Data
Título
Take
21.3.17

pjimage (3).jpg

Paul Vecchiali, realizador e produtor francês conhecido pela sua irreverência, e Jem Cohen, prolifero cineasta norte-americano, serão homenageados na próxima edição do IndieLisboa na categoria de Heróis Independentes.

O primeiro contará com uma longa retrospectiva a ser projetada na Cinemateca-Portuguesa Museu do Cinema. Tal será composta por algumas das suas mais importantes obras, incluindo o seu mais recente trabalho, Le Cancre, que fora exibido no Festival de Cannes em 2015, numa Sessão Especial. Conhecido pelo carácter provocador e a sua natureza polivalente, para além de realizador e produtor (destaca-se a sua colaboração com os primeiros anos de Jean Eustache), Vecchiali contribui com alguns, mas importantes artigos, para a Cahiers du Cinema.

Em relação a Jem Cohen, o Indielisboa sempre manteve uma relação intima e atenta para com a obra deste artista que conta com mais de 70 trabalhos, desde longas a curtas, instalações e fotografias, todos eles marcados por uma veia indie, que o festival tem vindo apoiar desde os primórdios da sua existência.

Indielisboa chegará a partir do dia 3 de Maio, prolongando-se até 14 do mesmo mês.
 
 
 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 16:32
link do post | comentar | partilhar

18.3.17

tumblr_m62v6jtiqj1rx8ji7o1_1280.png

Suspiria é hoje tido como uma das obras-primas do mestre do cinema de terror italiano Dario Argento, e uma das suas principais particularidades é a paleta de cores utilizada, auferindo ao filme um tom plástico e berrante. Contudo, a nova versão irá afastar-se desse mesmo tom visual, e quem o garante é o realizador, o também italiano Luca Guadagnino (I am Love).

 

Segundo Guadagnino, o remake de Suspiria (cuja a rodagem encontra-se finalizada desde o ano passado) tentou afastar-se do célebre filme de Argento, constituindo-se como uma visão própria. O realizador adiantou que o seu filme terá como temáticas "a culpa e a maternidade. Não possuirá as cores primárias na sua paleta, tal como o original" e "será frio, maléfico e muito negro".

 

dormitory-hallway.jpg

 

Recordamos ainda que Chloe Moretz Grace será a protagonista, e Dakota Johnson, Mia Goth, Tilda Swinton e Jessica Harper (protagonista do original) completarão o elenco. Suspiria remete-nos a uma conceituada escola de dança que recebe uma jovem bailarina americana. Durante a sua estadia, fenómenos bizarros e assassinatos macabros ocorrem por dentro e por fora das paredes da Academia.

 

O original de 1977 foi o primeiro filme de uma trilogia que Dario Argento apelidou das "Três Mães", que fora posteriormente completado com Inferno (1980) e Mãe das Lágrimas: A Terceira Mãe (2007). A nova versão estreará ainda este ano. De momento não existe data de estreia.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 01:07
link do post | comentar | partilhar

16.3.17

5751.jpg

Com cinco cidades em simultâneo, a Festa do Cinema Italiano chegará com esta 10ª edição na sua mais pujante força. para além de Lisboa, junta-se as cidades de Almada, Coimbra, Porto e Setúbal na partilha desta programação, embrulhada em promessas de trazer o melhor do cinema italiano recente, assim como invocar às mais perpetuas memórias cinematográficas.

 

foto-le-confessioni-7-high-h_2016.jpg

 

O filme de Marco Bellocchio, Sweet Dreams, foi o escolhido para abrir esta festa nostra no dia 5 de Abril, uma mostra que se prolongará até dia 13, tendo como desfecho o In Guerra Per Amore, de Pierofrancesco Diliberto. Entre as grandes novidades da secção Panorama conta-se os dois novos trabalhos de Roberto Andó (Le Confessioni - Políticos Não se Confessam) e Paolo Genovese (Perfetti Sconosciuti - Amigos, Amigos, Telemóveis à Parte).

 

113707-hd.jpg

 

Serão seis os filmes presentes na habitual secção Competitiva, uma mostra repleta de novos nomes do cinema italiano e alguns ascendentes neste ramo. Já na Altre Visioni, dedicado ao cinema mais experimental e desafiante, teremos à nossa mercê quatro longas-metragens que melhor definem a maleabilidade da linguagem cinematográfica. A juntar ao já acostumado esquema de programação, as secções Il Corto (curtas-metragens), Piccolini (cinema de animação, este ano com o apoio da Monstra), e como não poderia deixar de ser, Amarcord, dedicado aos grandes clássicos de Itália.

 

image-239643-galleryV9-jufn-239643.jpg

 

Neste último espaço, as novidades são imensas. O ciclo Dino Risi, um dos génios da comédia, o qual será composto por 10 longas-metragens, incluindo o unanimemente aclamado e famoso Il Sorpasso - A Ultrapassagem. Ainda, a reposição numa cópia 4k da obra-prima de Dario Argento, Suspiria, que à imagem do 8 1/2 , de Fellini, do ano passado, encontrará lugar nas salas UCI Corte-Inglês durante todo o festival. Por fim, outro clássico popular do cinema italiano, Trinitá, o Cowboy Insolente, com a dupla Bud Spencer (falecido ano passado) e Terence Hill a protagonizar esta fusão entre western spaghetti e comédia slapstick.

 

55354_ppl.jpg

 

Mas a Festa do Cinema Italiano não é apenas uma mostra de filmes, o festival será palco de um encontro entre produtores portugueses e italianos  com vias de lançar novas parcerias entre os dois países. A iniciativa, organizada pela associação Il Sorpasso, tem a colaboração do ICA, o MiBACT - Direzione Generale Cinema e a ANICA.

 

perfetti-sconosciuti.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:22
link do post | comentar | partilhar

lpedragosa37634980-kleber-mendoca170311202921-1489

O realizador de Som ao Redor e Aquarius, Kleber Mendoça Filho, vai presidir o júri da próxima Semana da Crítica de Cannes. Contando agora com a sua 56ª edição, a Semana da Crítica contará ainda com a produtora e directora artística do Festival de Cartagena, Diana Bustamante Escobar, o chefe de reportagem do site Indiewire, Eric Kohn, directora do Cinema Metropolis, o primeiro cinema arthouse do Líbano, Hania Mroué e o actor Niels Schneider como jurados.

 

Recordamos que a Semana da Crítica, secção paralela do Festival de Cannes, é dedicado à promoção de novos talentos do cinema, exibido uma mostra composta por primeiras e segundas obras.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 16:36
link do post | comentar | partilhar

13.3.17

2149_3509-2.jpg

O cineasta tailandês, Apichatpong Weerasethakul (Cemetery of Splendor), irá estar na Colómbia por mais de dois meses, em pesquisa para o seu novo filme. O vencedor da Palma de Ouro por Uncle Boonmee Who Can Recall His Pasts Lives pretende filmar o seu próximo projecto no país sul-americano, passando pelas regiões de Bogotá, Medellín, Cali e Choco, destinos que concretização, de certa forma, a sua obsessão pela América Latina.


Em declaração à The Hollywood Reporter, o realizador afirmou que deseja conhecer toda a história de violência ocorrida no país, e com base disso, reflectir sobre ele. Weerasethakul ainda comentou sob o forte clima politica e a censura da Tailândia, que permanece desde o Golpe Militar de 2014. Frustado, revelou que de momento é impossível trabalhar no país como artista, sendo que o regime olha para este meio como propaganda. "Por exemplo, dois artistas de teatro estiveram na prisão durante dois anos porque fizeram algo que o governo considerou um insulto à monarquia - é toda sobre a interpretação [da arte]. É realmente como o 1984. "

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 14:48
link do post | comentar | partilhar

11.3.17

terrence-malik.png

Foto: REX/SHUTTERSTOCK

 

É sabido que o mais recente filme de Terrence Malick, Song to Song, foi a abertura escolhida para a mais recente edição do South by Southwest (SXSW), um dos maiores eventos do mundo a unir cinema, música e tecnologia, a decorrer em Austin, Texas. A nona longa-metragem de um dos mais enigmáticos realizadores da actualidade, une a natureza musical da cidade com as relações amorosas dignamente "malickianas", temas que tão bem coincidem com os propósitos do festival.

 

Contudo, a grande notícia do evento, foi mesmo a aparição de Malick perante o grande público. O realizador participou numa mesa redonda ao lado do seu protagonista Michael Fassbender, tendo como moderador Richard Linklater, onde falou sobre o seu filme. "Não se pode viver em Austin e escapar à música", declarou o realizador em relação à produção desta obra na cidade texana. Conhecido como um cineasta reservado, que se recusa a dar "cara" à imprensa e a promover as suas próprias obras, isto durante décadas. Como tal, a presença de Terrence Malick foi recebida entre um sentimento de euforia e de insólito.

 

song_to_song_crop_promoxlarge2_CROP_promo-xlarge2_

 

Lembro-me sempre de sentir timidez, porque é difícil projectar-mos  para o presente” referiu, quando confrontado com a contemporaneidade de Song to Song. “Eu penso que ao fazer um filme contemporâneo, reflectimos sobre as imagens que não foram utilizadas em publicidade … e a conclusão que chegamos é que existem muitas imagens de hoje como havia no passado” Na conversa a três, Linklater mencionou os últimos três filmes de ficção de MalickTo the Wonder, Knight of Cups e agora Song to Song, para depois questionar esse curto espaço de tempo na concretização das suas obras, um factor que o realizador parecia não usufruir do passado. Malick afirmou que presentemente estaria a preparar uma nova abordagem na sua cinematografia, e que a vinda do digital tornou a sua tarefa mais fácil, eficaz e oportuna para filmar como bem lhe apetecer. “Hoje, com a mais moderna tecnologia, podemos filmar bastante em 40 dias.

 

Malick ainda admitiu que o primeiro "cut" de Song to Song tinha cerca de oito horas de duração: “Levou-me bastante tempo a cortar e a ter uma duração maleável … tínhamos bastantes filmagens para contar a história em diversas perspectivas”. A conversa continuou até chegar ao modus operandis de Malick, que fora sempre acusado de explorar e experimentar durante o ato de rodagem: "tenho problemas em trabalhar com coisas demasiado preconcebias, como storyboards."

 

O SXSW vai decorrer até ao dia 19 de MarçoSong to Song tem estreia prevista para Abril no nosso país. 

 

STS_FP_005_R.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 20:04
link do post | comentar | partilhar

26.2.17

bill-paxton-smile-desktop-wallpaper-59172-60956-hd

Morreu Bill Paxton, actor conhecido por filmes como Titanic, Aliens e Simple Plan, não sobreviveu a um procedimento cirúrgico. Tinha 61 anos.

 

"It's gamer over, man. It's game over" uma das frases mais emblemáticas da segunda tomada de Alien, e que pertence a um dos actores mais requisitados de James Cameron. Nascido a 17 de Maio de 1955 em Fort Worth, no Texas, Paxton arrancou na sua carreira cinematográfica como figurinista na New World Pictures de Roger Corman. A sua primeira longa-metragem foi Stripes (1981), com um pequeno papel ao lado de Bill Murray e John Candy, depois seguiu-se o terror Night Warning (1982), The Lord of Discipline (1983), a adaptação de William S. Burroughs, Taking Tiger Mountain (1983), e Streets of Fire (1984).

 

tumblr_ln6ffgOAbk1qjb2cw.jpg

 

Em 1984, surge a sua primeira colaboração com Cameron, onde o actor desempenhou um delinquente punk em Terminator, a dupla regressa passados 2 anos, com Aliens. Outras colaborações foram com True Lies (1994) e, com um papel mais relevante, em Titanic (1997).

 

Outros filmes importantes da sua carreira são Predator 2 (1990), Tombstone (1993), Apollo 13 (1995), Twister (1996), A Simple Plan (1998), Vertical Limit (2000) e a série televisiva da Marvel, S.H.I.E.L.D. Entre os trabalhos que deixa ainda por estrear encontra-se O Círculo, um thriller de ficção cientifica onde desempenha o papel de pai de Emma Watson.

 

Bill Paxton (1955 - 2017)

 


publicado por Hugo Gomes às 15:59
link do post | comentar | partilhar

25.2.17

batman-lego-1200x630.jpg

Diversos grupos Anti-LGBTQ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros, e Queers) tem-se revoltado contra a mais recente incursão cinematográfica da LEGO. O filme The LEGO Batman tem sido acusado de possuir propaganda pró-gay.   

 

Todo este aparato começou com um crítico da Voice of Family, um site católico direccionado à preservação dos valores familiares conforme a crença cristã. Este crítico, John-Henry Western, afirmou que o filme era regido por diversos elementos homossexuais. De seguida, Michael Hamilton, da PJ Media, inúmera os respectivos elementos, como os gags que remexem na rivalidade entre Batman e Joker serem plenos de homoerotismo. A sequência onde Robin, após ter sido adoptado por Bruce Wayne, mas que, desconhecendo o seu alter-ego, aclamando radiosamente ter "dois pais", é vista como uma promoção à "adopção gay".  

 

Apesar da comoção, The LEGO Batman é já um dos maiores êxitos da primeira temporada de 2017, arrecadando, até ao momento, mais de 180 milhões de dólares e superando a sequela de Fifty Shades of Grey (Cinquenta Sombras de Grey) em território norte-americano. 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

tags:

publicado por Hugo Gomes às 13:57
link do post | comentar | partilhar

24.2.17

160922-002.jpg

O thriller sul-coreano The Age of Shadows (A Idade das Sombras) abre a selecção oficial do 37º Fantasporto: Festival Internacional de Cinema do Porto, uma edição que visa em apostar fortemente no cinema asiático e argentino.

 

O filme de abertura é exemplo dessa mesma aposta cultural, uma obra de espionagem que transporta o espectador para os anos de 1920, numa Coreia sobre o domínio japonês, e uma resistência que surge nas sombras com o intuito de proclamar a sua liberdade. Dirigido por Kim Jee-Woon, um nome não desconhecido para qualquer cinéfilo atento à produção oriental (o responsável pelo culto de I Saw the Devil, A Tale of Two Sisters e The Good, the Bad, the Weird), concede um filme de grandiloquência técnica e rigor na reconstituição histórica. Foi o candidato sul-coreano aos Óscares.

 

A decorrer até dia 4 de Março no Teatro Rivoli, o Fantasporto orgulha-se de presentear o público com as mais recentes novidades do cinema fantástico, assim como cinema português. No leque nacional, contaremos com as antestreias de A Ilha dos Cães, de Jorge António, o último trabalho do actor Nicolau Breyner no grande ecrã; Comboio de Sal e Açúcar, de Licinio Azevedo; e A Floresta das Almas Perdidas, de José Pedro Lopes, um raro exercício de terror no nosso panorama cinematográfico. O filme, livremente baseado numa floresta japonesa com alto índice de suicídios, transcreve a melancolia e o infortúnio como patologias psicóticas.  

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 18:53
link do post | comentar | partilhar

23.2.17

16976175_10208266920807560_262858360_n.jpg

Cinzento e Negro, de Luís Filipe Rocha, foi o filme mais nomeado à edição 2017 dos prémios Sophia, atribuídos pela Academia Portuguesa de Cinema. Com 13 nomeações, a obra é acompanhada na indicação a Melhor Filme por Cartas da Guerra (10 nomeações), A Mãe é que Sabe (11 nomeações) e Estive em Lisboa e lembrei de você (2 nomeações).

 

A divulgação dos nomeados, que esteve a cargo de Soraia Chaves e Albano Jerónimo, antecedeu a cerimónia de entrega dos Prémios Sophia 2017 que decorre no dia 22 de Março, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa

 

O actor Ruy de Carvalho será laureado com o Sophia de Excelência e Mérito, o segundo entregue pela Academia. Recorda-se que o primeiro seguiu para Manoel de Oliveira.

 

cartasdeamor154536.jpg

 

Melhor Filme
Cartas da Guerra
Cinzento e Negro
A Mãe é que Sabe
Estive em Lisboa e lembrei de você

 

Melhor Ator Principal

Miguel Borges – Cinzento e Negro
Filipe Duarte – Cinzento e Negro
Miguel Nunes – Cartas da Guerra
Albano Jerónimo – Gelo

 

Melhor Atriz Principal

Joana Bárcia – Cinzento e Negro
Margarida Vila-Nova – Cartas da Guerra
Ivana Baquero – Gelo
Ana Padrão – Jogo de Damas

 

Melhor Ator Secundário

Carlos Santos – A Mãe é que Sabe
Adriano Carvalho – A Mãe é que Sabe
Adriano Luz – John From
Ivo Canelas – Gelo

 

Melhor Atriz Secundária

Inês Castel-Branco – Gelo
Camila Amado – Cinzento e Negro
Manuela Maria – A Mãe é que Sabe
Dalila Carmo – A Mãe é que Sabe

 

Melhor Argumento Original

Luís Filipe Rocha - Cinzento e Negro
Luís Galvão Teles, Gonçalo Galvão Teles e Luís Diogo - Gelo
Mário Botequilha, José Fonseca e Costa - Axilas
Roberto Pereira, Nuno Rocha - A Mãe é que Sabe

 

Melhor Argumento Adaptado

Ivo M. Ferreira, Edgar Medina - Cartas da Guerra
Hugo Vieira da Silva - Posto-Avançado do Progresso
José Barahona - Estive em Lisboa e Lembrei de Você
Julia Roy - Até Nunca

 

Melhor Realizador

José Fonseca e Costa - Axilas
Luís Filipe Rocha - Cinzento e Negro
Ivo M. Ferreira - Cartas da Guerra
Nuno Rocha - A Mãe é que Sabe

 

Melhor Direção de Fotografia

André Szankowski - Cinzento e Negro
Luís Branquinho- A Mãe é que Sabe
João Ribeiro - Cartas da Guerra
Rui Poças - O Ornitólogo

 

Melhor Maquilhagem e Cabelos

Ana Lorena, Natália Bogalho - Axilas
Sandra Pinto - Cinzento e Negro
Nuno Esteves "Blue" e Nuno Mendes - Cartas da Guerra
Emanuelle Fèvre, Iracema Machado - Gelo

 

Melhor Som

Ricardo Leal - Cartas da Guerra
Carlos Alberto Lopes, Elsa Ferreira - Cinzento e Negro
Olivier Blanc, Branko Neskov - Gelo
Pedro Melo, Tiago Raposinho e Tiago Matos - A Mãe é que Sabe

 

Melhor Guarda-Roupa

Lucha d'Orey - Cartas da Guerra
Isabel Branco - Cinzento e Negro
Ana Paula Rocha e Sílvia Siopa - Gelo
Mia Lourenço - A Mãe é que Sabe

 

Melhor Montagem

Sandro Aguilar - Cartas da Guerra
António Pérez Reina - Cinzento e Negro
Pedro Ribeiro - Gelo
Paula Miranda - A Mãe é que Sabe

 

Melhor Banda Sonora Original

Mário Laginha - Cinzento e Negro
Filipe Raposo - Refrigerantes e Canções de Amor
The Red Trio e Norberto Lobo - Aqui, em Lisboa – Episódios da Vida de Uma Cidade
Nuno Malô - A Canção de Lisboa

 

Melhor Canção Original

Será Amor – composição de Miguel Araújo - Canção de Lisboa
Refrigerantes e Canções de Amor, letra Sérgio Godinho e música Filipe Raposo - Refrigerantes e Canções de Amor
Balada para uma dinossaura, letra e musíca João Tempera - Refrigerante e Canções de Amor
Sobe o Calor – letra de Sérgio Godinho e música Filipe Raposo - Refrigerantes e Canções de Amor

 

Melhor Documentário em Longa-Metragem

Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra - Nelson Guerreiro, Pedro Fidalgo
O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu - João Botelho 
A Toca do Lobo - Catarina Mourão
Rio Corgo - Sérgio da Costa, Maya Kosa

 

Prémio Sophia Estudante

Marvin's Island - António Vieira, Filipa Burmester, Pedro Oliveira
A Instalação do Medo - Ricardo Leite
Post-Mortem - Belmiro Ribeiro
Pronto, era Assim - Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues

 

Melhor Curta-Metragem de Ficção

Menina - Simão Cayatte
Bastien - Welket Bungué
A Brief History Of Princess X - Gabriel Abrantes
Campo De Víboras - Cristèle Alves Meira

 

Melhor Curta-Metragem de Animação

Estilhaços - José Miguel Ribeiro
Fim De Linha - Paulo D'Alva
Última Chamada - Sara Barbas
A Casa Ou Máquina De Habitar - Catarina Romano

 

Melhor Documentário em Curta-Metragem

A Vossa Terra - João Mário Grilo
Balada de um Batráquio - Leonor Teles
António, Lindo António - Ana Maria Gomes
Portugueses do Soho - Ana Ventura Miranda

 

0edbad4c18b5aa9440db5c32cafc876f6e311045.jpg

 


publicado por Hugo Gomes às 22:02
link do post | comentar | partilhar

19.2.17

29dad7b5-883d-44dd-9be2-68f7e7c76757.jpg

A curta-metragem Onde foi a Minha Sorte, de Pedro Gonçalves, triunfou na Competição Nacional do 7º Festival Córtex, que ocorreu no Centro Olga do Cadaval, em Sintra, entre os dias 16 a 19 de Fevereiro. Segundo as palavras do júri, "Começar a fazer filmes tem a ver com viver medos e aprender a ser certeiro, mesmo quando não se sabe nada do que aí vem. Este filme é isso: a força do começo. A criança, a ferida escondida, a energia no chuto bola. Esta força do começo trás-nos a nós a alegria de descobrir imaginações jovens que têm a seriedade de assumir que querem filmar".


Composto pelas actrizes Leonor Silveira e Anabela Moreira, a realizadora Cláudia Varejão, a directora e programadora do Doclisboa, Cintia Gil e o director de fotografia, Vasco Viana, o júri ainda elegeu o alemão Nach dem Spiel (After Play), de Aline Chukwuedo, como o melhor da Competição Internacional. O sul-coreano The Chicken of Wuzuh, de Sungbin Byun, foi distinguido com a menção honrosa


Já na secção Mini-Córtex, destinados a filmes para o público infantil, foi premiado a curta de animação norte-americana, True Colors, da realizadora Nicole Morconiec. Enquanto isso, O Campo de Víboras, de Cristèle Alves Meira, recebe o Prémio do Público.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 22:24
link do post | comentar | partilhar

18.2.17

16807237_10154891970866341_4776539855582661703_n.j

Urso de Ouro: On Body and Soul, de Ildikó Enyedi (Hungria)
Grande Prémio do Júri: Félicité, de Alain Gomis
Realizador: Aki Kaurismäki (The Other Side of Hope)
Argumento: Sebastián Lelio e Gonzalo Maza por Una Mujer Fantástica
Troféu Alfred Bauer (inovação de linguagem): Spoor, de Agnieszka Holland
Actriz: Kim Monhee (On The Beach At Night Alone)
Actor: Georg Friedrich (Bright Nights)
Contribuição Artística: a montadora Dana Bunescu, pela edição de Ana, Mon Amour

 

Nota para Cidade Pequena, de Diogo Costa Amarante, que é premiado com o Urso de Ouro de Melhor Curta-Metragem. É o segundo ano consecutivo que Portugal vence nesta categoria, sucedendo assim à Balada de Batráquios, de Leonor Teles.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 21:48
link do post | comentar | partilhar

scr-4.jpg

Samuel L. Jackson poderá envolver-se na sequela de Split, o mais recente êxito de M. Night Shyamalan. A possibilidade seguiu do próprio actor ao site Collider
 
Segundo o actor, Shyamalan o desafiou a ver o seu novo filme. O resultado desse visionamento levou-o a responder ao realizador com "Ok, isto significa aquilo que penso que significa?". O ator sempre revelara desejo de voltar a trabalhar com Shyamalan, principalmente na sequela de um dos seus maiores sucessos, Unbreakable (O Protegido).
 
Fragmentado é um thriller envolto de um homem com 23 personalidades, cujas suas entidades mais negras e sádicas, o levam a raptar três adolescentes. O filme contou com um orçamento de 9 milhões de dólares e que já se aproxima dos 170 milhões de dólares em receitas globalmente, tem tido uma boa receção por parte da crítica. 
 
Há uma semana atrás, por via Twitter, Shyamalan deixou no ar que o seu próximo projeto vai expandir o universo de Split: «Eu tenho um esboço de 11 páginas para o meu próximo filme. Eu não posso dizer qual é, mas se você já viu #Split ..
 
 

NE5yaBZhUoLo95_2_b.jpg

 

*** Aviso de spoilers ***
 
O final revelou que Split é um filme de origem do próximo vilão de David Dunn, a personagem de Bruce Willis em O Protegido, o outro êxito de M. Night Shyamalan. Feita as contas, a sequela de Split será igualmente uma continuação de O Protegido, e Samuel L. Jackson poderá repetir o papel de Mr. Glass, o primeiro vilão de David Dunn.
 
 
Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 01:49
link do post | comentar | partilhar

the-batman-directors-who-could-replace-ben-affleck

Segundo o The Hollywood Reporter, o realizador Matt Reeves afastou-se do novo filme da saga Batman. Ainda não se sabe ao certo as razões que levaram este afastamento, pois as fontes próximas do estúdio apenas falam de um "fracasso nas negociações". O realizador de Cloverfield e dos dois últimos filmes da série Planeta dos Macacos (War of the Planet of the Apes tem estreia prevista para Julho deste ano) era tido como um dos favoritos na corrida para a direcção deste projecto.

 

Ben Affleck estava inicialmente encarregue de levar Batman novamente ao cinema, acabando por dispensar o cargo, segundo o próprio, para inteiramente dedicar-se ao papel do "Cavaleiro das Trevas". O actor havia afirmado: "existem certas personagens que se encontram bem fundo no coração de milhões. Para  este papel é necessário dedicação, e sobretudo paixão para trazer o melhor desempenho possível. O que tornou-se claro que não conseguiria fazê-lo se exercesse os dois cargos. Juntamente com o estúdio, decidi procurar um parceiro para colaborar comigo neste massivo projecto".

 

O The Hollywood Reporter avança ainda com outros nomes para possíveis substitutos, como Ridley Scott e Fede Alvarez (Don't Breathe). Mesmo assim, o filme tem estreia prevista para 2018.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 00:05
link do post | comentar | partilhar

11.2.17

people-pacino-scarface.jpg

A Universal Pictures prepara uma nova versão cinematográfica de Scarface (baseado num homónimo livro de Armitage Trail), a terceira desde o filme de Howard Hanks em 1932 (Scarface, o Homem da Cicatriz) e a celebre variação dirigida por Brian DePalma (com argumento de Oliver Stone) de 1983 (A Força do Poder), que contava com Al Pacino no popular e infame papel de Tony Montana.

 

A ideia de um terceiro filme não é nova, mas o projecto parece ter por fim "pernas para andar" após as notícias de que os irmãos Coen fizeram uma recente "revisão" no guião. Segundo a The Hollywood Reporter, o argumentista David Mackenzie (Hell or High Water) poderá complementar o trabalho de escrita. A mesma fonte adianta, ainda, na possibilidade de Peter Berg (Patriots Day) dirigir esta nova versão (Pablo Larrain encontrava-se, anteriormente, encarregue do feito).

 

MV5BMGUzNzBhNzktZDI1Ni00NDhjLTg2OTgtYWVhZWI1OGQ2MT

 

Voltando a Scarface, ainda não se sabe ao certo qual será o apelido e nacionalidade deste novo Tony, visto que o de 1932 era um italiano em Chicago e o de 1983 um cubano em Miami. Porém, existem rumores de que ele será um mexicano em ascensão no mundo do crime de Los Angeles. Rumores, esses, que adquiriram solidez após o anuncio de que o actor mexicano Diego Luna (Rogue One: A Star Wars Story) irá protagonizar este projecto.

 

A Universal Pictures estabeleceu a data de estreia para Agosto de 2018.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 12:27
link do post | comentar | partilhar

Ben-Affleck-Batman-Suit-Batcave-1200x600.jpg

Matt Reeves encontra-se confirmado para conduzir a nova aventura de Batman no grande ecrã, noticiou a Variety. O realizador de Cloverfield e dos dois últimos filmes da série Planeta dos Macacos (War of the Planet of the Apes tem estreia prevista para Julho deste ano) era tido como um dos favoritos na corrida para a direcção deste projecto.

 

Ben Affleck estava inicialmente encarregue de levar Batman novamente ao cinema, acabando por dispensar o cargo, segundo o próprio, para inteiramente dedicar-se ao papel do "Cavaleiro das Trevas".

 

O actor havia afirmado: "existem certas personagens que se encontram bem fundo no coração de milhões. Para  este papel é necessário dedicação, e sobretudo paixão para trazer o melhor desempenho possível. O que tornou-se claro que não conseguiria fazê-lo se exercesse os dois cargos. Juntamente com o estúdio, decidi procurar um parceiro para colaborar comigo neste massivo projecto".

 

O filme tem estreia prevista para 2018.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 10:53
link do post | comentar | partilhar

9.2.17

jia-zhangke.jpg

O cineasta chinês Jia Zhang Ke (Mountains May Depart) já filma o seu novo projecto, Money & Love. Juliette Schrameck, responsável pela MK2 Films, descreveu este novo trabalho como "uma história de amor épica que se desenrola por mais de 15 anos, bem como um thriller que ocorre no submundo do crime da China" (via Variety).

 

Com um orçamento de 6,8 milhões de dólares, Money & Love aborda-nos a pobre cidade industrial de Datong em 2001, onde uma jovem bailarina apaixona-se por um mafioso local. O romance entre ambos terá consequências fatais. Consequências, essas, que levarão o casal a começar de novo.

 

Estreia prevista para Dezembro.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 21:58
link do post | comentar | partilhar

8.2.17

amigos.jpg

Surgiu a primeira imagem do remake norte-americano Intouchables (Amigos Improváveis [ler crítica]). O filme francês chegou aos 426 milhões de dólares facturados em todo o Mundo. Nesta nova versão, Bryan Cranston (da série Breaking Bad) e Kevin Hart (Get Hard, Ride Along) substituirão assim os anteriores papeis interpretados por Omar Sy e François Cluzet.

 

Para quem não conhece, Intouchables remetia à história de amizade entre um ex-condenado imigrante e um milionário tetraplégico. O seu sucesso entre o público e crítica derivou da equilibrada condução entre a comédia e o drama e as questões económico-sociais e étnicas que abordou durante o seu enredo, tudo num conceito bem mainstream.

 

Simon Curtis (My Week with Marilyn, Woman in Gold) será o realizador.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:59
link do post | comentar | partilhar

QuaseMemoria_MarianaXimenes.jpg

O 8º FESTIn: Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa, regressa a Lisboa já no próximo mês de Março, entre os dias 1 a 8, convocando uma mostra inteiramente falada em português, com convidados especiais e a Mulher com tema central.  

 

Serão mais de 70 filmes, uma selecção lusófona que arranca com O Outro Lado do Paraíso, a obra de Andre Ristum, e encerra com Elis, a cinebiografia da cantora brasileira Elis Regina dirigido por Hugo Prata, e cuja protagonista, Andréia Horta, marcará presença no festival.   Outra presença destacada neste oitavo ano é a da actriz Mariana Ximenes, "cara" conhecida pelas inúmeras telenovelas da Globo, que vem demonstrar ao público português, através do FESTin, a sua faceta mais cinematográfica. A actriz apresentará dois filmes em competição, Prova de Coragem, de Roberto Gervitz, e Quase Memória, do lendário cineasta brasileiro Ruy Guerra.     

 

A_Floresta_das_Almas_Perdidas_-_O_destino_de_Carol

 

O FESTin contará ainda com duas antestreias portuguesas, o novo trabalho de Sérgio Graciano (Assim Assim), Uma Vida à Espera, e a primeira longa-metragem de José Pedro Lopes, A Floresta das Almas Perdidas, uma obra de contornos fantásticos e de terror, sobre duas figuras que penetram num local comum entre os suicidas. Outros filmes seleccionados a merecer atenção são o documentário Curumim, de Marcos Prado, que causou certo impacto no Festival de Berlim do ano passado, a de um brasileiro condenado à morte por tráfico de drogas na Indonésia, e o regresso de Cláudio Assis (vencedor do prémio de Melhor Filme do FESTin em 2011 com Febre do Rato), com o road movie Big Jato.  

 

O FESTin é ainda um dos eventos culturais seleccionados para fazer parte da Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura. Entre as diversas actividades no Cinema São Jorge, estão previstas debates, mesas redondas, masterclasses e sessões especiais de cinema. Neste último ponto, há que realçar a mostra especial do realizador cubano Titón (alcunha de Tomás Gutiérrez Alea), falecido em 1996. A sua viúva e protagonista de algum dos seus filmes, Mirtha Ibarra, estará presente. A actriz foi responsável pelo documentário Titón – de Habana a Guantanamera, que também será exibido. Ainda, a homenagem à cineasta portuguesa Margarida Gil, onde a sua carreira será condensada e discutida no Cinema São Jorge.  

 

Para mais informação sobre a programação, ver aqui

 

10203082_YuVgK.png

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:38
link do post | comentar | partilhar

635596446126222737-Jack.jpg

Já não tardava as notícias de um remake. Toni Erdmann, de Maren Ade, um dos fortes candidatos ao Óscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira, vai contar com uma versão americana.


Versão, essa, que contará com Jack Nicholson como protagonista, marcando o regresso do actor, que se encontrava ausente dos grandes ecrãs há mais de sete anos. Segundo a Variety, Nicholson é um grande fã do filme de Maren Ade, tendo abordado um responsável da Paramount Pictures para adquirir os direitos da obra. Ao lado do actor, contaremos ainda com a presença da actriz Kristin Wiig (Ghostbusters).


Toni Erdmann, apresentado em Competição na última edição do Festival de Cannes, centra na história de Ines (Sandra Hüller) uma mulher de negócios de uma grande empresa alemã sediada em Bucareste, que é surpreendida pelo pai (Peter Simonischek), ausente após vários anos, que tem a persistente missão de lhe fazer feliz. Para isso cria um personagem: Toni Erdmann.


Estreia no dia 16 de Fevereiro, com distribuição da Alambique.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 02:10
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Paul Vecchiali e Jem Cohe...

Novo Suspiria será negro ...

10ª Festa do Cinema Itali...

Kleber Mendonça Filho pre...

Próximo filme de Apichatp...

A rara aparição de Terren...

Morreu Bill Paxton

The Lego Batman é pro-gay...

Fantasporto arranca hoje ...

Cinzento e Negro e Cartas...

últ. comentários
A Bela e o Monstro (2017): 5*Eu amei o filme.As mú...
Annabelle: 4*A história de "Annabelle" é muito int...
On the reverse side, we still have many of vets th...
Não vejo como foi previsível. Os críticos contavam...
Não vejo como foi previsível. Os críticos contavam...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO