Data
Título
Take
30.1.15

--jXPo_ltn-O1VbBW2XDJNDqOBv-B3rWVL-0EgVbj1oDavmV8i

Arranca amanhã, dia 31 de Janeiro, a segunda edição do PLAY: Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa, o qual poderemos contar com uma semana inteira de diversão e muito cinema direccionado para os mais novos, como também possível ser partilhado pelos mais graúdos. Depois de uma bem sucedida inauguração em 2014, o festival foi visto por mais de 6000 espectadores, o PLAY aposta numa programação mais ambiciosa, diversificada e especializada em alimentar o "bicho cinéfilo" dos mais jovens, ao mesmo tempo garantindo-o a entretenimento procurado. Serão apresentados mais de cem filmes, incluindo uma vasta gama de curtas-metragens, correspondentes aos quatro cantos do Mundo, divididos entre acção real e animação, todos eles de produção recente.

 

maxresdefault.jpg

 

O festival, tal como sucedera no ano passado, demonstra uma preocupação em especializar cada obra cinematográfica para as respectivas idades aconselhadas, de forma a alimentar o intelecto destas, assim como satisfazer as suas necessidades. Neste campo destaca-se curtas como a de Dice Tsutsumi e Robert Kondo, O Guardião da Barragem (The Dam Keeper), que se encontra entre os nomeados ao Óscar de Melhor curta-metragem de animação, o brasileiro Cabeça de Papelão (Quiá Rodrigues), o considerado Melhor Filme de Animação no Grande Prémio Cinema Brasil em 2013. Baseado num livro de João do Rio, esta pequena produção funciona com uma sátira à auto-estima e aos padrões instalados da sociedade que afectam as minorias e as singularidades individuais. A não perder, é a curta Uma Corrida (Beach Flags, Sarah Saidan), uma produção francesa que esboça uma jovem iraniana que compete na competição internacional de nadadora-salvadora na Austrália, um dos exemplos que evidencia a preocupação do festival em expor uma diversidade cultura e temática para as suas audiências.   

 

copito.jpg

 

O mesmo sucede com a mostra de longas-metragens, o PLAY exibirá três longas-metragens inéditas no nosso país, contando como sessão de abertura a produção espanhola Floco de Neve (Copito de Nieve, André G. Schaer), um misto de animação e acção que tem como base a real história do falecido gorila albino do Zoo de Barcelona, Floco de Neve. A co-produção dinamarquesa e sueca, Resan till Fjaderkungens Rike (Um Outro Mundo, Esben Toft Jacobsen), que esteve presente na secção Generations do Festival de Berlim do ano passado, nos remete uma história de procura pelos entes queridos em mundo fantásticos. E por fim, não menos importante, a produção checa O Tigre Azul (Modry Tygr, Petr Oukropec).

 

V25812_landscape_GE.jpg

 

Ateliers e masterclasses é que não faltará nesta segunda edição, entre os quais o de Criação de Marionetas que será coordenado por Georgina Hayns, supervisora criativa no laboratório de marionetas da Laika Films, tendo trabalhado anteriormente com o cineasta Tim Burton nos filmes The Corpse Bride e Mars Attack!. No âmbito da sua presença, o PLAY exibirá duas obras de êxito do estúdio Laika Filmes, estes são The Boxtrolls e Coraline. Os ateliês Ruidagem e Ver um Filme com o Argumentista regressarão para mais uma edição, o primeiro com o antropologista Pedro Sabino, um espaço de criação de sons para imagens existentes, e o segundo com o argumentista Vergilio Almeida que falará da sua obra, Papel de Natal (José Miguel Ribeiro). Por sua vez, o artista Nuno Bernardo conduzirá dois ateliês; Hoje vou Animar-me!, sobre as fases metamórficas que compõem um filme, e O Tempo aos Pedaços, um exercício de relacional entre tempo e narrativa.

 

PapelNatal.jpg

 

Para alimentar a veia mais cinéfila dos espectadores, o PLAY com parceria da Cinemateca-Portuguesa Museu do Cinema irá reconstituir uma sessão de cinema dos primeiros "passos" de vida da 7ªArte, pouco tempo depois da primeira sessão pública dos irmãos Lumiére, que decorreu num café de Paris no dia 28 de Dezembro de 1896. Em tributo ao nascimento do Cinema, esta sessão especial que decorrerá no Palácio da Foz, com acompanhamento de  piano, apresentará quatro filmes de teor "fantástico" que datam esses primórdios tempos, antecedidos por um reconstituição da mencionada primeira sessão. Os filmes seguintes são duas obras de George Méliès, o pai da narrativa cinematográfica (Cendrillon, À la Conquête du Pôle), e do menos conhecido, Segundo de Chómon (Excursion Dans la Lune, Le Grotte des Espirits). Encerra com a primeira curta-metragem de Charles Chaplin, Easy Street (Charlot na Rua da Paz).  

 

PLAY, Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa acontecerá no Cinema de São Jorge nos dias 31 a 8 de Fevereiro. Para mais informação sobre a programação e actividades, ver aqui.

 

excursion-dans-la-lune-segundo-de-chomon1.jpg

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:10
link do post | comentar | partilhar

31.1.14

 

George Méliès criou a narrativa para o cinema e com isso uma possibilidade infinita de contornar a realidade, originar histórias e fantasiar novos mundos como novos olhares. A verdade "fábrica dos sonhos" segundo os mais apaixonados apreciadores desta arte, mais do que uma indústria o qual tem vindo a ser cada vez mais anexada. E talvez devido a essa sedutora conexão com o espectador, o cinema tem adquirido um "afecto" fascinante para com os mais novos, o mais próximo do onírico e das fantasias que só eram possíveis na imaginação de qualquer criança. Seguindo esses pontos de vista que glorifica a existência da 7ª Arte, eis que é criado o PLAY, o primeiro Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa, um espaço criado com fins de despertar o "bichinho" cinéfilo nas crianças e garantir-lhes pedagogia e lazer em simultâneo.  Após um ano a batalhar para manter viva esta ideia, a Tecla Play Associação Cultural conseguiu por fim trazer a Lisboa, mais concretamente ao incontornável Cinema de São Jorge, a primeira edição do PLAY, que irá decorrer nos dia 1 a 9 Fevereiro.

 

 

É uma selecção reflectida de mais de 100 obras altamente recomendáveis para os mais novos e não só, os graúdos também têm a oportunidade de desfrutar (o festival contará com parceria com o FICI- 11º Festival Internacional de Cinema Infantil e em especial a Selecção Especial Brasil). Onde cada sessão encontra-se devidamente classificada com a faixa etária a ser recomendada e respondendo às suas necessidades pedagógicas, que vai desde idades compreendidas dos 1 até aos 13 anos. A programação do PLAY será integrado maioritariamente por sessões de curtas-metragens vindas dos quatros cantos do Planeta, pequenas propostas de imaginação e criatividade que irão de certo fazer sonhar os mais novos e fascinar os amantes do cinema em geral. Quanto às longas-metragens, a PLAY irá apresentar 8 obras distintas, entre as quais, e em destaque, a antestreia da nova adaptação do amado conto infantil, O Meu Pé de Laranja Lima de Marcos Bernstein e o desafiante David de Patrick Daly, que nos remete à amizade de uma criança islâmica com um grupo de jovens judaicos.

 

 

Outras secções paralelas e actividades apelativas do festival é Ruidagem, um ateliê de experimentação cinematográfica e sonora, orientado por Pedro Sabino (Baptista), que tem como intuito despertar a liberdade artística e audiovisual nas crianças. O objectivo desta secção é propor à criança o preenchimento de sons e música num filme mudo amador realizador por Luís Filipe Baptista. Outras experiências a reter são o Ver um Filme com um Realizador, onde o cineasta João Nicolau exibe e fala sobre a sua curta Gambozinos, ou Ver um Filme com um Crítico, onde o jornalista da Time Out, Luís Salvado, remete o espectador a uma análise critica de uma obra visualizada.  Por fim temos Entre Livros e Filmes, um debate com parceria LEYA, ESCRIT’ORIO editora, onde encontrarão presentes os autores Afonso Cruz, Alexandre Honrado, André Letria, David Machado, José Fanha (moderador), José Jorge Letria e Possidónio Cachapa, que discutirão sobre o relacionamento do cinema com a literatura e razão das adaptações cinematográficas.

 

 

Relembro que o PLAY, Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa decorrerá no Cinema de São Jorge nos dias 1 a 9 de Fevereiro, eis a promessa de um espaço único, recheado de diversão e originalidade que encantará não somente as crianças, mas que sobretudo demonstrará que o cinema é moldável e versátil para qualquer idade. A não perder.

 

Mais sobre a informação do Festival Internacional de Cinema Infantil & Juvenil de Lisboa, ver aqui.

 

 

 

Ver Também

PLAY - Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa Precisa de Ajuda

 


publicado por Hugo Gomes às 20:00
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Vem aí o PLAY, o 2º Festi...

Vem aí o PLAY, Festival I...

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO