Data
Título
Take
6.8.07

Jurassic_Park_3_poster.jpg

A catástrofe de Pangeia!

 

A verdade é que The Lost World deu dinheiro, e muito (mais de 600 milhões de dólares), sendo inevitável que os produtores não desistissem facilmente do franchising, mesmo que Steven Spielberg abandone o leme. Para o seu lugar surge-nos Joe Johnston, também ele habituado a criaturas digitais e a tiques de cinema familiar após Jumanji, porém, é na substituição que os grandes problemas deste Jurassic Park são assim levantados. O público parece associar a saga com o realizador original e qualquer afastamento transforma desde início numa repulsa. “Se não é de Spielberg já não é a mesma coisa”, diria instintivamente um espectador, hesitando de escolher Jurassic Park III como o seu eventual serão.

jp3c.jpg

Mesmo trazendo de volta Sam Neil, que se encontrava ausente desde The Lost World, o filme pavoneia com um argumento fraco e repetitivo, salientado ideias mas sem nunca explora-las devidamente. Entre elas as referências às teorias de selecção natural exercidas por Charles Darwin, é que supostamente as criaturas pré-históricas estão a evoluir, mas nada é evidenciado, somente a substituição do holofote, porque ao invés do T-Rex como o predador dominante, temos um novo dinossauro para preencher os pesadelos dos nossos “aventureiros”. Mas esse argumento afecta em toda esta “curta” aventura, atropelada por obstáculos e cada vez irrealistas dinossauros tecnológicos, e o pior é que as atitudes dos novos “sobreviventes” tem muito o que se diga, risíveis como se fosse o bando mais “idiota” possível a perder-se numa ilha cheia de famintos animais de porte colossal.

jurassic-park-world-3-iNerds.jpg

Depois disto são as inverosimilhanças, as sequências involuntariamente cómicas (os pesadelos com raptores são exemplos mais que evidentes) e a dominação dos CGI e o abandono visível das “marionetas” de Stan Winston. Jurassic Park III perde todos os seus elos, a inteligência de Michael Crichton, assim como o toque entusiástico de Spielberg, o que sobra é um exemplar convergente, inconsequente e apto para integrar nas mais variadas silly seasons. A extinção de um franchising está cada vez mais iminente.

 

"Great, just great. We're in the worst place in the world and we're not even being paid."

 

Real.: Joe Johnston / Int.: Sam Neil, Laura Dern, William H. Macy, Téa Leoni

 

jurassicpark3.jpg

 

Ver Também

Jurassic Park (1993)

The Lost World (1997)

4/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 12:41
link do post | comentar | partilhar

1 comentário:
De Rafael a 12 de Agosto de 2007 às 23:42
Ótimo filme para os fãs e para quem quer ver efeitos gráficos e ação, embora a história não me agradou tanto quanto aos seus predecessores.


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Sempre iluminado!

«Vitalina Varela»: a noit...

Terminator: Dark Fate - o...

No Country for Old Women

«Il Traditore»: a máfia m...

Porquê ver Mutant Blast? ...

Quote #12: Ventura (Vital...

Feios, Porcos e Maus: epi...

Na Netflix, nem tudo é or...

Primeiras Impressões: «Te...

últ. comentários
escadas moduladas
receita de chicha morada peruana
Chamar uma desentupidora!
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
31 comentários
25 comentários
20 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
SAPO Blogs