Data
Título
Take
3.11.12

Já chegamos a isto!

 

Por detrás de um dos êxitos mais inesperados de 2009, Paranormal Activity, um independente filme de terror produzido dois anos antes por Oren Peli e com um estilo idêntico do mockumentario (ou found footage) digno de Blair Witch Project de Daniel Myrick e Eduardo Sánchez, surge-nos um dos franchisings mais rentáveis do género. Esta pequena mina de ouro não é nada mais nada menos que um “filmezeco” feita por meia dúzia de tostões que conseguiu uns incríveis 150 milhões de dólares em todo o Mundo com as suas exibições cinematográficas, com este raro êxito fundido com hype, originou-se sequelas, fiéis e mais sofisticadas ao seu estilo narrativo. Com a rapidez desfreada e quase gananciosa dos seus produtores, duas sequelas foram assim produzidas entre os anos 2010 e 2011, o qual em conjunto amealharam mais de 380 milhões. Mas tudo parece indicar que o sucesso está a terminar a olhos vistos, é que segundo as noticias que seguem do outro lado do Oceano Atlântico, o quarto Actividade Paranormal ficou porém muito aquém das expectativas em termos de bilheteiras e no geral a fita não tem sido bem aceite pelo público.

 

 

Os produtores tinham razão quando pensaram na tagline para Paranormal Activity 4: “toda a actividade trouxe-te aqui …”, é que na realidade com todo o êxito e nas boas graças que a saga tinha caído, o quarto filme é um conformista, um reflexo que mesmo um estilo altamente criativo como o mockumentario / found footage pode se tornar previsível e básico. Chegamos a um ponto em que nada neste género surpreende, caindo num desuso constrangedor. O quarto filme dirigido novamente a meias por Henry Joost e Ariel Schulman, que tiveram por detrás do terceiro Actividade Paranormal, é enfadonho, vulgarizado e por vezes chegando mesmo a auto-satirizar perante tal resultado copista.

 

 

Perde-se assim a delicadeza e o charme dos seus sustos e em troca recebe-se trambolhões, mortes e efeitos mais elaborados e quando ao paranormal do título, acho que tal adjectivo encaixa na perfeição do patético e indecifrável final. Pelos vistos não se pensou muito em como concretizar este quarto filme, tendo que o resultado que ridiculariza o subgénero e ainda mais é inverosimilhante em inserir as câmaras na própria narrativa. E porque os produtores tem razão: “toda a actividade trouxe-te aqui …”, só que esquecer de mencionar que é á mediocridade. Dinheiro mal empregue em ver isto no cinema!

 

Real.: Henry Joost, Ariel Schulman / Int.: Int.: Katie Featherston, Kathryn Newton, Matt Shively

 

 

Ver também

Paranormal Activity (2007)

Paranormal Activity 2 (2010)

Paranormal Activity 3 (2011)

3/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:53
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

O pão de cada dia obriga ...

Critica - "Nós" não ficam...

Primeiras impressões: Us

Os patetas do costume

O meu Cinema é feito de M...

Maquilhagem americanizada...

Crítica: Marvel no nome, ...

Críticas: uma portuguesa,...

Primeiras reacções: Capta...

E os Óscares?

últ. comentários
Título do post muito criativo.
Legal o tema do post. Parabéns.
Aguardando. Blog bem legal!
Um luxo de actores num filme de lixo, repito LIXO....
Gostei muito da crónica. Vou acompanhar o seu blog...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
30 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs