Data
Título
Take
24.11.16

Blood Father - O Protector.jpg

Quem sai aos seus é da América!

 

Tornou-se quase cliché caracterizar um tipo de EUA como "votantes de Trump", um sinal de empobrecimento social que tem vindo a originar nos últimos tempos inúmeros documentos filmados sobre esse estilo de vida ignorado, e por vezes repugnado em embate com uma outra América, a cosmopolita que tanto se vende no cinema mais mainstream.

 

BloodFather_clip_motorcyclechase.jpg

 

Blood Father poderia culminar em mais uma enésima variação de Taken, daquele tipo de thriller de acção que puxa os elos paternais dos "espectadores mais másculos", ou até, tende em conta o seu protagonista, um regresso à estrada a referenciar Mad Max. Mas não, o que vemos é sobretudo uma oportunidade deste tipo de "americanos" possuírem a sua história contada (e recontada) no grande ecrã. Como tal, esse tipo de incisão faz-se por via de um exercício de acção longe do gratuito "arraial de pancada", onde Mel Gibson é o exemplo de herói que facilmente "repugnamos", um homem do interior, ex-condenado, com ligações a mexicanos mas com a ousadia de acusar estes imigrantes como "ladrões de trabalho", catalisando um dos pontos fulcrais para a falta de postos de trabalho através de um "inimigo comum". Como não podia deixar de ser, os "amigos" mais íntimos deste soldado do asfalto enfurecido são integrantes de uma comunidade de supremacia branca, referindo os seus ideais como modos viventes de uma sociedade em plena luta.

 

melgibson-0.jpg

 

No geral, Blood Father assume-se como um vulgar filme de acção, com qualidades próprias no ramo, para se aventurar numa crítica subversiva de um país em pleno "May Day", que encontra a salvação nos errados trilhos. Um filme que se disfarça de fascismo e xenófobo para se enfeitar como um "lobo nas veste de cordeiro". Pelo menos, este é o regresso esperado de Mel Gibson aos grandes ecrã, numa obra muito mais sincera que o seu retorno à realização. Sim, Hacksaw Ridge, muito mais racista que todo os 100 minutos de Blood Father.

 

Real.: Jean-François Richet / Int.: Mel Gibson, Erin Moriarty, Diego Luna, Michael Parks, William H. Macy

 

blood-father-1280bjpg-36683b_1280w.jpg

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 17:16
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Será o "bye bye" dos spin...

FEST exibe Todos Lo Saben...

Nadav Lapid estará no Cur...

A vida de Sammy Davis Jr....

Que caem as fronteiras en...

Pinar Toprak é compositor...

0%!! Gotti, filme de mafi...

Adrift (2018)

Eva (2018)

Primeiras imagens de «Won...

últ. comentários
Bel Ami: 3*A meu ver é fiel ao livro, gostei do qu...
Gritos 3: 5*Que filme excelente e fenomenal, adore...
Um dos meus favoritos 5*
Gritos 2: 5*Sidney, Dewey e Gale estão de regresso...
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs