Data
Título
Take
21.2.12
21.2.12

 

Claustrofobia e sobrevivência!

 

Imaginem-se na seguinte situação: de repente despertam dentro de um caixão de madeira, soterrado, chantageado por um terrorista, o oxigénio é cada vez mais escasso e os únicos pertences são um isqueiro, uma lanterna e um telemóvel com menos de metade da bateria. Uma situação desesperante não é? Pois bem, é este o cenário de Buried.

 

10365987_lgBMA.jpeg

 

A fita de Rodrigo Cortés é um típico “one actor movie” em que nos apresenta um Ryan Reynolds esforçado, porém, e por infelicidade nossa, não muito profundo como deveria. Mesmo assim, é a claustrofóbica realização que toma conta de um filme provocador e com classe na entrega do suspense, daqueles que deixaria Alfred Hitchcock orgulhoso. Em Buried, mais do que um thriller, sente-se um certo toque de criticismo face às burocracias norte-americanas nas suas situações com reféns no Médio Oriente, um suposta dimensão social que Cortés disfarça com uma pretensão fiel à sua limitação espacial. Como tal, esquiva dos piores artifícios do autor, um dos exemplos é o uso abusivo de flashbacks, completamente dispensado aqui, para dar lugar a um exercício impressionante de terror com doses generosas de humanidade, onde é a imaginação e o efeito sugestão fora de plano a comportar-se como protagonistas.

 

 

O final, mesmo que previsível, até certo ponto, torna-se num desespero sem fim até ao último minuto, com Reynolds a demonstrar as suas capacidades de actor (sua melhor prestação), contornando o seu ego e explodindo de emoções no último "on the record", mesmo que, como já havia referido, este torna-se no pior elemento da fita, porque simplesmente não se entrega equilibradamente em toda a narrativa. Mesmo não sendo um grande filme, Rodrigo Cortés traz aqui um excelente motivo de celebração do thriller e do exercício cinematográfico. Nisso, estamos gratos!

 

"I'm buried in a box. I'm buried in a box!"

 

Real.: Rodrigo Cortés / Int.: Ryan Reynolds, José Luis García Pérez, Robert Paterson

 

 

7/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 20:54
link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De Gustavo a 25 de Fevereiro de 2012 às 00:50
Até gostei do suspense e do filme em geral, é um pouco parecido com 127 Horas, mas com menos classe


De Frederico Daniel a 18 de Fevereiro de 2016 às 17:57
"Enterrado": 2*

Há anos que queria ver "Enterrado" e vi-o recentemente, mas foi uma grande desilusão.
A história de "Buried" é bastante aborrecida, tal como o seu desenrolar.

Cumprimentos, Frederico Daniel...


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Suspiria (2018)

Colette (2018)

Carga (2018)

Raiva (2018)

Conheçam os vencedores da...

Extinção (2018)

Encontrado realizador par...

Venom (2018)

Doclisboa'18 revela toda ...

Cary Fukunaga será o real...

últ. comentários
Neste caso o director de fotografia não teve qualq...
Vi o filme ontem nos cinemas e adorei. Sendo filme...
Não menosprezando o colorista, que obviamente fez ...
Eu acho que você deveria olhar bem aqui em relação...
Fogo, não pode ser. Esse JP Caldeano é mesmo tuga?...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
29 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs