Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

George Segal: um convidado que ninguém quer!

Hugo Gomes, 24.03.21

large-screenshot2.jpg

Invitation to a Gunfighter (Richard Wilson, 1964)

George Segal estava em “maus lençóis”, quando aquela cidade vil e corrupta contrata um excêntrico e reputado pistoleiro de nome Jules Gaspard d'Estaing (Yul Brynner), a partir daí o, na altura, jovem tentaria a todo o custo desencontrar-se do seu eventual carrasco. O westernInvitation to a Gunfighter”, que porventura passava há uns meses nesses canais televisivos especializados em filmes, foi possivelmente o último momento cinematográfico em que coloquei os olhos em Segal, ator que nos deixa hoje aos 87. Apesar de “condenado” a viver o papel de alegre viúvo na série “The Goldberg” (um deleite para a minha fraqueza com sitcoms), Segal era um convidado humorado e por vezes incomodo em outras aventuras de cinema como, a mais célebre das suas participações, no caos matrimonial “Who's Afraid of Virginia Woolf?” de Mike Nichols, ou tendo Jane Fonda como parceiro do crime na primeira versão de “Fun with Dick and Jane”. A registar como epítese, as reuniões com Robert Altman, Paul Mazursky, Peter Yates, Roger Corman e Stanley Kramer.

ExNLO9YVcAA6Vg4.jpg

Who's Afraid of Virginia Woolf? (Mike Nichols, 1966)

fun-1200-1200-675-675-crop-000000.jpg

Fun with Dick and Jane (Ted Kotcheff, 1977)

Mazurksy_Blume-in-Love-960x0-c-default.jpg

Blume in Love (Paul Mazursky, 1973)

Todo o amor do mundo para Plummer

Hugo Gomes, 05.02.21
Há poucos dias de Hal Holbrook ter “ido” sem nos avisar, chegou a vez de Christopher Plummer, um daqueles atores que tem sido um secundário de luxo, uma honra de cumplicidade, partir aos 91 anos de idade. Tendo um carreira longuíssima desde o inicio dos anos ‘50, contando com alguns filmes memoráveis entre os quais o melhor dos Michaels Manns – “The Insider” – ou alguns dos trabalhos mais reconhecíveis de Terry Gilliam. Até mesmos nos esquecíveis o homem conseguia encher a tela com a sua presença e posicionar-se em escolhas ingratas como aquela substituição de Kevin Spacey no hediondo filme de Ridley Scott (“All the Money in the World”).
 
Uma vénia da minha parte ...
 

3d70da41ac0cc82ae7ae63e51771836f.jpg

The Imaginarium of Doctor Parnassus (Terry Gilliam, 2009)

1446776183_1.jpg

Wind Across the Everglades (Nicholas Ray, 1958)

image.jpg

The Girl with the Dragon Tattoo (David Fincher, 2011)

MV5BYTk4NjAxYjgtOWI4Yi00ZGUxLWI1OGItNTBhM2UyYTgyY2

The Insider (Michael Mann, 1999)

MV5BZTViZDYxMmYtYjg5NC00Y2Y3LWI1MjMtNGNlNGIzN2Y4ND

Eyewitness (Peter Yates, 1981)

plummer_704.jpg

The Sound of Music (Robert Wise, 1965)

plummer_custom-e6d5567d417d0aed4824e7b679a8765a4c4

Beginners (Mike Mills, 2010)

Sem Título2.jpg

Stage Struck (Sidney Lumet, 1958)