Data
Título
Take
22.1.15

Sniper Americano.jpg

Je suis Chris!

 

É possível que com a gradual descredibilização dos EUA no resto do Mundo faça com que seja urgente "resgatar" os seus heróis patriotas. Neste caso, Clint Eastwood, o herdeiro do cinema de John Ford e um dos ávidos defensores do classicismo cinematográfico, remete para o grande ecrã a história de Chris Kyle, o mais recente herói norte-americano. Um habilidoso sniper que se converteu a uma lenda das forças armadas dos EUA por deter um recorde de 160 mortes confirmadas em palco de guerra.

 

bg05.jpg

 

O homem que dissecou o patriotismo numa crítica interna em Flags of ours Fathers (2006), branqueia um soldado, convertendo-o numa figura messiânica e ao mesmo tempo frágil, com consideração para salientar uma veia humanista. Servido por um desempenho robusto de Bradley Cooper, American Sniper funciona na sua capa como o típico filme para salivar os mais conservadores e republicanos. A começar pelas próprias origens do "herói", um orgulhoso texano dotado por um tremendo talento no manusear da arma de fogo, e um devoto religioso com convicções de família, daqueles modelares ao estilo definido dos EUA.

 

american-sniper-bradley-cooper-sienna-miller1.jpg

 

Mas o mais "nobre" das suas qualidades é o seu cego patriotismo, basta evidenciar a sua determinação em alistar ao exército após um atentado numa embaixada norte-americana, que é constantemente desafiada perante drásticas situações no Iraque. Os ditos "terroristas" caiem que nem "tordos" quando confrontados com a sua mira, sejam eles crianças ou mulheres, tudo é alvo a abater. Mas em tempos de guerra não se limpa as armas e todo o registo visual que nos deparamos tem os seus "quês". A vida de Kyle é justificada de forma a não denegrir o seu herói, Clint Eastwood é implacável no seu ensaio, mas não certeiro nos panoramas sociais nem políticos. Aliás, este primo menor de The Hurt Locker, de Kathryn Bigelow, tem uma grande fraqueza, tenta ser demasiado honrado na sua poça de sangue, como se o realizador de Mystic River tivesse medo de "sujar as mãos" ou simplesmente da ira dos republicanos conservadores e alicerces.

 

bradley-cooper-american-sniper.jpg

 

 

Agora se Chris Kyle é um herói, um assassino ou até mesmo um cobarde? Cabe ao espectador julgá-lo conforme o seu idealismo. Porém, é esse idealismo que torna a nova fita de Eastwood em algo obsoleto em termos políticos (e quase roçando as ideologias nazis), fervilhando um conflito social que parece ter ganho outra forma com os atentados a Charlie Hebdo. Talvez seja coincidência a estreia do filme nesta altura do campeonato (e a palavra Charlie no boné de Chris Kyle)! Mas uma coisa é certa, tom crítico não encontramos aqui, apenas a afirmação de um país descredibilizado em termos militares e políticos. Ao menos Clint Eastwood como realizador, não é um Peter Berg!

 

"I was just protecting my guys, they were trying to kill... our soldiers and I... I'm willing to meet my Creator and answer for every shot that I took."

 

Real.: Clint Eastwood / Int.: Bradley Cooper, Sienna Miller, Kyle Gallner

 

american_sniper_still.jpg

 

4/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 19:04
link do post | comentar | partilhar

4 comentários:
De PedRo a 25 de Janeiro de 2015 às 10:18
"Je suis Frederick Zoller" The nation's pride ;)


De Frederico Daniel a 7 de Fevereiro de 2015 às 18:45
"Sniper Americano" é um filme bastante interessante e apesar de ser algo monótono não se torna aborrecido, o que é bom. O tom de monotonia dá-lhe mais suspense, drama e algum realismo.
Análise integral em: http://osfilmesdefredericodaniel.blogspot.pt/2015/02/sniper-americano.html
4* (em 5*)


De Gustavo a 9 de Março de 2015 às 12:02
Atenção não é um filme mau apenas banal tirando toda aquela ideologia americana.

Mas nomeação em relação á nomeação ao oscar, bah, so estava a ocupar espaço.

E o actor é tao bom que contracena com nenucos, loool


De Alicia Jaramillo a 15 de Março de 2016 às 21:02
É claro merecia ser nomeado para melhor filme Americana Sniper,. Sem dúvida, a verdadeira história recración que cativa-lo do início ao fim. Pessoalmente, penso que um dos melhores filmes de ação (http://www.hbomax.tv/sinopsis.aspx?prog=TTL603292) , eu acho que o elenco também é outro aspecto digno da história. Birdman, foi bom, mas não me convenceu a todos.


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Insyriated (2017)

Trailer: The Equalizer 2,...

Cannes: Terry Gilliam, Vo...

Brevemente ...

Arranca o ciclo «O que é ...

Quinzena dos Realizadores...

Morreu R. Lee Ermey, o sa...

Ed Sheeran em filme de Da...

Humores Artificiais vence...

Morreu VIttorio Taviani, ...

últ. comentários
Tomb Raider: 4*Este é um blockbuster bem conseguid...
Mas, sendo este caso Woody Allen já tão antigo, po...
Filme muito bom. Um tratado de sociologia/psicolog...
Notícia triste, mais um talento do qual nos desped...
Ridículo. Não são os únicos posters desta "naturez...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs