Data
Título
Take
21.12.12

Tráfico de Domingo á Tarde!


 

Baltasar Kormákur consegue o inesperado, pegar numa obra que protagonizou em 2008 que foi o islandês e até interessante thriller, Reykjavík Rotterdam dirigido por Óskar Jónasson, e transforma-la num simples “produtozinho” hollywoodesco. Esperava-se que o actor que agora assume as funções de realizador e produtor no remake norte-americano conseguisse implantar na obra a sua própria experiencia e ligações, ao invés disso, a rotina toma controlo deste bocejante e oco tráfego ilícito e é pena já que o tema é tão pouco explorado no dito cinema norte-americano.

 

 

Contraband nos remete á história de Chris Farraday (Mark Wahlberg), um antigo e experiente contrabandista que regressa ao seu talento a fim de conseguir socorrer o seu genro adolescente, Andy (Caleb Landry Jones), que é constantemente ameaçado por um perigoso traficante de droga (Giovanni Ribsi). Seguindo em modo automático o argumento de Reykjavík Rotterdam, Contraband não consegue em momento nenhum incutir o drama desejado no seu leque de personagens, Mark Wahlberg encontra-se demasiado plano para isso e Kate Beckinsale a cumprir os pobres requisitos de esposa indefesa, a intensidade da intriga é assim dissipada á medida que apercebemos das tentativas de ilusão da fita, que não nos chega a surpreender como também nos levam ao encontro de inverosimilhanças desiguais, como se confirma as sequencias no Panamá, puro irrealismo cinematográfico.

 

 

Por fim a realização do convertido Baltasar Kormákur é segura mas nada de vivaço, sobrando assim Giovanni Ribsi em overacting que consegue causar um efeito temido no seu esquizofrénico personagem com claras tendências psicóticas, e Ben Foster a exibir o seu subvalorizado talento numa figura mal enquadrada e escrita a três pancadas. Contraband resulta num thriller sem chama, daqueles que se vê e esquece depois de cinco minutos. Fraco, que nem os códigos de cinema de golpe consegue envergar!

 

“You think you're the only guy with a gun?”

 

Real.: Baltasar Kormákur / Int.: Mark Wahlberg, Ben Foster, Lukas Haas, Kate Beckinsale, Giovanni Ribisi, Caleb Landry Jones



 

4/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:40
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Encontrado realizador par...

Venom (2018)

Doclisboa'18 revela toda ...

Cary Fukunaga será o real...

A Simple Favor (2018)

Edgar Pêra "ataca" salas ...

Morreu Kirin Kiki, a noss...

Marco Martins tem novo pr...

The Predator (2018)

Rumor: Kit Harington pode...

últ. comentários
Um filme lindo. Um dos melhores do Ang Lee. O meu ...
"Deveria ser um crime ignorar um filme destes.". B...
Nem tinha vontade de ver o filme. Pensei que apena...
Sei que um filme é bom quando, assim que acaba, te...
Acho que será muito bom. O Joker é um personagem ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs