Data
Título
Take
25.7.07

 

Real.: Roland Emmerich

Int.: Dennis Quaid, Jake Gyllenhaal, Ian Holm, Emmy Rossum

 

 

O planeta Terra encontra-se descontrolado, a Humanidade está ameaçada por uma ameaça bem real, a vinda de uma nova Idade Do Gelo. Jack Hall (Dennis Quaid), um meteorologista, o previu, mas foi ignorado pelas autoridades públicas. Porém sua teoria é discutida quando começam a testemunhar fenómenos bizarros como nevões em locais tropicais e temperaturas demasiado baixas para ser verdade.

Roland Emmerich é famoso pelas bandas de Hollywood, mas artisticamente não é lá muito respeitado, sim ele realiza alguns grandes exitos de bilheteira como o Independence Day (1996), contudo a sua carreira têm sido marcada por fracassos de bilheteira. Os seus filme são caracteristicos por  revelarem uma  enfase pipoqueira inconsequente e diálogos “extraordinários”, efeitos especiais em demasia tal como o seu factor patriota. Falando em patriota não esquecemos de outro filme de Emmerich, que aliás foi um dos referidos fracassos de bilheteira como de crítica, The Patriot com Mel Gibson, e é melhor não falarmos do remake de Godzilla, é melhor não irmos por ai.

Mas ao contrario dos três filmes referidos, este Day After Tomorrow é uma bela surpresa, principalmente vindo do realizador que é, uma sólida aventura que aposta no desenvolvimento das personagens, realista (com alguns abusos mas não tantos como Independence Day), efeitos especiais do mais exemplar que há e ainda temos direito a uma moral de historia naquela destruição toda (só visto esse factor de tipico politicamente correcto). Com certeza não é um filme 100% original, a intriga é do mais básico e eficaz que há, as personagens são do mais estereótipo (mesmo com uma melhor concepção das mesmas por parte do "autor"), mas o filme de Emmerich traz a nós alguns momentos únicos que chegam a ser emocionantes presentes em varios diálogos nas personagens.

Felizmente este é o perdão de Emmerich pelos espectadores angustiados por Godzilla (eu fui), este é um sólido blockbuster com alguns toques de filme familiar que certamente ressuscitou o conceito de fita-catástrofe, ultimamente muito prejudicado. Existem boas intenções, mas que são ofuscadas pela mestria das cenas de destruição e dos efeitos especiais.

 

 

7/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:32
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Braço de Ferro em Cannes,...

Yomeddine (2018)

Todos lo Saben (2018)

Os sentimentos de um louc...

Cannes arranca com segred...

Morreu Ermanno Olmi, o ve...

I'm here ... again!

Conheçam os vencedores do...

Mais pormenores sobre o n...

Novo trailer de Ant-Man a...

últ. comentários
Para mim é um dos melhores estreados em 2018, amo ...
É já de domínio público que João Botelho adaptou, ...
O sr deve apanhar cada seca no cinema. Nunca conte...
Tomb Raider: 4*Este é um blockbuster bem conseguid...
Mas, sendo este caso Woody Allen já tão antigo, po...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs