Data
Título
Take
9.9.10

Terror em estado gasoso!

 

Tão conhecido entre o grande público, não como um dos produtores mais poderosos de Hollywood, mas sim como realizador da milionária trilogia Spider-Man, Sam Raimi foi também um dos homens chaves pela equilibrada combinação de dois géneros distintos como comédia e terror, de forma a completarem-se sem prejuízos, falo obviamente da sua trilogia de culto, Evil Dead que lançou Bruce Campbell como uma estrela de um certo cinema trash. Evil Dead é também reconhecido pelo seu artesanalismo despreocupado e pela sua fidelidade com os códigos da serie Z, factores quase hoje perdidos nas obras de horror, coisas que Tarantino (Death Proof) e Rodriguez (Dusk Till Dawn) ainda conseguem manter vivo tal espírito entre as grandes audiências.

 

 

Literalmente Raimi abandona o seu “aranhiço” e persegue as suas origens com este Drag Me To Hell, com o título português Até ao Inferno, onde somos remetidos á história de assombração e maldição de Christina Brown (Alison Lohman), uma analista de créditos que possui um emprego com futuro, um namorado dedicado e uma vida perfeita, onde nada parece ser capaz de o abalar. Todavia Brown com a ambição de uma promoção profissional, nega o empréstimo a idosa, esta decide amaldiçoa-la coma invocação de um espírito antigo e maldito – Lamia.

 

 

Entre o terror profissional e o humor digno de sátira, Drag Me To Hell se comporta como um semi-fossil vivo nas nossas estreias cinematográficas, onde por momentos invoca o já abandonado espírito á la Evil Dead em combinação com “deliciosas” e hilariantes sequencias que prometem desde cedo, sustos e risos. Equivalente a uma dose dupla de géneros, no novo filme de Sam Raimi o artesanalismo “abraça” sem prejudicação os CGI, fazendo com que a fita se assemelhe obsoleto em narrativos, mas rejuvenescido em termos estéticos. Com desempenhos convincentes por parte do elenco, a destacar Alison Lohman, a desempenhar o habitual estereótipo feminino dos filmes de terror e Lorna Raver a ser aquilo que poderíamos dignar de verdadeiro pesadelo. Mesmo sendo previsível, Drag Me to Hell é algo lúdico e divertido e mesmo nostálgico nos tempos que decorrem em que as fitas de horror como imperativamente devem ser levadas demasiado a sério. A outra face do terror!

 

Real.: Sam Raimi / Int.: Alison Lohman, Justin Long, Lorna Raver, Adriana Barraza

 

 

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:51
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Gustavo a 11 de Setembro de 2010 às 12:07
é daqueles filmes supostamente de terror que se leva na boa, mais hilariante que um Scary Movie


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

O pão de cada dia obriga ...

Critica - "Nós" não ficam...

Primeiras impressões: Us

Os patetas do costume

O meu Cinema é feito de M...

Maquilhagem americanizada...

Crítica: Marvel no nome, ...

Críticas: uma portuguesa,...

Primeiras reacções: Capta...

E os Óscares?

últ. comentários
Título do post muito criativo.
Legal o tema do post. Parabéns.
Aguardando. Blog bem legal!
Um luxo de actores num filme de lixo, repito LIXO....
Gostei muito da crónica. Vou acompanhar o seu blog...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
30 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs