Data
Título
Take
7.10.07

 

Real.: Hayao Miyazaki

Int.: Rumi Hiiragi, Miyu Irino, Takeshi Naitou

 

Chihiro, uma menina de dez anos vê-se encurralada num mundo fantástico onde desconhece, os seus pais foram transformados em porcos por uma bruxa que reina esse mesmo mundo e proprietária de uma casa de banhos, o qual Chihiro trabalha agora para poder sobreviver. Lá conhece Haku, o aprendiz da malvada bruxa que promete ajuda-la.

Vindo dos estúdios Ghibli donde pertence o veterano mestre da animação, Hayao Miyazaki, famoso pelos seus projectos televisivos de Heidi e Conan, O Rapaz Do Futuro e passado 5 anos depois da sua obra-prima cinematográfica The Princess Mononoke, As Viagens De Chihiro, sendo esse o titulo em português, além de ter as habituais reflexões ecológicas dadas pelo realizador que são transpostas através de imagens expressivas, o rico universo fantasioso como também a beleza da animação, fazem deste filme um verdadeiro sucesso, mostrando assim o rigor de Miyazaki têm nos seus projectos, tal como a alma e misticismo.

 

Temos porém que admitir que este universo é muito dependente á imaginação de Lewis Carroll ou das referências quase intactas do clássico de O Feiticeiro De Oz, sem que isso pese na imaginação do autor, mesmo que seja demasiado denso para ser fluido facilmente no espectador. A sua riqueza substancial é arbitrada pelas suas próprias regras, o desenho transmite essa bizarria, por vezes conseguindo mesmo surpreender (como sempre!). Mas na chegada do final, o resultado está muito longe do esperado.

A beleza gráfica é a sua forma de impedir as lacunas deixadas por um argumento demasiado pretensioso, complexo e sempre esquivo aos seus propositos, as emoções estão lá como também a sua sofisticação manual que afasta esta obra das inúmeras infinidades da Manga. Verdade seja dita, As Viagens De Chihiro é sempre uma escolha entusiasmante mesmo sabendo que poderia ir muito mais longe.

7/10

tags:

publicado por Hugo Gomes às 18:24
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Rafael a 13 de Outubro de 2007 às 00:02
Não sou fã de animes, mas esse filme eu recomendo. A história é cativante, mesmo sendo fantasiosa em demasia. Sem contar seu poder gráfico.


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Sempre iluminado!

«Vitalina Varela»: a noit...

Terminator: Dark Fate - o...

No Country for Old Women

«Il Traditore»: a máfia m...

Porquê ver Mutant Blast? ...

Quote #12: Ventura (Vital...

Feios, Porcos e Maus: epi...

Na Netflix, nem tudo é or...

Primeiras Impressões: «Te...

últ. comentários
escadas moduladas
receita de chicha morada peruana
Chamar uma desentupidora!
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
31 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs