Data
Título
Take
16.5.15

173020.jpg

O quarto da mãe!

 

Com Mia Madreuma coisa podemos ter a certeza: Nanni Moretti perdeu o seu toque e mesmo quando invoca o seu estilo sentimo-nos defraudados com o seu (não confirmado) cansaço. Nesta sua nova obra, somos apresentados a Margherita (Margherita Buy), uma realizadora cuja sua vida ultimamente tem levado violentos golpes. A sua mãe sofre com uma doença terminal, a morte é eminente, mas Margherita prefere não aceitar isso. Para além do mais, a sua filha adolescente está demasiado confusa e perdida, e o filme, que se encontra a rodar, está a tornar-se num autêntico caos, um cenário que piora ainda mais com a vinda de Barry (John Turturro), uma estrela de Hollywood egocêntrica, dotada de muita conversa e pouca acção.

 

madre-di-nanni-moretti-656585.jpg

 

Nanni Moretti transformou Mia Madre num objecto pessoal, personificando-se numa mulher que parece ter perdido o controlo na sua vida. Margherita interpreta um alter-ego do próprio Moretti e a sua anterior "capa" Michele Apicella, mas o drama incutido pelo cineasta parece sufocar a personagem, mais do que as tramas nas quais ela está envolvida. Muitas delas soam mesmo a evocações a um dos êxitos passados do autor, O Quarto do Filho, no qual aborda a ausência como um estado de espírito atormentado. Demasiado anoréctico para a sua veia existencialista, Mia Madre parece apenas ter encontrado a sua força no desempenho de John Turturro, um "comic relief" que se transforma num must. O actor desencadeia um dos momentos musicais mais deliciosos dos últimos tempos, muito devido ao seu carisma, aqui em pleno estado de graça.

 

Mia-Madre.jpg

 

De resto, tudo é empacotado com as referências de Moretti, que aqui surge também na interpretação como se tratasse do "grilo-consciência" do Pinóquio. Nisto, Mia Madre vale a visualização por dois motivos únicos: um actor secundário com uma estima igual ou maior que o próprio filme, e a confirmação de que até mesmo um dos realizadores mais frontais de Itália tem o seu "quê" de bloqueio criativo.

 

Filme visualizado na 68ª edição do Festival de Cannes

 

Real.: Nanni Moretti / Int.: Margherita Buy, John Turturro, Giulia Lazzarini, Nanni Moretti

 

 MargheritaBuyNanniMoretti.jpg

 

Ver Também

Habemus Papam (2011)

5/10

publicado por Hugo Gomes às 11:09
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Será o "bye bye" dos spin...

FEST exibe Todos Lo Saben...

Nadav Lapid estará no Cur...

A vida de Sammy Davis Jr....

Que caem as fronteiras en...

Pinar Toprak é compositor...

0%!! Gotti, filme de mafi...

Adrift (2018)

Eva (2018)

Primeiras imagens de «Won...

últ. comentários
Bel Ami: 3*A meu ver é fiel ao livro, gostei do qu...
Gritos 3: 5*Que filme excelente e fenomenal, adore...
Um dos meus favoritos 5*
Gritos 2: 5*Sidney, Dewey e Gale estão de regresso...
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs