Data
Título
Take
14.12.08

 

Real.: Steven Beck

Int.: F. Murray Abraham, Tony Shalhoub, Matthew Lillard, Shannon Elizabeth

 

 

O subtítulo deste filme poderia muito bem ser “o desabamento de F. Murray Abraham”, como factor mais característico deste filme “supostamente “ terror realizado por Steven Beck. O argumento roça o absurdo de um coleccionador excêntrico, Cyrus Kriticos (F. Murray Abraham) que iniciou uma colecção bizarra; fantasmas. E em conjunto com um médium (Matthew Lillard), desencadeia uma caça aos mais perigosos e assustadores espíritos de sempre. Durante a captura do seu 12º fantasma, Kriticos morre tragicamente, mas o seu legado não terminou, a sua herança é transmitida ao seu sobrinho, Arthur (Tony Shalhoub), um professor de um passado trágico com dois filhos, que irão hospedar na mansão de Cyrus por sua última vontade. A mesma mansão onde reside a excêntrica colecção de espectros.

Mais um remake de um clássico do terror, neste caso o pouco conhecido 13 Ghosts de William Castle (1960) que foi produzido em 3D na altura, Thirteen Ghosts resume-se apenas a mais um exemplo da decadência de um género nos inícios do século XXI. Trata-se de um filme cuja prioridade é o estético e de terror apenas graficamente, já que de psicológico é praticamente nulo, o argumento e a concepção das personagens deixam muito a desejar aquando numa câmara perita em toques á la MTV. F. Murray Abraham, o vencedor do Óscar de Melhor Actor em Amadeus de Milos Forman (1984), nunca mais foi o mesmo depois desta experiencia pouco aplaudível. Talvez Tony Shalhoub e Matthew Lillard aspiram a algum esforço, mas nada compensa o enfadonho que é as outras personagens e quanto mais um rol de fantasmas halloweenescos.

As pessoas me perguntam porque é que continuo a ver filmes deste tipo, que já sei que coisa boa não é, a minha resposta é que o terror é algo leve e neste caso pouco cerebral, o qual ajuda a passar momentos incrivelmente monótonos. O filme é lixo, mas aviso desde já que é digestível, tendo alguns toques de humor, quer voluntário, quer involuntário. Um conselho de amigo, se existir outra opção para além deste para uma noite de cinema de terror, é sempre bem-vinda.

O melhor – os gráficos e a ênfase estética

O pior – montagens rápidas e psicadélicas sob a “queda” de F. Abraham Murray

 

Recomendações – Ghost Ship (2002), The Haunting (1999), The Frighteners (1996)

 

4/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 19:42
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Braço de Ferro em Cannes,...

Yomeddine (2018)

Todos lo Saben (2018)

Os sentimentos de um louc...

Cannes arranca com segred...

Morreu Ermanno Olmi, o ve...

I'm here ... again!

Conheçam os vencedores do...

Mais pormenores sobre o n...

Novo trailer de Ant-Man a...

últ. comentários
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
É já de domínio público que João Botelho adaptou, ...
O sr deve apanhar cada seca no cinema. Nunca conte...
Tomb Raider: 4*Este é um blockbuster bem conseguid...
Mas, sendo este caso Woody Allen já tão antigo, po...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs