Data
Título
Take
13.11.11

O “Basta” dos Primatas!

 

Talvez dos maiores medos do ser humano é a ideia de um dia tornarem-se seres dominados por outra espécie evoluída, e é por isso que o conceito de H.G. Wells, War of the Worlds, cai em tantos usos no imaginário de cada um. Porém longe das invasões alienígenas, outra ameaça fictícia encontra-se interiorizado na nossa civilização, temática que foi explorada à exaustão e com apurado gosto pela fantasia e ficção científica na literatura e respectivamente em filmes como Terminator (as maquinas) e Planet of the Apes (os símios).

 

 

Adaptado do romance de Pierre Boulle, a conversão para a grande tela deu origem em 1968 a uma fita de sucesso, em que Charlton Heston é um astronauta perdido num planeta (pensa ele) onde os seres humanos são seres irracionais e os primatas, líderes de terras indomáveis. A grande revelação do filme dirigido por Franklin J. Schaffner foi o seu twist final onde a personagem de Heston descobre que o suposto planeta que chegou é afinal a Terra alguns anos mais tarde, a sua chegada derivou de uma hibernação mal planeada.

 

 

A partir desta temática surgiram inúmeras sequelas e prequelas, dando a origem a um dos primeiros grandes franchisings do cinema, até que completamente adormecido surge em 2001 o remake da autoria de Tim Burton, que apresentou um excelente trabalho no campo da maquilhagem e efeitos visuais, mas que desiludiu fãs da antiga saga e mesmo do realizador em geral. Depois de uma ausência de dez anos eis que mana como Fénix ao renascer das cinzas, esta prequela / reboot do conto de Pierre Boulle, agora com um tratamento mais sofisticado do tema e previsivelmente no campo dos efeitos visuais, Rise of the Planet of the Apes tornou-se no filme surpresa deste Verão bem concorrido. A “macacada” surpreendentemente arrecadou em todo o Mundo uma quantia de respeito, cerca de 470 milhões de dólares.

 

 

Dirigido pelo estreante Rupert Wyatt, que havia apenas efectuado tarefas como produtor ou argumentista, o seu trabalho mais notório foi em The Escapist (2008), Rise of the Planet of the Apes centra na história de um cientista envolvido na criação da cura para o Alzheimer, Will Rodman (James Franco), que adopta um chimpanzé que em derivação a testes submetidos possui uma inteligência fora do normal, Caesar (sendo o actor Andy Serkis, anteriormente conhecido pelas encarnações de Gollum da trilogia The Lord of the Rings e King Kong na versão de Peter Jackson, a emprestar o seu corpo e alma para conceber este símio através da tecnologia motion capture). Após anos e anos a conviver com o seu dono e com os seres humanos a seu redor, Caesar começa a arquitectar uma forma de demonstrar supremacia, observando a animalidade dos Homens e a estudar as suas fraquezas. 

 

 

Em Planeta dos Macacos – A Origem (titulo português), encontramos uma inteligência no seu conteúdo e uma exploração de subgéneros que nos levam a um entretenimento onde o cérebro não será certamente esquecido. A fita adquire a meio da narrativa um tom idêntico aos filmes de evasão, explorando as capacidades de Caesar em elaborar a sua dita revolução. Contudo não recorre a maniqueísmo e ao antropocentrismo. Devido a tal, o espectador conseguirá identificar com as causas do símio tecnológico e por momentos desrespeitar a sua própria espécie. Mesmo sendo cativante a narrativo, a fita Wyatt é espectacular na sua tradução tecnológica, ou seja nos efeitos visuais, principalmente aqueles que compõe o nosso primata protagonista com excepcional empenho de Serkis em preenche-lo. O chimpanzé é realmente realista, o mesmo se pode dizer dos outros símios aqui demonstrados e até mesmo das imagens da revolução que poderão ser desleais (um bando de macacos desprovidos de armas contra um exercito é motivo de muita ficção) apresentam-se nos seus conformes credíveis.

 

 

A grande fraqueza desta fita encontra-se somente na pouca relevância que James Franco e Freida Pinto parecem ter no filme, mas nada de realmente prejudicial, tendo em conta que o que desejamos ver em Rise of the Planet of the Apes é mesmos os símios protagonistas e o seu grito de liberdade. Contudo, nos desempenhos humanos, os grandes destaques vão para John Lithgow e Tom Felton (o Draco Malfoy da saga Harry Potter) que apresenta aqui uma interpretação rebelde, a provar que não foi um inequívoco nas adaptações cinematográficas de J.K. Rowlings. 

 

 

O final ainda abre portas para eventuais sequelas que certamente irão glorificar mais feitos deste símio inteligente Ceaser, a sua eterna luta pelos direitos dos primatas. A saga renasceu … e realmente que ressurreição obtivemos. Um dos melhores filmes entretenimento deste Verão e ao contrário de um certo Fast Five, não é preciso ignorar a massa cinzenta.

 

Caesar is home.”

 

Real.: Rupert Wyatt / Int.: James Franco, Andy Serkis, Freida Pinto, John Lithgow, Tom Felton, Brian Cox

 

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 21:37
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Encontrado realizador par...

Venom (2018)

Doclisboa'18 revela toda ...

Cary Fukunaga será o real...

A Simple Favor (2018)

Edgar Pêra "ataca" salas ...

Morreu Kirin Kiki, a noss...

Marco Martins tem novo pr...

The Predator (2018)

Rumor: Kit Harington pode...

últ. comentários
Um filme lindo. Um dos melhores do Ang Lee. O meu ...
"Deveria ser um crime ignorar um filme destes.". B...
Nem tinha vontade de ver o filme. Pensei que apena...
Sei que um filme é bom quando, assim que acaba, te...
Acho que será muito bom. O Joker é um personagem ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs