Data
Título
Take
28.4.10

Real.: Ron Clements, John Musker

Int.: Anika Noni Rose, Bruno Campos, Oprah Winfrey, Terrence Howard

 

 

Quando a Disney anunciou algures em 2004 com a passagem de Home on the Range (Will Finn, John Sanford) nas salas de cinema, de que as animações de veias clássicas iriam tornar-se obsoletas por parte do estúdio. Sendo assim a já referida aposta de 2004, o irreverente Home on the Range se tornou no último dos clássicos, mesmo com uma vastidão de críticas que apontavam como uma venda intrínseca á ousada forma da Dreamworks, depois de tal acto, estrearam filme como Chicken Little (2005), Wild (2006) e Bolt (2008), três filmes de uma Disney digital, porém ofuscadas pela soberania dos outros grandes estúdios animados nomeadamente o na altura estafeta Pixar de John Lasseter. O produtor, como também realizador, decide então comprar o centenário ateliê e com isso a opção do regresso às origens o qual este The Princess and the Frog marca, porém ao mesmo tempo dá um “gostoso” sabor a inovação e criatividade.

 

 

Na cadeira de realizador encontra-se a dupla Ron Clements e John Musker, alguns dos responsáveis por outros clássicos animados do estúdio como The Little Mermaid e Alladin, dirigem assim esta incursão contemporânea e etnicamente divergente do clássico de Ed Baker, A Princesa e o Sapo, girando á volta da mágica premissa do eterno beijo de uma princesa e um sapo, assim convertendo o batráquio num majestoso príncipe. Este conto de fadas é aqui ambientando numa Nova Orleães dos anos 20, o jazz se figurava como banda sonora e os pântanos do rio Mississípi como paisagem. The Princess and the Frog remete-nos a uma bela jovem sonhadora, Tiana (Anika Noni Rose) que por equívoco é submetida a uma maldição quando tenta beijar um sapo, que por sinal é um príncipe transformado na criatura por vias de voodoo.

 

 

Após 49 filmes concebidos pelo estúdio fundado pelo Walt Disney, esta é a primeira em que surge a nós uma protagonista afro-americana, um dos registos da nova fase da Disney, a emancipação de qualquer fidelidade étnica ou religiosa, que fundou serias críticas á colecção de animações do estúdio. A comédia aguçada e bastante física advém da irreverência das animações de hoje, The Princess and the Frog segue tal ritmo, mas é na sua antiguidade que o torna num objecto admirável. Uma beleza visual artesanal e o regresso do musical, que fora abandonada pela Disney nos em meados nos anos 2000, remete a nova aposta do estúdio Disney a entrar “forçadamente” no catálogo clássico. As boas intenções estão lá e a competência aos vários níveis técnicos, sonoros e descritivos o tornam delicioso e encantador quanto ao seu legado.

 

 

Caindo no desuso ou não, The Princess and the Frog é a animação que queremos gostar á força, e mostrar tais sentimentos para com ele não é indigno, mas a garra deste o torna na sua maior fraqueza, sendo que a história é muitas vezes sacrificada às canções, que por sua vez não ficam no ouvido, infelizmente, algumas personagens são desnecessárias e sem graça. Porem o elenco vocal é formidável, destacando Bruno Campos na personagem Naveen e também podemos contar com um vilão de peso, The Shadowman (Keith David), relembrando o melhor de um formidável legado de 80 anos de forças antagónicas desde a Bruxa Malvada da obra-prima Branca de Neve e os Sete Anões. Com A Princesa e o Sapo é diversão garantida e nostálgica, aquece mas não fica no coração, creio eu que ainda é cedo para se denominar de clássico Disney, mas peço graças que seja, sendo assim não escondendo um pouco de desapontamento.

 

7/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:42
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Nekas a 29 de Abril de 2010 às 20:35
Viu-se bem num Domingo de manhã no cinema...


Abraço
Cinema as my World (http://www.nekascw.blogspot.com/)


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

O pão de cada dia obriga ...

Critica - "Nós" não ficam...

Primeiras impressões: Us

Os patetas do costume

O meu Cinema é feito de M...

Maquilhagem americanizada...

Crítica: Marvel no nome, ...

Críticas: uma portuguesa,...

Primeiras reacções: Capta...

E os Óscares?

últ. comentários
Título do post muito criativo.
Legal o tema do post. Parabéns.
Aguardando. Blog bem legal!
Um luxo de actores num filme de lixo, repito LIXO....
Gostei muito da crónica. Vou acompanhar o seu blog...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
30 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs