Data
Título
Take
8.11.18
8.11.18

transferir.jpg

Carga fora!

 

Esperamos ouvir falar futuramente mais do estreante Bruno Gascon, até porque em Carga existe uma garra, um amor à técnica visual e sonora e sobretudo a aptidão para construir um espetáculo de cinema, sublinhando, em recurso português. Porém, é neste mesmo primeiro trabalho que é revelada a sua grande fraqueza, a dependência para com o tema, e não só, pelo “suco” extraído do mesmo, sob um tom pedagógico e meramente descritivo.

 

MV5BMDdiZWU3ODktZGRhMi00NzU2LThlY2EtYTk0ODMxZGZmND

 

Da mente deste vosso escriba surge automaticamente Traffic (2000), de forma a especificar como uma temática (no caso da obra de Steven Soderbergh a “patologia humana” era o narcotráfico) é encarada como combustão para um desfragmentado filme-mosaico (pelo menos a proposta é tentada). Gascon entra nas redes de tráfico humano para se lançar na deriva do “choque” atmosférico, em prol de uma fotografia esgalhada por parte de Jp Caldeano, ou de uma técnica por vezes subtil e com rasgos de primor (a destacar o plano-sequência do suicídio).

 

MV5BNDM1OWYyY2YtNWY0ZC00ZWI4LTk0ZDMtOTI4Y2Q1YTZjN2

 

Mas é nesse mesmo “cast away” que o jovem realizador se perde, as personagens são esquemáticas servindo como protótipos de “exemplos dados às criancinhas”, a banda sonora marca uma omnipresença alarmante e todo o enredo remexe em habituais cantos do senso comum do espectador referente à abordagem. Por cada prova de ambição, Carga se escurece nos modelos mainstream e na demasiada sobreliterarização do panfleto, enquanto que o elenco ou cai na mouche (Michalina Olszanska, Duarte Grilo e Miguel Borges) ou persistes nos personagens-tipos do nosso universo cinematográfico (Vítor Norte, Rita Blanco, Dmitry Bogomolov). 

 

MV5BMjY5ZmI4MzMtMDkzOC00ZjlhLWJiN2YtMGY5YzMyZjRlMT

 

Assim, direto e a frio, escusamos de torturar-nos com experiências - Portugal não tem uma indústria cinematográfica – mas se futuramente existir qualquer indicio do mesmo, possivelmente encontraremos mais dessa tendência em maçaricos como Justin Amorim (Leviano) ou em Bruno Gascon, do que em “veteranos” deste jogo como Leonel Vieira. Esperemos que sim, não cedendo às “palmadinhas nas costas” e às aclamações de um “bom trabalho”, mas o de “vamos estar atentos”. Carga falha, porém, que venham mais falhas como estas no nosso panorama.

 

Real.: Bruno Gascon / Int.: Michalina Olszanska, Duarte Grilo, Miguel Borges, Vítor Norte, Rita Blanco, Dmitry Bogomolov, Sara Sampaio, Ana Cristina de Oliveira

 

MV5BZDJlZWM3N2YtMzA4ZS00YTQxLThmNTUtZmRiOGMwODIwNm

5/10

publicado por Hugo Gomes às 16:51
link do post | comentar | partilhar

30 comentários:
De Paulo Oliveira Vaz a 9 de Novembro de 2018 às 15:14
Não menosprezando o colorista, que obviamente fez um bom trabalho, quem escolhe as cores/look normalmente é o Director de Fotografia em conjunto com o Director de Arte e o Realizador. Certo?
E para um colorista poder mexer na imagem, é necessário o Director de Fotografia ter providenciado uma imagem com informacão e detalhe para se poder trabalhar.
Na minha percepção o Director de Fotografia no final das filmagens junta-se com o colorista para corrigir e acertar o look, portanto é um trabalho conjunto. Estão os dois de parabéns assim como toda a equipa de jovens que conseguiu criar este filme independente.


De Veronique F. a 11 de Novembro de 2018 às 23:47
Neste caso o director de fotografia não teve qualquer trabalho na cor do filme. Aliás... O trabalho de cor foi desenvolvido pela SOS Color (Fred Fleureau) sobre orientação do realizador do filme que deu ao JP Caldeano a listagem dos planos que queria e definido a forma como queria a imagem, tendo mesmo em alguns casos sido ele a fazer os enquadramentos. A luz do filme foi feita por João Bessa e a edição por Maria Gonzalez como se pode ver no IMDB.
Por isso os créditos da imagem vão não só apenas para o DOP, mas para toda a equipa de iluminação, pós-produção e realizador.
Parabéns à equipa. Acompanhei de perto o processo e sem dúvida fizeram um grande trabalho.


De Paulo Oliveira Vaz a 8 de Dezembro de 2018 às 00:57
Desculpe mas isso não faz qualquer sentido...

Quando afirma "que o DF não teve qualquer trabalho na cor do filme" é no mínimo estranho, ou possivelmente o grading foi feito sem conhecimento do DF?... o que por si só é assustador e demonstra uma falta de respeito pelo trabalho do DF, quando este deveria ser o responsável pelo Grading e enquadramentos...

...e qualquer modificação por parte de outra pessoa qualquer pode trazer problemas á produtora, visto que ninguém deve modificar a imagem sem autorização do DF, que é o criador da mesma...

A Luz é sempre feita pelo Director de Fotografia... é esse o seu trabalho.

O trabalho do Gaffer não é fazer luz, mas sim colocar as luzes onde o Director de Fotografia pedir.

O filme está escuro demais, e pelo que escreveu, quase de certeza que não é culpa do DF, mas sim da pós-produção "sob orientação do realizador" como escreveu, quando devia ser sob orientação do DF. Enfim, não deixa de ser uma produção Portuguesa.


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

O pão de cada dia obriga ...

Critica - "Nós" não ficam...

Primeiras impressões: Us

Os patetas do costume

O meu Cinema é feito de M...

Maquilhagem americanizada...

Crítica: Marvel no nome, ...

Críticas: uma portuguesa,...

Primeiras reacções: Capta...

E os Óscares?

últ. comentários
Um luxo de actores num filme de lixo, repito LIXO....
Gostei muito da crónica. Vou acompanhar o seu blog...
Padrinho... Mas Pouco: 3*Um filme divertido, mas p...
Impossível esquecer este anjo, este homem.
Triste perda. Que descanse em paz.
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
30 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs