1992)

6ce46d3faaf6e4775cfb1164dce557a4fac46128.jpg

1408 (Mikael Håfström, 2007)

2046_0419.jpg

2046 (Wong Kar-Wai, 2004)

room2373900x506.jpg

The Shining (Stanley Kubrick, 1980)

some-like-it-hot-1959-002-marilyn-monroe-jack-lemm

Some Like It Hot! (Billy Wilder, 1959)

unnamed (1).jpg

Room 304 (Birgitte Stærmose, 2011)

unnamed.jpg

The Bellboy (Jerry Lewis, 1960)

million_600.jpg

The Million Dollar Hotel (Wim Wenders, 2000)

MV5BNmVmMWE5MzAtN2VhYS00ODExLWIwMjgtMDM5OGRlYzA2Mz

Chelsea on the Rocks (Abel Ferrara, 2008)

MV5BM2I3NDRhZmMtYjY0NC00M2Q1LTlmOTMtODk1OTJlNmZmND

Hotel (Jessica Hausner, 2004)

MV5BMTQ3NzQ0NzIxM15BMl5BanBnXkFtZTgwNjMzNjY2OTE@._

Love Steaks (Jakob Lass, 2013)

cena-do-filme-mekong-hotel-de-apichatpong-weeraset

Mekong Hotel (Apichatpong Weerasethakul, 2011)

Era uma vez … um anjo que cobiçava os Homens.

Hugo Gomes, 16.02.19

52602217_10213349813956712_6238177463269064704_o.j

Ele olhava de cima para estes minúsculos pontos em vanglória intensa, enquanto desperdiçavam a sua existência com futilidades. Mas o anjo não quis saber de morais, apenas desejava aquele (des)encanto, e acima de tudo a liberdade destes, a negação das asas, as mesmas que o mantinham preso ao seu céu. Tanto pediu que acabou por se tornar num eles; colorido, pecaminoso e efémero de desejos. Num ápice essas imperfeições converteram-se em qualidades. O anjo caiu, coexistiu com a gente mortal para depois, após ter experienciado todos os sabores da vida, voltar ao seu Reino. Se viveu feliz para sempre? Não sei, mas a eternidade foi lhe devolvida e agora é o “fruto” que mais lhe convém.

Para sempre nos nossos corações cinéfilos – Bruno Ganz

 

O Estado da Luta

Hugo Gomes, 18.02.18

MV5BMjgxODhjODItZjAxMy00NzI5LThmOGEtZjhkZDg1OWI4MG

O Estado das Coisas (1982)

MV5BMmViMTE2ZDctYzE2OS00YjE3LTk1ZjMtY2UyYjMzNDgyOT

Hammet (1982)

A denúncia é uma carta fechada no envelope que mais se enquadra, e Wim Wenders apenas a preparou da maneira que lhe mais condiz. O Estado das Coisas resultou nessa expressão, essa manifestação a três dimensões. A três, porque o filme refere uma ficção dentro doutra ficção que por sua vez sustentam um retrato de meta-cinema. As experiências vividas pelo realizador naquele que foi o seu primeiro projeto em terras americanas, Hammett, um retrato biográfico de Dashiell Hammett, cujo trauma foram as decisões artísticas frente a Francis Ford Coppola e a Zoetroppe, o produtor. A imposição de um preto-e-branco, mutável para com a natureza do filme, colocou em risco uma colaboração há muito desejada. Coppola, que era Coppola, estava contra à coloração da biografia, o que desde então tornaram esta produção num conflituoso “braço de ferro”. O preto-e-branco de O Estado das Coisas é o statment do artista frustrado e pronto a guerrilhar através do seu cinema.