Data
Título
Take
5.2.18

Mission-Impossible-Fallout-2.jpg

Tom Cruise regressa ao papel Ethan Hunt em mais um Missão: Impossível. Neste sexto filme, uma missão corre mal fazendo com que Hunt e a sua equipa partem numa corrida contra o tempo.  

 

Henry Cavill, Simon Pegg, Rebecca Ferguson, Michelle Monaghan, Vanessa Kirby, Angela Bassett, Ving Rhames, Alec Baldwin e Sean Harris, o retornado vilão do capítulo anterior, completam o elenco. Mission: Impossible – Fallout, conta com direcção de Christopher McQuarrie (Jack Reacher, Rogue Nation) chega aos cinemas a 28 de Julho.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 01:20
link do post | comentar | partilhar

1.2.18

roman-polanski-wants-rape-conviction-overturned-to

A Variety divulgou alguns avanços sobre o próximo filme de Quentin Tarantino, cujo o enredo remeterá aos homicídios de Charles Manson em 1969, em particular ao assassinato da atriz Sharon Tate. Uma das novidades, segundo a fonte, é a inserção do realizador Roman Polanski como um personagem-chave, visto que o marido da falecida actriz.  

 

De momento não existe mais informação sobre o facto (como e quem irá interpretar a personagem), mas é de prever que a decisão de inserir o realizador no enredo não agradará aos decorrentes movimentos #metoo e #timesup devido ao passado do mesmo (para quem não se lembra, Polanski foi acusado de duas violações a menores ocorridas em ’72 e ’73)

 

Recordamos que apesar do enredo orientar nos crimes cometidos pelo serial-killer e tendo em foco esse especifico crime, o realizador afirmou que não será uma biografia. Leonardo DiCaprio encontra-se no elenco, o qual irá desempenhar um ator envelhecido e sem trabalho, que será também vizinho de Sharon Tate, que por sua vez poderá ser desempenhada por Margot Robbie (apesar de não estar oficialmente confirmado). Tarantino pretende ainda ter no elenco Tom Cruise, Brad Pitt e Al Pacino.

 

Ainda sem um título definido, a nona longa-metragem de Tarantino terá distribuição da Sony, quebrando assim a relação de mais de duas décadas com os irmãos Weinstein via Miramax e The Weinstein Company, que datava já desde Reservoir Dogs (Cães Danados) de 1992.

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 23:18
link do post | comentar | partilhar

Grass-620x326.jpg

Chega-nos o trailer de Grass (título internacional), o novo filme de Hong Sang-soo que continuará a sua colaboração com a actriz Kim Min-hee (vencedor do Prémio de Melhor Atriz na passada edição do Festival de Berlim com On the Beach at the Night Alone). A obra leva-nos a uma jovem (Min-hee) que busca inspiração para os seus escritos através dos clientes de um café que habitualmente frequenta.

 

Grass terá estreia no próximo Festival de Berlim, que tem arranque no dia 15 de Fevereiro.

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 00:30
link do post | comentar | partilhar

31.1.18

Mute_AlexanderSkarsgard.jpg

 

O realizador Duncan Jones  está de regresso à ficção científica com Mute, filme que nos leva até à  cidade de Berlim, 40 anos no futuro- É aí que um barman mudo, interpretado por Alexander Skarsgard (da minissérie Big Little Lies), segue numa jornada pela cidade adentro à procura de dois cirurgiões (Paul Rudd e Justin Theroux), os quais poderão ter pistas sobre a sua namorada (Seyneb Saleh) desaparecida.

 

Consta que Sam Rockwell, protagonista de Moon e possível vencedor do Óscar de Melhor Actor Secundário graças ao desempenho em Three Billboards Outside Ebbing, Missouri, terá uma pequena participação em Mute, que tem sido descrito como o Casablanca do sci-fy.

 

Recorde-se que o realizador (e filho do músico David Bowie) confirmou que esta sua nova obra é o segundo filme de uma trilogia que iniciou com Moon: O Outro Lado da Lua, o primeiro trabalho de Jones e até à data o seu mais aclamado.

 

Mute estreia na Netflix a 23 de Fevereiro.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:40
link do post | comentar | partilhar

30.1.18

MV5BMDM4NGUxNjItNWI5Ni00NGE2LWJjMTAtNTFhMmUxMDIyMm

FESTin regressa a Lisboa com a promessa de mais e melhor cinema lusófono. O 9º Festival Itinerante da Língua Portuguesa decorrerá entre 27 de Fevereiro e 6 de Março, tendo como espaço, como já é habitual, o cinema São Jorge, em Lisboa.

 

Vazante, uma das obras brasileiras mais badaladas de 2017, será um dos destaques da Seleção Oficial. Esta coprodução da Ukbar apresentada no Festival de Berlim nos transportará ao Brasil do século XIX, nos meandros da escravatura e com reflexo profundo na consciência colonialista. Com direção de Daniela Thomas, habitual colaboradora de Walter Salles (Terra Estrangeira, A Linha de Passe), Vazante contará com Adriano Carvalho e Sandra Corveloni nos papeis principais.

 

MV5BOTZlNjg3ZDMtZmE3MC00YWE1LTk2M2EtMmRiYmFiY2RjYT

 

Continuando nas produções lusitanas, o FESTin apresentará ainda a nova longa-metragem do produtor/realizador Fernando Vendrell, Aparição, onde os actores Jaime Freitas e Victoria Guerra viverão um apelidado “romance dentro de um romance” numa Evola da década de 50. Psicologia e catarses nas favelas do Rio de Janeiro com Praças Paris, um filme de Lucia Murat com a participação de Joana de Verona e por fim, o independente Uma Vida Sublime, completam o quarteto nacional nesta competição.

 

Quanto ao cinema brasileira, que tem sido uma das grandes forças deste festival, pretende continuar a revelar a sua diversidade produtiva e sobretudo engenho narrativo. A realizadora de O Bicho de Sete Cabeças e Chega de Saudade, Laís Bodansky regressa ao cinema com Como Nossos Pais, um drama intimista que teve estreia na secção Panorama da Berlinale, e que será a abertura deste nono ano de FESTin. A amizade secreta de As Duas Irenes, de Fábio Meira, promete “arrasar-corações” e Açúcar, de Sérgio Oliveira, atualmente em estreia no Festival de Roterdão, são alguns dos destaques da programação.

 

MV5BMWZhOTE3ZTYtNTc0OC00NDQ1LWE4NzItN2Q3YTViZjRlY2

 

O português poderá ser a língua oficial do FESTin, mas não é a exclusiva. O latim, esse idioma ancestral do português, será ponto de partida para esta nova secção paralela “Mostra Latim - A Língua em Movimento”, onde serão exibidos  uma série de obras vindas de países com língua neolatina, tais como Espanha, Cuba, França, Itália e Roménia. Como grande atração, pela primeira vez em Portugal, Vaticano será representado em filme com O Menor Exército do Mundo, um premiado documentário estreado no Festival de Veneza.

 

Este ano, o FESTin contará com duas importantes parcerias, a 4ª edição do Guiões – Festival de Roteiros de Língua Portuguesa, que irá decorrer no âmbito do festival entre os dias 2, 3 e 4 de março, e o Lusophone Film Fest, evento que levará produções em língua portuguesa a vários lugares do mundo – incluindo sessões em Nairóbi (Quénia), Zanzibar (Tanzânia), Bangkok (Tailândia), Sydney (Austrália), Phnom Penh (Camboja) e Macau (China).

 

MV5BYWI3NTNiNWQtMGIwOC00YTQzLTkzMDctYmIyODRkYTk4ZW

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 17:02
link do post | comentar | partilhar

29.1.18

deep-blue-sea-2-600x364.jpg

Foi revelado o trailer da sequela de Deep Blue Sea (Perigo no Oceano), o filme de Renny Harlin datado de 1999, que nos remetia a tubarões inteligentes criados em laboratório. Hoje convertido a um certo culto, a obra protagonizada por Thomas Jane e Saffron Burrows, ficou notória pela icónica morte da personagem interpretada por Samuel L. Jackson, dilacerado por um tubarão logo após um discurso heroico.

 

Esta continuação contará com direção de Darin Scott (Dark House, Caught Up) e os desempenhos de Danielle Savre, Rob Mayes e Darron Meyers. Deep Blue Sea 2 chegará, possivelmente ao mercado home-video, VOD e streaming, a julho deste ano.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 15:50
link do post | comentar | partilhar

24.1.18

0a21bec41bc66f7d89525df0695c1f85.jpg

A cidade holandesa acolhe, como poderia esperar, a 47ª edição do Festival Internacional de Cinema de Roterdão. De 24 de Janeiro a 4 de Fevereiro, o primeiro grande festival do Velho Mundo demonstrará uma seleção refinada de novos olhares, novos autores e sobretudo, novas experimentações. É por essas e por outras que o evento é reconhecido como um dos mais experimentais do ramo cinematográfico e este ano parece não fugir à regra. Contudo, a edição de 2018 será marcada por uma forte presença portuguesa, distribuída pelas diferentes secções e espaços do festival.

 

Filipa Reis e João Miller Guerra apresentam a sua primeira longa-metragem ficcional, Djon Africa. Integrado na competição principal do certame, Hivos Tiger Competition, a produção  segue Miguel, um jovem de ascendência cabo-verdiana que procura as suas raízes na terra onde nunca pisara, uma viagem que o transformará em algo mais do que a própria memória, ao encontro de um ser que ele próprio desconhece. Quanto ao termo ficcional, os realizadores de premiadas curtas e médias metragens como Fora de Vida (2015), Nada Fazi (2011) e Cama de Gato (2012) afirmaram ao site C7nema que apesar de ser um passo novo, a ficção era uma elemento bem percetível no seu Cinema. O filme conta com argumento de Pedro Pinho, realizador de um dos filmes mais premiados da nossa filmografia, A Fábrica do Nada que é uma das muitas presenças portuguesas da secção Bright Future.

 

Djon+Africa_1.jpg

 

Quanto ao espaço especializado em dar “tempo de antena” a novas vozes, Susana Nobre é outro nome do documentário português a avançar na ficção, sem com isso emancipar-se por completo do seu Cinema. Tempo Comum fala-nos sobre a maternidade e como ela se conjuga com “lufa-lufa” diário, com as carreiras pausadas e como esta realidade torna-se numa experiência a merecer de ser contada. Para Nobre, é um projeto minimal tendo como referência, para além da experiência enquanto mãe, o dispositivo utilizado em Ten, do iraniano Abbas Kiarostami.

 

Em companhia, estão presentes o russo Tesnota, de Kantemir Balagov, vencedor do último Lisbon & Sintra Film Festival, Meteros, de Gürcan Keltek, galardoado no Porto / Post / Doc e a segunda longa-metragem de Valérie Massadian, Milla, também premiada em Portugal (Doclisboa). Esta última, uma coprodução portuguesa, segue as mesmas pegadas do anterior Nana, onde as personagens encaram o ambiente como um refugio. Se na primeira obra, seguimos uma menina de 4 anos que se vê sozinha após uma tragédia familiar, neste deparamos com dois adolescentes inadaptados que encontram consolo em casa abandonadas.

 

TEMPO+COMUM_1.jpg

 

A curta-metragem Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia, estará em competição na subsecção Ammodo Tiger. Visto na última seleção do Indielisboa, eis um retrato de uma geração através de três narrativas distintas. No Bright Future Short, poderá ainda ser visto o novo trabalho de Filipa César (Spell Reel), que em colaboração com o artista Louis Henderson, concebem Sunstone, um ensaio sobre a relação entre a imagem e o colonialismo.

 

João Canijo e o seu Fátima tomam de assalto a secção Voices, outro importante filme nesse espaço é Western, de Valeska Grisebach. Leonor Noivo regressa com a curta Tudo o que Imagino, uma docuficção presente na categoria Long Distance dos Voices Shorts. Já Teresa Villaverde e a sua nova longa-metragem, O Termómetro de Galileu, encontra refúgio na rúbrica Visions, tendo como “colegas” o mais recente de Philippe Garrel (L’Amant D’un Jour), Wang Bing (Mrs. Fang), Bruno Dumont (Jeannette) e F.J. Ossange (em coprodução franco-portuguesa - 9 Dedos com Damien Bonnard e Diogo Dória como protagonistas. A realizadora de Colo, apresenta-nos, segundo ela, “uma homenagem à arte de viver e à vida dedicada a arte", inspirado no trabalho do realizador italiano, Tonino de Bernadi.

 

46798f0b-c37b-49b3-bcc1-a33e36df7cb9.jpg

 

A destacar ainda a produção de Paulo Branco, The Captain, de Robert Schwentke, registado na secção A History of Shadows. O filme que em Portugal esteve estreia no Lisbon & Sintra Film Festival leva-nos aos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, onde um jovem soldado alemão disfarça de oficial da SS, de modo a sobreviver, sem conhecer as consequências de tal ato, principalmente na questão identitária. Também de produção portuguesa, Zama, o mais recente filme de Lucrecia Martel, encontra-se igualmente inserido na secção.

 

De forma a evitar o seu esquecimento, Luísa Sequeira prepara para mostrar às audiências internacionais o seu filme-investigação Quem é Barbara Virgínia?, sobre a realizadora Barbara Virgínia, a primeira a nível nacional e a primeira participação portuguesa no Festival de Cannes. A mulher que tinha tudo para dar ao cinema tornou-se um espectro e os seus filmes, ora desprezados, ora perdidos (como é o caso de Três Dias sem Deus, onde resta apenas 8 minutos sem som). A sessão será antecedida por Aldeia Dos Rapazes – Orfanato Sta. Isabel De Albarraque, curta de Virgínia que serviu de estudo para a sua estreia e derradeira longa.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 13:39
link do post | comentar | partilhar

robocop-original.jpg

RoboCop poderá regressar ao grande ecrã. Contudo, segundo o argumentista Ed Neumeier, não será nenhuma continuação da “infame” versão de 2014.

 

Neumeier esteve por detrás do guião do original filme de 1987, dirigido por Paul Verhoeven, que tornou-se num sucesso de público, mais tarde convertido a objeto de culto e hoje tido como um dos grandes trabalhos do realizador na sua estadia em Hollywood. Em entrevista à Zeitgeist, o argumentista expressou: "É bom que as pessoas ainda estejam interessadas no RoboCop e eles me façam trabalhar em um novo na MGM neste momento, então talvez vamos ter outro. (…) Nós não devemos revelar muito. Houve vários filmes do RoboCop e houve recentemente um remake, e eu diria que isso é uma espécie de voltar para o antigo RoboCop, aquele que todos nós amamos, e começar daí e seguir em frente. Então, na minha mente, é uma continuação do primeiro filme. Pouco mais da velha escola".

 

robocop-1987.jpg

 

Recordamos que graças ao sucesso do primeiro filme, RoboCop pode gerar duas sequelas, um reboot e duas séries televisivas. O enredo remeta a um futuro próximo, com uma Detroit assolada pela violência e crime. A polícia torna-se incapaz de manter a ordem e segurança aos seus habitantes, sendo que a cooperativa OCP (Omni Consumer Products) encontra a solução. Essa reside na criação de novos agentes da autoridades, híbridos entre humanos e máquinas, e o primeiro exemplar dessa experiência é encontrada no agente Alex Murphy (Peter Weller), morto em serviço. Com memórias apagadas e um corpo “fabricado” ele torna-se no RoboCop. O ator Peter Weller foi o Polícia do Futuro mais uma vez, na sequela direta de 1990, tendo sido substituído por Robert John Burke no último filme da trilogia, em 1993.

 

Uma série com mais de 20 episódios surge um ano depois, com Richard Eden no papel de Murphy e em 2001, RoboCop: Prime Directives, um autêntico fracasso televisivo que se ficou pelos 6 episódios. Em 2014, o brasileiro José Padilha, o mesmo do duo Tropa de Elite, dirige um reboot que se tornou num fracasso, repudiado pela crítica e pelo público. Joel Kinnaman vestiu a pele de RoboCop num filme que contou com os desempenhos de Gary Oldman, Michael Keaton e Samuel L. Jackson.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 00:36
link do post | comentar | partilhar

20.1.18

DSC_5243_R-varda.png

Agnès Varda já trabalha num novo projecto, o filme seguirá o seu Visages, Villages (estreado no èe com estreia prevista para Portugal no próximo mês) será novamente um documentário, marcando o regresso com a sua colaboração com Didier Rouget.

 

Ainda sem titulo, Varda considera o seu novo trabalho um "documentário imprevisível", o qual irá representar a sua experiência enquanto realizador, trazendo uma visão especial do que ela apelida de “cine-escrita”.

 

"Este novo documentário, muito original que funciona como uma masterclass pessoal, traz a sua visão em relação à sua arte e que certamente fascinará todos os amantes do cinema no mundo", afirma Juliette Schrameck, da MK2, acrescentando ainda que o documentário contará com uma vários convidados especiais.

 

De momento, o projecto encontra-se em produção, devendo estar finalizado na Primavera.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 14:26
link do post | comentar | partilhar

19.1.18

8ea9e6f7-de08-446f-9217-58a6ac3a5763.jpg

O cinema francês estará na ribalta! Filmin.pt dá por iniciado o My French Film Festival, um dos mais prestigiados festivais online que garante aos seus subscritores uma coleção de 25 filmes inéditos. Um leque de longas a curtas-metragens, comédias a dramas de prestigio, premiados e êxitos de bilheteira, desculpas e mais que umas para descobrir ou redescobrir novos talentos da cinematografia francesa.

 

De 19 de Janeiro a 19 de Fevereiro, deparamos neste festival à distancia de um clique, seis secções temáticas, ao encontro do paladar dos seu subscritor. São histórias mirabolantes em What The F...rench!?, com destaque para expedição selvagem de A Lei da Selva (La Loi de la Jungle, 2016) de Antonin Peretjatko, um filme louco que invoca o tão amado Pierrot Le Fou de Godard. Em Hit the Rrroad!, as viagens de iniciação tem como estandarte Ava (2017), de Léa Mysius, que fora premiado na Semana da Crítica, e ainda a comédia Aglaé, À Prova de Choque (Crash Test Aglaé, 2017), de Eric Glavel, que reúne as atrizes Yolande Moreau, Julie Depardieu e India Hair numa “viagem dos diabos.  

 

man-bites-dog.jpg

 

A adolescência é o “prato principal” em Teen Stories, o documentário Swagger (2016), de Olivier Babinet, promete fazer as delicias da temática. French and Furious prova ser a secção mais obscura, aí encontraremos obras intrigantes como Pela Floresta Dentro (Dans la forêt, 2016), de Gilles Marchand, sobre progenitores obsessivos e ainda Aconteceu Perto da Sua Casa (C'est arrivé près de chez vous, 1992), de Benoît Poelvoorde, Rémy Belvaux e André Bonzel, um mockumentário (falso-documentário) de culto que arrecadou o Prémio de Júri do Festival de Cannes.

 

Por fim, muito amour com Love à la françcaise, que tal como o título indica, o romance estará no ar nesta seleção, curiosamente também será uma oportunidade de ver uma das primeiras curtas de François Ozon, Um Vestido de Verão (Une robe d'été, 1996).

 

Para aceder ao festival, clique aqui.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 10:19
link do post | comentar | partilhar

17.1.18

23318958_1852107621469261_3893126087079139012_n.pn

Foi revelado o trailer de  Ghostland, o novo e próximo filme de Pascal Laugier (Martyrs), aquele que é considerado um dos nomes maiores da vaga francesa do terror.

 

A obra segue Pauline e as suas duas filhas herdam uma casa. Na primeira noite nesta nova casa, ela confronta intrusos, lutando pela sua vida e a das suas filhas. Dezasseis anos depois, as filhas se reencontram na casa, na qual começa a surgir algo de estranho. 

 

Crystal Reed, Anastasia Phillips, Taylor Hickson, Emilia Jones, Adam Hurtig e a cantora Mylène Farmer compõem o elenco. 

 

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

 


publicado por Hugo Gomes às 16:24
link do post | comentar | partilhar

14.1.18

pjimage.jpg

Clive Owen junta-se a Will Smith em Gemini Man, o próximo filme assinado por Ang Lee (The Crouching Tiger and the Hidden Dragon, Life of Pi), uma ficção cientifica centrado num futuro próximo onde a clonagem humana é mais que uma possibilidade. Nesta história, Will Smith será um reformado operador da NSA que tem que escapar a um assassino, que mais tarde vem a descobrir que se trata de uma versão jovem dele próprio.

 

Segundo a Variety, Owen será o antagonista do filme, enquanto que Mary Elizabeth Winstead e Tatiana Maslany encontram-se cotadas para a coprotagonista feminina.

 

Gemini Man é uma produção de Jerry Bruckheimer (do franchise Pirates of the Caribbean) que se encontrava em desenvolvimento há mais de duas décadas, na pose da Disney. Contudo, o projeto foi adquirido pela Skydance Media, que o produzirá em conjunto com a Paramount Pictures.

 

Estreia prevista para Outubro de 2019.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 01:17
link do post | comentar | partilhar

13.1.18

02_django_unchained_fb.jpg

 

Leonardo DiCaprio voltará a trabalhar com Quentin Tarantino num filme baseado na “família Manson”, a comunidade de serial killers liderados por Charles Manson que assombrou os EUA no final dos anos 60, cuja vitima mais mediática foi a actriz, e na altura mulher de Roman PolanskiSharon Tate, em 8 de Agosto de 1969.

 

O filme terá distribuição da Sony, quebrando assim a relação de mais de duas décadas com os irmãos Weinstein via Miramax e The Weinstein Company, que datava portanto já desde a sua primeira longa-metragem: Reservoir Dogs de 1992. De acordo com uma fonte do Vanity Fair, o filme vai-se focar numa estrela de televisão, que teve uma série de sucesso e está à procura de entrar na indústria cinematográfica, e no seu parceiro (e duplo/stunt). Sendo assim, a tragédia que envolveu o assassinato de Sharon Tate e quatro amigos seus servirá como pano de fundo.

 

Foi ainda revelado que Margot Robbie encontra-se em negociações para integrar o elenco, que também “cobiça” as presenças de Brad Pitt e Tom Cruise.

 

O orçamento está nos 100 milhões de dólares, e deve-se esperar que a produção tenha início no Verão, com estreia para 2019.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 01:01
link do post | comentar | partilhar

MV5BMTUzNjg4NjA1M15BMl5BanBnXkFtZTgwMjI0OTcyMDI@._

Chris Albertch, Presidente da Starz, anunciou na Television Critics Association (TCA) Winter 2018 Press Tour, que a Starz em conjunto com Lionsgate irão produzir uma série baseada no franchise de John Wick.

 

Intitulado de The Continental, a série explorará o submundo dos assassinos e o hotel-fachada que os abriga. Nos filmes, esse mesmo hotel é gerido por Winston, personagem interpretada pelo ator Ian McShane.

 

O argumentista e produtor Chris Collins (Sons of Anarchy, The Wire) encontra-se confirmado para escrever esta adaptação televisiva, enquanto que Chad Stahelski (corealizador de John Wick e realizador de John Wick: Chapter 2), Derek Kolstad (argumentista dos dois filmes), Keanu Reeves, Basil Iwanyk (produtor do díptico e ainda de Sicario) e David Leitch (corealizador de John Wick e realizador da sequela de Deadpool) estarão integrados na produção. Este último, irá dirigir o episódio-piloto.

 

No seu anúncio, Albertch revelou que "esta série será verdadeiramente diferente de qualquer outra coisa na TV. "The Continental" promete incluir as sucessivas sequências de luta e os tiroteios intensamente organizados entre assassinos profissionais e seus alvos que os adeptos esperaram na franquia de John Wick, além de apresentar alguns personagens novos e convincentes que habitam neste mundo subterrâneo. "

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 00:54
link do post | comentar | partilhar

12.1.18

jeannette-l-enfance-de-jeanne-d-arc.jpg

Jeannette l'enfance de Jeanne d'Arc, um musical tendo como inspiração a vida da heroína francesa do século XV, Joana D’Arc, que fora o filme de abertura do 49ª Quinzena de Realizadores, vai contar com uma continuação. Quem o confirma é o realizador Bruno Dumont (Ma Loute).

 

Intitulado de Jeanne!, esta sequela seguirá uma Joana D'Arc adulta a tentar concretizar a profecia. Ainda se desconhece se o filme manterá o estilo musical do antecessor, o qual contou com uma banda-sonora da autoria do compositor experimental electrónico, Igourrr (Gautier Serre).

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 16:32
link do post | comentar | partilhar

10.1.18

hellraiser-judgment-trailer-700x366.jpg

Uma das sagas de terrores mais duradoras prepara-se para estrear o seu décimo capítulo. Trata-se de Hellraiser, que por cá obteve o título de Fogo Maldito, uma alegoria sadomasoquista inspirada nos contos de Clive Barker que estreou pela primeira vez no cinema em 1987 (com o dito escritor a assumir o cargo de realizador).

 

O filme rapidamente ascendeu ao estatuto de culto e o seu “monstro-estrela”, Pinhead, converteu-se numa das mais populares figuras do género. A sequela direta, que estreou em 1988, prolongou esse mesmo sucesso. Porém, depois do quarto filme, que foi um fiasco, o franchise ficou retido no circuito de Home Video, onde continuou de forma presencial. À chegada deste décimo capitulo, Doug Bradley, que sempre vestiu a pele desse demónio, saiu do projeto. No seu lugar temos Paul T. Taylor (Super).

 

Escrito e dirigido por Gary J. Tunnicliffe, responsável pelos departamentos de caracterização de X-Men Origens: Wolverine e Pulse, o intitulado Hellraiser: Judgment seguirá diretamente para o circuito de Home Video, Video-on-demand e streaming. Como curiosidade, a actriz Heather Langenkamp encontra-se no elenco. Para quem desconhece, ela foi Nancy Thompson, a grande protagonista de A Nightmare on Elm Street, de Wes Craven.

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:32
link do post | comentar | partilhar

Laurel & Hardy (Thicker Than Water)_01.jpg

 

Encontra-se a ser preparado um filme sobre a famosa dupla de comediantes Stan Laurel & Oliver Hardy, que em Portugal ficaram conhecidos como Bucha & Estica. A produção, que terá como título Stan & Ollie será protagonizado por John C. Relly (The Lobster, Step Brothers) e Steve Coogan (24 Hour Party) e contará com a realização de Jon S. Baird (Filth) e com um argumento de Jeff Pope (Philomena). Shirley Henderson (Okja), Nina Arianda (Midnight in Paris), e Danny Huston (Wonder Woman) fazem ainda parte do elenco.

 

Recordamos que a dupla de comediantes, provavelmente a mais icónica do Cinema, participou em mais de 100 produções, incluindo longas e curtas metragens e até mesmo peças teatrais. A primeira aparição foi em The Lucky Dog (1917) e desde então têm reunido êxitos como também fracassos.

 

O filme cinebiográfico terá como base a relação entre ambos e a diferença que os unia, focando particularmente numa tournée de despedida que o duo organizou em 1963, no Reino Unido. As primeiras imagens foram divulgadas, demonstrando a transformação dos actores para os respectivos papeis. 

stan_ollie_670_670.jpg

DTCrOhmX4AAdoND.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 15:16
link do post | comentar | partilhar

8.12.17

MV5BNzE1MzQ0NjE4MF5BMl5BanBnXkFtZTgwMjU3NjMzNDM@._

Foi divulgado o trailer da sequela Jurassic World: Mundo Jurássico, que se intitulará de Fallen Kingdom (Reino Caído). Chris Pratt e Bryce Dallas Howard regressam ao elenco e o mesmo se pode dizer de Jeff Goldblum, uma cara bastante conhecida do franchise.

 

J.A. Bayona (A Monster Calls, The Orphanage) é o realizador, substituindo assim Colin Trevorrow, que apenas se mantêm as funções de produtor.

 

Recordamos que Mundo Jurássico serviu como uma "ressuscitação" da franquia iniciada nos anos 90 por Steven Spielberg. O filme revelou-se um grande sucesso de bilheteira, chegando bem perto dos 1,7 mil milhões de dólares em receitas. A sequela tem estreia prevista para junho de 2018.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 13:47
link do post | comentar | partilhar

7.12.17

maxresdefault_28129_14.jpg

Segundo a The Hollywood Reporter, Ryan Reynolds, o conhecido Deadpool, dará a sua voz ao Pokémon mais famoso numa adaptação live-action a ser preparada pela Legendary e a Universal Pictures. Sim, o actor será o Pikachu numa versão Detective, que segundo a mesma fonte, será concebido graças à tecnologia motion-capture.

 

Rob Letterman (Goosebumps: Arrepios) será o realizador, enquanto que Nicole Perlman (Guardiões da Galáxia) e Alex Hirsch (da série de animação Gravity Falls) serão os autores do argumento. Para além de Reynolds, Justice Smith e Kathryn Newton encontram-se confirmados no elenco.

 

A intriga remeterá a um jovem que para conseguir resgatar o seu pai, une esforços com o Detective Pikachu. As rodagens arrancarão em Janeiro de 2018.


Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 12:52
link do post | comentar | partilhar

5.12.17

quentin-tarantino.jpg

The Hollywood Reporter confirmou que Quentin Tarantino apresentou um pitch para um novo filme da saga Star Trek para a Paramount. Segundo a mesma fonte, o cineasta partilha a mesma visão que J.J. Abrams (responsável pela ressurreição cinematográfica da saga em 2009), o que poderá levar a uma união para o lançamento de um novo capitulo interestrelar.

 

Fala-se deste novo Star Trek como o décimo e último filme realizado por Tarantino. O estúdio não comentou o facto.

 

Recordamos que em 2015, como convidado do podcast Nerdist, Tarantino havia revelado desejo de concretizar um filme envolto do universo de Star Trek, argumentando que inúmeros episódios da série dos anos 60 poderiam ser readaptados para o formato longa-metragem.

 

maxresdefault.jpg

 

Quentin Tarantino encontra-se atualmente a preparar um filme inspirado nos assassinatos de Charles Manson. O filme terá distribuição da Sony, quebrando assim a relação de mais de duas décadas com os irmãos Weinstein via Miramax e The Weinstein Company, que datava portanto já desde a sua primeira longa-metragem: Reservoir Dogs de 1992. De acordo com uma fonte do Vanity Fair, o filme vai-se focar numa estrela de televisão, que teve uma série de sucesso e está à procura de entrar na indústria cinematográfica, e no seu parceiro (e duplo/stunt). Sendo assim, a tragédia que envolveu o assassinato de Sharon Tate e quatro amigos seus servirá como pano de fundo.

 

Entre os nomes do elenco já citados para entrar neste nono filme do realizador, temos pesos pesados como Brad Pitt (que entrou em Inglorious Basterds), Leonardo DiCaprio (que entrou em Django Unchained), e Jennifer Lawrence (em estreia no território Tarantino). Também Tom Cruise (outra estreia) terá tido um encontro com QT.

 

O orçamento está nos 100 milhões de dólares, e deve-se esperar que a produção tenha início no Verão do próximo ano, com estreia para 2019.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 16:41
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Pinar Toprak é compositor...

0%!! Gotti, filme de mafi...

Primeiras imagens de «Won...

Trailer: The Little Stran...

Trailer: First Man, Ryan ...

Trailer: The Girl in the ...

Terry Gilliam critica os ...

Primeiro teaser trailer d...

Cannes arranca com segred...

Novo trailer de Ant-Man a...

últ. comentários
Gritos 3: 5*Que filme excelente e fenomenal, adore...
Um dos meus favoritos 5*
Gritos 2: 5*Sidney, Dewey e Gale estão de regresso...
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
É já de domínio público que João Botelho adaptou, ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs