Data
Título
Take
25.3.12

Entre fantoches e homens!

 

Primeiro de tudo, ver novamente os Marretas no grande ecrã é uma experiencia nostálgica que nos faz querer desesperadamente regressar aos anos 70. The Muppets (vamos lá ser formais e dizer o nome dos fantoches em inglês) pode muito não ser o tipo de fitas que arrecadarão prémios ou conquistaram legiões para o ver como os blockbusters ou adaptações de fenómenos literários, mas é sim trata-se da homenagem sincera e divertida que se poderia pedir nos dias de hoje ao trabalho de uma vida, tal vida que foi a de Jim Henson (o criador original dos Marretas que perduraram o show durante os anos 1976 até 1981). Ainda bem que Disney decidiu abrir o baú! 

 

 

A história é simples, singela e sem grandes complicações (o argumento é da autoria do actor Jason Segel, um assumido fã dos bonecos e de Nicholas Stoller); os Marretas desapareceram há anos, o programa foi cancelado e cada um dos personagens seguiram caminhos diferentes, porém se reúnem quando descobrem que um magnata do petróleo quer comprar o estúdio dos Marretas para poder demolir para extrair o dito “ouro negro”. Agora cabe a Sapo Cocas, Miss Piggy e a sua trupe organizarem mais um show para conseguir salvar todo um legado. 

 

 

Apesar da ausência de 12 anos no cinema (a ultima aparição foi em 1999 com Muppets from Space de Tim Hill), The Muppets conserva todos os ingredientes, o tipo de humor que é por vezes irónico, a ingenuidade, as musicas bem trabalhadas e as personagens que conquistaram infâncias, mas infelizmente como se cita durante o filme: são relíquias, e dificilmente conseguirão cativar um novo público que os seguirá, mas sem isto querer insinuar que a fita de James Bobin não é aconselhável aos mais novos, aliás a todos. Cheio de cameos deliciosos, alegria e muita melodia, eis os Marretas e o regresso a uma das referências dos anos 80. PS– só tenho pena de que as minhas duas personagens predilectas do grupo, os velhotes críticos, tenham curtas aparições nesta longa-metragem.

 

“Maniacal laugh... maniacal laugh...”

 

Real.: James Bobin / Int.: Steve Whitmire, Eric Jacobson, Dave Goelz, Bill Barretta, David Rudman, Matt Vogel, Jason Segel, Amy Adams, Chris Cooper, Rashida Jones, Alan Arkin, Jack Black, Emily Blunt, Zach Galifianakis

 

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 00:53
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Suspiria (2018)

Colette (2018)

Carga (2018)

Raiva (2018)

Conheçam os vencedores da...

Extinção (2018)

Encontrado realizador par...

Venom (2018)

Doclisboa'18 revela toda ...

Cary Fukunaga será o real...

últ. comentários
Não percebi merda nenhuma do que escreveste, e olh...
Neste caso o director de fotografia não teve qualq...
Vi o filme ontem nos cinemas e adorei. Sendo filme...
Não menosprezando o colorista, que obviamente fez ...
Eu acho que você deveria olhar bem aqui em relação...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
29 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs