Data
Título
Take
5.7.15

Exterminador Implacável - O Dia do Julgamento.jpg

A arte do cinema de acção! O modelo aperfeiçoado!

 

Vindo do futuro, James Cameron parece ter feito "upgrade" aos seus então erigidos códigos de cinema de acção. Tal como havia feito num franchise "emprestado", Alien, de Ridley Scott, transformando-o numa musculosa sequela que fora Aliens (1986 - que por cá obteve o subtítulo de Reencontro Final), Cameron volta a casa, mais precisamente, à ficção cientifica que havia concretizado em 1984 (The Terminator) e constrói um enredo digno de nota, a acção cinematográfica merecedora de registo poético e acima de tudo do estatuo de espectáculo, o filme-evento que hoje em dia perdemos .

 

terminator-2-liquid-metal-robot.jpg

 

Depois de ter catapultado o "Mister Universe" para o estrelato lá para os lados de Hollywood (Arnold Schwarzenegger), o cineasta remexe nos modelos contraídos em The Terminator e oferece-nos uma "faca de dois gumes" quanto ao seu conceito de "continuação". Utilizando as viagens de tempo como argumento necessário para estas novas possibilidades de exploração, Terminator 2 é "bigger and louder", mas nem por isso menos sóbrio, aliás consegue incutir uma humanização acentuada nas suas personagens, inclusive na inesperada relação entre o messiânico John Connor (aqui Edward Furlong a motivar a personagem) e o seu anterior assassino e antagonista, o Terminator que é Arnold, a servir do mais perfeito anti-herói dos anos 90. A sua ligação tem de paternal como fraternal, e essa mesma afectuosidade serve como apelo para os preceitos frenéticos que Cameron implemente, aliás nem tudo são "bonecos para destruição", existindo sim, um verdadeiro objectivo, uma humanidade a ser preservada, e melhor, personagens para que o espectador possa preocupar nestes trilhos apocalípticos.

 

Terminator-2-Wallpaper-5.jpg

 

No seio desta corrida contra ao tempo - impedir um derradeiro evento futuro, apelidado de Dia do Julgamento, de ocorrer - encontramos um vilão formidável, T-1000, um Robert Patrick tão inexpressivo como qualquer máquina industrializada, tecido pelos melhores efeitos visuais da altura (sendo deslumbrantes ainda hoje) e pelo rico trabalho prático de Stan Winston (também ele designer da imagem do dito Exterminador), que se concentra como a pura raiz do mal, frio e calculista, ausente de carisma humanizada. Um jogo de gato e rato complementado com uma das mais cobiçadas heroínas do nosso tempo, Sarah Connor, uma Linda Hamilton que dá lições de emancipação feminina aos tempos actuais, demonstrado o quão possível que é uma mulher protagonizar a acção ao lado dos ícones do género. Relembramos que James Cameron é um dos autores desta inserção da imagem da Mulher no panorama da acção, visto que havia cinco antes [Aliens] pegado nos "rascunhos" deixados por Ridley Scott e definir Ellen Ripley (Sigourney Weaver), no mais perfeito modelo de "mulher de armas" desde então.

 

t2.jpg

 

São estes os ingredientes que nos levam, literalmente, à loucura numa jornada com o pé constantemente pressionado no pedal do acelerador. Pois é, com sequências de pura acção que ficaram para a História, uma heroína inesquecível, cúmplice de um anti-herói imitado vezes sem conta e um vilão que nos faz temer, a não esquecer de uma intriga astuta, avassaladora e envolvente sem nunca vergar pelo ridículo ou a pura risibilidade. Eis um modelo acima do anterior The Terminator, este T-2, como é carinhosamente chamado, assume-se como uma pequena "peça de arte" no sistemático regime do entretenimento cinematográfico. Incrivelmente um dos filmes mais entusiásticos da sua década (e uma das suas mais conhecedoras influências), a provar que James Cameron deveria licenciar cursos de como fazer sequelas, e como deveria ter, com todo o respeito, estabelecer o estatuto de artesão do cinema de acção, talvez um dos maiores da sua classe. Terminator 2: Judgment Day bem poderia funcionar como o brinquedo jubilante para autores como Philip K. Dick ou Isaac Asimov, enquanto isso cai na apropriação no cinema mais circense, porém, bom pedaço de circo.

 

"Hasta la vista, Baby"

 

Real.: James Cameron / Int.: Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Edward Furlong, Robert Patrick, Xander Berkeley, Earl Boen, Joe Morton, S. Epatha Merkerson

 

Terminator 2 - 2.jpg

 

Ver Também

The Terminator (1984)

Terminator Salvation (2009)

9/10

publicado por Hugo Gomes às 17:33
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO