Data
Título
Take
7.6.09

Mais valia não voltar!

 

Il’l be back”, frase que ficou celebrizada por Arnold Schwarzenegger, que por sua vez atingiu o estrelato com The Terminator (1984), uma visão apocalípto-futurista típica dos anos 80 realizado por James Cameron que atingiu o estatuto de culto graças a um argumento eficaz e um impressionante vilão, neste caso o já referido “Mr. Universe”. Mas foi em 1992 que Cameron e a sua equipa (a destacar o mestre dos efeitos especiais Stan Winston) atingiram o apogeu com T-2 / Terminator 2: Judgement Day, que graças a efeitos especiais sofisticados e não só, um sensação de upgrade dos elementos do capítulo anterior, tornou-se um grande sucesso de bilheteira que fora difícil repetir. Cameron deixou o projecto com a chegada do terceiro filme, cerca de dez anos depois, um desfecho de trilogia que desiludiu fãs e ofereceu-nos um Schwarzenegger mais preocupado em ser Governador da Califórnia que o característico andróide. Contudo, esse Terminator: Rise of the Machines abriu portas para a possibilidade de novas continuações, sendo que Salvation, o oportunista de tal "brecha", se comporta assim como o inicio de uma longa fasquia a estrear brevemente.

 

 

Se nos Terminators anteriores o conceito era praticamente o mesmo, um andróide vindo do futuro com intuito de exterminar John Connor, uma espécie de messias num futuro apocalíptico, este quarto filme apresenta uma básica narrativa donde encontramo-nos dentro do cenário que nunca fora revelado na sua totalidade, a prometida e decadente posteridade. Com isso temos uma sensação de repetição aos mais variados filmes de guerra ou de ficção científica dignas da mente Isaac Asimov, e o já cliché confronto entre humanos e máquinas que se faz sentir mesmo num ano em que o "mega-blockbusterTransformers 2 de Michael Bay encontra-se em vias de estrear.

 

 

Na cadeira de realização a escolha foi muito mais arriscada, MCG, para quem não o conhece foi o responsável pelos dois filmes de Charlie’s Angels (2000 – 2003), aquela hiperactividade em forma de videoclipp. Falando em hiperactividade, tal adjectivo define esta narrativa em que as cenas de acção, excessivas em CGI, sobrecarregam totalmente toda a trama, nesse aspecto MCG aprendeu com Michael Bay ao invés com James Cameron, que parece ter perdido qualquer tipo de esperança neste franchising. De certa forma a espectacularidade das sequências de acção são como compensações de um argumento básico e menos imaginativo, mas não por isso cativante, as referencias às fitas de Cameron são muitas e fáceis de deparar (já nem falo do Schwarzenegger em CGI), mas o espírito delas parece ter sido exterminado há muito.

 

 

Christian Bale interpreta John Connor, o actor que dá cara ao Batman nas novas versões de Christopher Nolan tem aqui um desempenho forte como herói do momento, contudo ofuscado pelo vazio substancial da sua personagem, tal sintoma também adquirido ao resto do elenco secundário (excepto Sam Worthington, que se esforça como um modelo mais sentimental de Arnold Schwarzenegger). Assim sendo temos Bryce Dallas Howard de regresso ao desperdício, Helena Bonham Carter segura o inicio mas possui mesmo sintoma que a primeira e Anton Yelchin não deslumbra como Kyle Reese. Quanto à banda sonora da autoria de Danny Elfman, esta é simbiótica para com o cenário de destruição. Tudo isto faz de Terminator Salvation um blockbuster com grandes doses de adrenalina e tudo o que se tem direito naquela categoria, transformando numa saga até certo ponto exemplar num aspirante aos mais sofisticados videojogos do momento. Veremos então o que os próximos capítulos nos darão.

 

"You and me, we've been at war since before either of us even existed. You tried killing my mother, Sarah Connor. You killed my father, Kyle Reese. You will not kill me."

 

Real.: McG / Int.: Christian Bale, Sam Worthington, Helena Bonham Carter, Bryce Dallas Howard, Anton Yelchin

 

 

A não perder – para quem não consegue esperar por Transformers 2

 

O melhor – as sequências de acção

O pior – o vazio do argumento e dos personagens

 

Recomendações – I, Robot (2004), Starship Troopers (1997), Transformers (2007)

 

 

Ver Também

The Terminator (1984)

Terminator 2: Judgment Day (1991)

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 16:29
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Gustavo a 11 de Abril de 2010 às 01:35
è um dos grandes filmes de 2009 na minha opinião, n está na linha dos dois primeiros mas é fabuloso, melhor que o 3 - sem duvida *


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Será o "bye bye" dos spin...

FEST exibe Todos Lo Saben...

Nadav Lapid estará no Cur...

A vida de Sammy Davis Jr....

Que caem as fronteiras en...

Pinar Toprak é compositor...

0%!! Gotti, filme de mafi...

Adrift (2018)

Eva (2018)

Primeiras imagens de «Won...

últ. comentários
Bel Ami: 3*A meu ver é fiel ao livro, gostei do qu...
Gritos 3: 5*Que filme excelente e fenomenal, adore...
Um dos meus favoritos 5*
Gritos 2: 5*Sidney, Dewey e Gale estão de regresso...
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs