Data
Título
Take
27.4.16

Todos Querem o Mesmo.jpg

Os inconscientes anos 80!

 

Dazed and Confused, que por cá obteve o título de Juventude Inconsciente, reivindicou um efeito proustiano nos espectadores de 1993, ano em que a obra estreava nos cinemas. É que este espontâneo filme do "hiperactivo" Richard Linklater trouxe-nos à memória, algo mais que um retorno à década de 70 com todos os seus "adornos" e marcos, mas si a juventude de cada um. Sem ser especifico nesta detenção de recordações, Juventude Inconsciente teve como enredo um grupo de jovens a viverem o seu último dia de aulas de liceu, depois disto só mesmo a Universidade, o destino que muitos destes partilham num dia pleno de "liberdade". Disposto por uma rebeldia única, cujas intrigas encontram-se endereçadas nas espontaneidades destas personagens "abertas" e "intermitentes" (o espectador apenas sabe tão pouco de cada uma delas e o que se conhece é somente aquilo que as personagens estão dispostas a distribuir).

 

e9b96aff2d254f321634bd876b55a8c392ebf46f.jpg.cf.jp

 

São 24 horas descritas de pura imersão neste mundo inconsequente, onde a folia é a palavra de ordem e o futuro, algo não desejado e ainda disforme. Mas passados 23 anos, surge uma sequela que só vem a confirmar o quanto Linklater não gosta de estar parado. Contudo, este Todos Querem o Mesmo (tendo como titulo original Everybody Wants Some, como tributo à homónima  música de Van Halen) está mais próximo do anterior Boyhood do que propriamente da referida prequela. Até porque a edição neste capítulo tem uma presença mais prejudicial no próprio decorrer temporal na narrativa.

 

ews-2.0.jpeg

 

Enquanto que em Juventude Inconsciente, a “intriga” foi nos entregue como um cartão de visita para um dia na vida destas personagens, em Todos Querem o Mesmo, a proposta torna-se mais ambiciosa e simultaneamente mais simples de transcrever para o grande ecrã: o último fim-de-semana de férias de um caloiro universitário, que porventura foi uma das personagens destaque do filme de 1993. Esse e mais uma personagem repetente que surge lá pelo meio, são as únicas ligações "vivas" com a anterior de Linklater.

 

everybody-wants-some-trailer-1.jpg

 

Neste fim de semana que antecede a mais um ciclo de rotinas, "liberdade" é vendida, como é de esperar, ao redor de três elementos - álcool, droga e sexo. Porém, ao contrário do que esses trindade de factores poderia culminar, provavelmente uma qualquer "canção" de rockstar, a verdade em que em Todos Querem o Mesmo, o teor é ingénuo, apenas descontraído e isente de qualquer julgamento vindo para lá do politicamente correcto ou da propaganda de mocidade. A sensação é simples, é como se as personagens e o próprio espectador experienciasse pela primeira vez essas ditas experiências ao som de uma colectânea musical dos anos 80.

 

everybody-wants-some-trailer.jpg

 

Mas voltando ao tema da edição: devido à narrativa centrada em três dias, onde vemos jovens a serem inconsequentemente jovens, o filme possui uma maior manipulação quanto à edição e a respectiva influência no tempo decorrido. Entre outras, a edição torna-se mais omnipresente, visto chega a funcionar em prol das emoções das personagens, com por exemplo, o slow motion e cabelos "ao vento" tão digno das enésimas comédias adolescentes. Chegamos até a sentir saudades da entrega ao natural de Juventude Inconsciente, provavelmente uma das propostas mais bem-vindas do cinema pseudo-neorealista dos anos 90.

 

everybody-wants-some-image1.jpg

 

Mas existe todo aquele senso nostálgico digno de Richard Linklater, um homem que tão bem filma actos de camaradagem como de puro hedonismo juvenil. Talvez a culpa desta "inferioridade" nesta revisão, não seja do realizador, da reciclagem das histórias, da sua esperada edição, da falta de naturalismo apresentado, mas sim dos anos. Com sabem são os 80 e não os libertadores e rebeldes 70, como se costuma dizer. Não sei se tal terá alguma influência, mas é certo que a surpresa dissipou, o que vemos é uma aventura que se gostaria recordar, infelizmente sem esses referidos momentos "proustianos".

 

"We came for a good time, not for a long time."

 

Real.: Richard Linklater / Int.: Blake Jenner, Tyler Hoechlin, Ryan Guzman, Wyatt Russell, Zoey Deutch, J. Quinton Johnson

 

glen-powell-everybody-wants-some-600x314.jpg

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:37
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Frederico Daniel a 9 de Janeiro de 2017 às 22:03
Todos Querem o Mesmo: 4*

"Todos Querem o Mesmo" mostra que um filme não precisa de ser complicado para ser algo de muito bom.

Cumprimentos, Frederico Daniel.


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Pinar Toprak é compositor...

0%!! Gotti, filme de mafi...

Adrift (2018)

Eva (2018)

Primeiras imagens de «Won...

Arachnophobia terá remake...

Trailer: The Little Stran...

Trailer: First Man, Ryan ...

Trailer: The Girl in the ...

Jurassic World: Fallen Ki...

últ. comentários
Gritos 3: 5*Que filme excelente e fenomenal, adore...
Um dos meus favoritos 5*
Gritos 2: 5*Sidney, Dewey e Gale estão de regresso...
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
É já de domínio público que João Botelho adaptou, ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs