Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

Cinematograficamente Falando ...

Quando só se tem cinema na cabeça, dá nisto ...

Falsos Gémeos

Hugo Gomes, 24.05.24

freddie-highmore-people-in-tv-photo-u4.jpg

Freddie Highmore em "The Spiderwick Chronicles" (Mark Waters, 2008)

69457649_2355305141232592_4552345972876771328_n.jp

Bette Midler em "Big Business" (Jim Abrahams, 1988)

jack_and_jill.jpg

Adam Sandler em "Jack and Jill" (Dennis Dugan, 2011)

iron-mask-leo.webp

Leonardo DiCaprio em "The Man in the Iron Mask" (Randal Wallace, 1998)

doble-impacto-sheldon-lettich-vanavision.jpg

Jean-Claude Van Damme em "Double Impact" (Sheldon Lettich, 1991)

social-network.webp

Armie Hammer em "The Social Network" (David Fincher, 2010)

VIDEO-SHARE-13149.jpg

Lindsay Lohan em "The Parent Trap" (Nancy Meyers, 1998)

Nicolas-Cage-como-Charlie-Kaufman-y-su-hermano-Don

Nicolas Cage em "Adaptation." (Spike Jonze, 2002)

MV5BMjA4Mzg5Mjc2Ml5BMl5BanBnXkFtZTcwMjQxOTMwMg@@._

Edward Norton em "Leaves of Grass" (Tim Blake Nelson, 2009)

20LEGEND1-superJumbo.jpg

Tom Hardy em "Legend" (Brian Helgeland, 2015)

descarregar.jpg

Carloto Cotta em "A Semente do Mal" (Gabriel Abrante, 2023)

dead-ringers.webp

Jeremy Irons em "Dead Ringers" (David Cronenberg, 1988)

TwinDragons_6.webp

Jackie Chan em "Twin Dragons" (Ringo Lam & Tsui Hark, 1992)

deadringer2.webp

Bette David em "Dead Ringer" (Paul Henreid, 1964)

bordens-first-line-reveals-the-truth-about-his-tri

Christian Bale em "The Prestige" (Christopher Nolan, 2006)

Jackie Chan não faz reféns

Hugo Gomes, 14.10.17

AAAABcczEcOACFXUVtISrMlecWfAwZ3NTfpy6alYKwmXifD4s8

Deparamos novamente com o efeito “Taken”, ou, por outras palavras, quando o infortúnio “bate à porta” de indivíduos com habilidades e técnicas especiais. Desta feita não é Liam Neeson o protagonista deste “comeback”, mas outro cinquentão do cinema de ação: Jackie Chan, que interpreta um humilde gerente de um restaurante chinês em Londres que, por azar, encontra-se à hora errada no lugar errado. Um atentado terrorista levou assim a sua única filha, motivando-o a uma cega vingança pelos responsáveis, que se vem a saber mais tarde serem membros da reativada cédula da IRA (Exército Republicano Irlandês). O destino dessa personagem completamente amargurada e sob um luto silencioso entrelaça com o de um político com ligações passadas à organização (Pierce Brosnan).

Martin Campbell retorna ao território de conspiração e do thriller policial cuidadosamente alinhado com a ação que nunca se assume como o “prato principal”. É certo que no historial do realizador abatemo-nos com uma incapacidade, ou, por outras palavras, infantilidade de retratar cenários geopolíticos e situações limites consequentes de duplos gumes da mesma faca. Resultado, não tão agravado como sucedera com “The November Man – A Última Missão” (mencionando um dos mais recentes filmes protagonizados por Pierce Brosnan), um exercício maniqueista evidente que baila com a coerência que poderia ser suscitada no enredo.

Fora isso, é bem verdade que Jackie Chan, fora do território imposto por Hollywood (a comédia de ação que nunca lhe encontra sincronização), dá cartas como um mártir dramatizado completamente vencido pelo violento pesar. Entretanto, o filme foi feito de forma rotineira e inconsequente no tratamento de um História antiga, meramente replicada sob o rascunho dos nossos medos atuais. Contudo, em “The Foreigner" encontramos similaridades com um dos galardoados filmes de Cannes deste ano, “In the Fade”, de Fatih Akin. Mas fica a grande heresia da nossa parte: esta reunião de Jackie Chan com Pierce Brosnan é um exemplar muitíssimo mais sóbrio e coerente sob o seu género “refém”.