Data
Título
Take
18.3.17

tumblr_m62v6jtiqj1rx8ji7o1_1280.png

Suspiria é hoje tido como uma das obras-primas do mestre do cinema de terror italiano Dario Argento, e uma das suas principais particularidades é a paleta de cores utilizada, auferindo ao filme um tom plástico e berrante. Contudo, a nova versão irá afastar-se desse mesmo tom visual, e quem o garante é o realizador, o também italiano Luca Guadagnino (I am Love).

 

Segundo Guadagnino, o remake de Suspiria (cuja a rodagem encontra-se finalizada desde o ano passado) tentou afastar-se do célebre filme de Argento, constituindo-se como uma visão própria. O realizador adiantou que o seu filme terá como temáticas "a culpa e a maternidade. Não possuirá as cores primárias na sua paleta, tal como o original" e "será frio, maléfico e muito negro".

 

dormitory-hallway.jpg

 

Recordamos ainda que Chloe Moretz Grace será a protagonista, e Dakota Johnson, Mia Goth, Tilda Swinton e Jessica Harper (protagonista do original) completarão o elenco. Suspiria remete-nos a uma conceituada escola de dança que recebe uma jovem bailarina americana. Durante a sua estadia, fenómenos bizarros e assassinatos macabros ocorrem por dentro e por fora das paredes da Academia.

 

O original de 1977 foi o primeiro filme de uma trilogia que Dario Argento apelidou das "Três Mães", que fora posteriormente completado com Inferno (1980) e Mãe das Lágrimas: A Terceira Mãe (2007). A nova versão estreará ainda este ano. De momento não existe data de estreia.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 01:07
link do post | comentar | partilhar

16.3.17

5751.jpg

Com cinco cidades em simultâneo, a Festa do Cinema Italiano chegará com esta 10ª edição na sua mais pujante força. para além de Lisboa, junta-se as cidades de Almada, Coimbra, Porto e Setúbal na partilha desta programação, embrulhada em promessas de trazer o melhor do cinema italiano recente, assim como invocar às mais perpetuas memórias cinematográficas.

 

foto-le-confessioni-7-high-h_2016.jpg

 

O filme de Marco Bellocchio, Sweet Dreams, foi o escolhido para abrir esta festa nostra no dia 5 de Abril, uma mostra que se prolongará até dia 13, tendo como desfecho o In Guerra Per Amore, de Pierofrancesco Diliberto. Entre as grandes novidades da secção Panorama conta-se os dois novos trabalhos de Roberto Andó (Le Confessioni - Políticos Não se Confessam) e Paolo Genovese (Perfetti Sconosciuti - Amigos, Amigos, Telemóveis à Parte).

 

113707-hd.jpg

 

Serão seis os filmes presentes na habitual secção Competitiva, uma mostra repleta de novos nomes do cinema italiano e alguns ascendentes neste ramo. Já na Altre Visioni, dedicado ao cinema mais experimental e desafiante, teremos à nossa mercê quatro longas-metragens que melhor definem a maleabilidade da linguagem cinematográfica. A juntar ao já acostumado esquema de programação, as secções Il Corto (curtas-metragens), Piccolini (cinema de animação, este ano com o apoio da Monstra), e como não poderia deixar de ser, Amarcord, dedicado aos grandes clássicos de Itália.

 

image-239643-galleryV9-jufn-239643.jpg

 

Neste último espaço, as novidades são imensas. O ciclo Dino Risi, um dos génios da comédia, o qual será composto por 10 longas-metragens, incluindo o unanimemente aclamado e famoso Il Sorpasso - A Ultrapassagem. Ainda, a reposição numa cópia 4k da obra-prima de Dario Argento, Suspiria, que à imagem do 8 1/2 , de Fellini, do ano passado, encontrará lugar nas salas UCI Corte-Inglês durante todo o festival. Por fim, outro clássico popular do cinema italiano, Trinitá, o Cowboy Insolente, com a dupla Bud Spencer (falecido ano passado) e Terence Hill a protagonizar esta fusão entre western spaghetti e comédia slapstick.

 

55354_ppl.jpg

 

Mas a Festa do Cinema Italiano não é apenas uma mostra de filmes, o festival será palco de um encontro entre produtores portugueses e italianos  com vias de lançar novas parcerias entre os dois países. A iniciativa, organizada pela associação Il Sorpasso, tem a colaboração do ICA, o MiBACT - Direzione Generale Cinema e a ANICA.

 

perfetti-sconosciuti.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:22
link do post | comentar | partilhar

11.3.17

terrence-malik.png

Foto: REX/SHUTTERSTOCK

 

É sabido que o mais recente filme de Terrence Malick, Song to Song, foi a abertura escolhida para a mais recente edição do South by Southwest (SXSW), um dos maiores eventos do mundo a unir cinema, música e tecnologia, a decorrer em Austin, Texas. A nona longa-metragem de um dos mais enigmáticos realizadores da actualidade, une a natureza musical da cidade com as relações amorosas dignamente "malickianas", temas que tão bem coincidem com os propósitos do festival.

 

Contudo, a grande notícia do evento, foi mesmo a aparição de Malick perante o grande público. O realizador participou numa mesa redonda ao lado do seu protagonista Michael Fassbender, tendo como moderador Richard Linklater, onde falou sobre o seu filme. "Não se pode viver em Austin e escapar à música", declarou o realizador em relação à produção desta obra na cidade texana. Conhecido como um cineasta reservado, que se recusa a dar "cara" à imprensa e a promover as suas próprias obras, isto durante décadas. Como tal, a presença de Terrence Malick foi recebida entre um sentimento de euforia e de insólito.

 

song_to_song_crop_promoxlarge2_CROP_promo-xlarge2_

 

Lembro-me sempre de sentir timidez, porque é difícil projectar-mos  para o presente” referiu, quando confrontado com a contemporaneidade de Song to Song. “Eu penso que ao fazer um filme contemporâneo, reflectimos sobre as imagens que não foram utilizadas em publicidade … e a conclusão que chegamos é que existem muitas imagens de hoje como havia no passado” Na conversa a três, Linklater mencionou os últimos três filmes de ficção de MalickTo the Wonder, Knight of Cups e agora Song to Song, para depois questionar esse curto espaço de tempo na concretização das suas obras, um factor que o realizador parecia não usufruir do passado. Malick afirmou que presentemente estaria a preparar uma nova abordagem na sua cinematografia, e que a vinda do digital tornou a sua tarefa mais fácil, eficaz e oportuna para filmar como bem lhe apetecer. “Hoje, com a mais moderna tecnologia, podemos filmar bastante em 40 dias.

 

Malick ainda admitiu que o primeiro "cut" de Song to Song tinha cerca de oito horas de duração: “Levou-me bastante tempo a cortar e a ter uma duração maleável … tínhamos bastantes filmagens para contar a história em diversas perspectivas”. A conversa continuou até chegar ao modus operandis de Malick, que fora sempre acusado de explorar e experimentar durante o ato de rodagem: "tenho problemas em trabalhar com coisas demasiado preconcebias, como storyboards."

 

O SXSW vai decorrer até ao dia 19 de MarçoSong to Song tem estreia prevista para Abril no nosso país. 

 

STS_FP_005_R.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 20:04
link do post | comentar | partilhar

1.3.17

alien-covenant-trailer.png

Não é novidade nenhuma que chegará no próximo mês de Maio, um novo capítulo da saga Alien. Desta vez marcado pelo regresso de Ridley Scott às "rédeas" do franchise que o próprio inaugurou em 1979, e que segundo consta, terá ligações diretas com Prometheus.

 

Alien: Covenant remete-nos à tripulação de uma nave colonial que descobre uma paraíso intocável, mas igualmente mortal. Escusado será dizer que os lendários xenomorfos irão regressar para espalhar o pouco mais do seu mais interminável terror.

 

Michael Fassbender, Katherine Waterston, James Franco, Noomi Rapace, Guy Pearce, Billy Crudup e Danny McBride completam o elenco.

 

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 10:57
link do post | comentar | partilhar

O Outro Lado do Paraíso imagem.jpg

O FESTin comemora hoje (1 de Março) o especial número 8. Oito anos de existência, em uma oitava edição que prolongará até oitos dias no Cinema São Jorge, recheado com o melhor de um cinema falado na língua portuguesa, a ponte cultural de oito países separados por milhas, oceanos e História. Um signo a merecer a atenção do mais vasto público, dos cinéfilos em geral, e dos curiosos que tem a oportunidade de encontrar neste evento cultural uma cinematografia rica e igualmente pouco conhecida no nosso país. Referimos ao cinema brasileiro, uma produção diversificada que luta por um espaço na memória e mercado português.

O cinema brasileiro como "espinha dorsal"

 

Para Roni Nunes,  programador do FESTin, a derradeira luta está em trazer uma mostra plena de um cinema que "passa por uma fase excelente, como se viu com nove longas-metragens selecionadas para a Berlinale." O curador entende que com a qualidade do cinema brasileiro actual, era óbvio que não haveria "razões para não termos uma grande programação. Está na hora de mudar a imagem do cinema brasileiro em Portugal, que é muito associado às telenovelas, algo que não faz qualquer sentido, ou então a “Tropa de Elite” e “Cidade de Deus” – que são excelentes filmes mas que, obviamente, estão longe de ser representativos do cinema do país."

 

comeback_f04cor_2016130995.jpg

 

Sim, Brasil será o país predominante do FESTin, e nele encontraremos uma "mão cheia" de estreias, tais como pernambucano Big Jato, o muito antecipado Comeback, a desforra de um pistoleiro de terceira idade e a loucura boémia dos anos 60 em Br 716, que segundo Roni Nunes, representam uma pequena fatia do melhor se produz nos dias de hoje, possuindo "uma magnífica característica, a possibilidade de agradar cinéfilos e espectadores casuais". O certame arrancará com a exibição de O Outro Lado do Paraíso, de Andre Ristum, um relato emocionado do Brasil em plena metamorfose político-social dos anos 60.



Para acompanhar as obras, o FESTin terá imensos convidados de honra, entre realizadores e actores, equipa de produção e técnicos, presenças exaustivas que prometem estabelecer uma ligação com o público. Entre as esperadas vindas, contaremos com a presença de Mariana Ximenes, que segundo Roni Nunes é "mais do que um rosto conhecido das telenovelas, ela é uma artista que tem investido muito em cinema de autor no Brasil." A actriz apresentará duas obras do seu currículo, ambas em Competição. Quase Memória, dirigido por Ruy Guerra, um ícone do Cinema Novo do Brasil, e Prova de Coragem, que também co-produz.


"O que mudou na programação foi que enveredamos definitivamente por um caminho mais autoral e desafiante na competição – a ponto de poder dizer que, em termos de quantidade, diversidade e, principalmente, qualidade, temos a melhor montra de cinema brasileiro de Portugal." proclama o programador.

 

QuaseMemoria_MarianaXimenes.jpg

 

Lisboa, menina e moça, a capital Ibero-Americana

 

FESTin encerrará a edição com Elis, um retrato biográfico da cantora Elis Regina, uma das maiores da terra da Ordem e do Progresso. A escolha deste filme de Hugo Prata, protagonizado por "uma das revelações do ano passado" Andreia Horta (que estará presente), não foi ao acaso, a cinebiografia de uma das mulheres mais ícones do Brasil é servida de comemoração ao Dia Mundial da Mulher.

 

O feminino, por sua vez, será tema importante em toda a programação do FESTin, quer pela Lisboa Capital Ibero-Americana que escolheu o festival como o evento cultural oficial desta temática, preenchido por mesas redondas, debates, actividades paralelas e claro, mais mostras de filmes. "Em termos de filmes um dos destaques é a mostra dedicada à Margarida Gil, que terá cinco dos seus principais trabalhos (“Rosa Negra”, “O Anjo da Guarda”, “Adriana”, “O Fantasma de Novais” e “Paixão” exibidos" sugeriu o programador.

 

Ainda com a Lisboa Capital Ibero-Americana, "o FESTin dará a conhecer, numa parceria com o Instituto Cervantes, a obra do realizador cubano Titón, que será representa pela sua ex-mulher e uma figura icónico do seu país, Mirta Ibarra."

 

transferir.jpg

 

Duas grandes apostas em português de Pessoa

 

Comparativamente ao cinema brasileiro, Portugal é de uma produção mais pequena, mas não é por isso que deixará de estar representado nesta oitava edição do FESTin. O festival vai contar com duas antestreias lisboetas, "dois excelentes exemplares de cinema português", afirma Roni Nunes. Integrados na Competição e vincadamente lusitanos estão Uma Vida à Espera, o regresso de "um realizador experiente na televisão, Sérgio Graciano, investindo num registo completamente diferente, onde Miguel Borges vive um sem-abrigo", e A Floresta das Almas Perdidas, de José Pedro Lopes, "uma bela mistura de cinema de género, neste caso o terror, com arthouse – tendo como ponto de partida uma floresta conhecida por ser um lugar procurado pelos suicidas".

 

Em contrapartida e questionado sobre a produção dos outros seis filmes de língua portuguesa que compõem este octógono cinematográfico, o programador referiu que "o cinema africano em língua portuguesa tem sido muito difícil de encontrar e as nossas solicitações nem sempre são atendidas com celeridade. Alguns destes países não têm indústria, outras aparecem com projectos de forma intermitente. E há países importantes na lusofonia onde a cultura é mesmo um alvo a abater. Ainda assim temos alguns projectos nas secções de curta-metragem e documentário"

 

A_Floresta_das_Almas_Perdidas_-_O_destino_de_Carol


publicado por Hugo Gomes às 09:34
link do post | comentar | partilhar

26.2.17

2017-oscars-89th-academy-awards_3hjg.jpg

Filme: Julgo que o prémio mais cobiçado da cerimónia sairá para Moonlight, somente por questões politicas, visto que a obra de Barry Jenkins aborda uma minoria que tende em ser desprezada neste tipo de prémios. Outro factor, tem sido a fustigação que La La Land, outrora favorito ao prémio máximo, recebe diariamente da imprensa que em tempos o fez tornar num dos favoritos da noite. A má publicidade não dá tréguas.

 

21MOONLIGHT-master768-v4.jpg

 

Não encontro nenhum dos nomeados que mereça o título de Melhor Filme, este ano, sobretudo, os escolhidos estão muito aquém do melhor que Hollywood já produziu e dois deles, bem poderiam figurar na lista de piores do ano. Esses são Hacksaw Ridge, o embuste bélico de Mel Gibson. É estranho para uma cerimónia preocupada em statment políticos decide nomear um filme que propaga uma mensagem de ódio, e Arrival, que evidencia um argumento "frankenstein" e pouco coeso. Merecedor? O meu favorito da lista é aquele que tem menos probabilidades de vencer, Hell or High Water, um anti-western que exorciza uma América à deriva.

 

LaLaLand-1.jpg

 

Realizador: Barry Jenkins e o seu Moonlight vão levar o prémio desejado desta noite. Mas Damien Chazelle também tem as suas hipóteses, e diga-se por passagem, o seu trabalho em La La Land é merecedor de tal estatueta. Enquanto isso, Mel Gibson entre os nomeados é um dos grandes mistérios do cinema recente.

 

transferir (2).jpg

 

Ator: Denzel Washington levará o prémio esta noite, tudo porque o caso de assédio sexual mal abafado poderá prejudicar a "glória" de Casey Affleck, visto como o grande favorito. Este último não era uma má escolha, até porque o underacting é diversas vezes subvalorizado para a Academia. Também não ficaria desolado em ver o prémio a seguir para as mãos de Viggo Mortensen, o melhor num filme completamente ingénuo.

 

manchester-by-the-sea-4-casey-affleck-53aed48d-aa6

 

Atriz: Emma Stone brilha em Hollywood, e este adora premiar "sangue novo", porém, Isabelle Huppert tem a sua fatia de hipóteses. Quanto a méritos, Huppert é o único Óscar de interpretar que desejo ver a ser atribuído. A atriz francesa tem sido implacável no seu empenho num filme tão ousado para o panorama politicamente correto que se vive.

 

49315841.cached.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

24.2.17

160922-002.jpg

O thriller sul-coreano The Age of Shadows (A Idade das Sombras) abre a selecção oficial do 37º Fantasporto: Festival Internacional de Cinema do Porto, uma edição que visa em apostar fortemente no cinema asiático e argentino.

 

O filme de abertura é exemplo dessa mesma aposta cultural, uma obra de espionagem que transporta o espectador para os anos de 1920, numa Coreia sobre o domínio japonês, e uma resistência que surge nas sombras com o intuito de proclamar a sua liberdade. Dirigido por Kim Jee-Woon, um nome não desconhecido para qualquer cinéfilo atento à produção oriental (o responsável pelo culto de I Saw the Devil, A Tale of Two Sisters e The Good, the Bad, the Weird), concede um filme de grandiloquência técnica e rigor na reconstituição histórica. Foi o candidato sul-coreano aos Óscares.

 

A decorrer até dia 4 de Março no Teatro Rivoli, o Fantasporto orgulha-se de presentear o público com as mais recentes novidades do cinema fantástico, assim como cinema português. No leque nacional, contaremos com as antestreias de A Ilha dos Cães, de Jorge António, o último trabalho do actor Nicolau Breyner no grande ecrã; Comboio de Sal e Açúcar, de Licinio Azevedo; e A Floresta das Almas Perdidas, de José Pedro Lopes, um raro exercício de terror no nosso panorama cinematográfico. O filme, livremente baseado numa floresta japonesa com alto índice de suicídios, transcreve a melancolia e o infortúnio como patologias psicóticas.  

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 18:53
link do post | comentar | partilhar

19.2.17

zama-pic-press-20150518.jpg

Foi revelado o trailer do novo filme de Lucrecia Martel (A Mulher Sem Cabeça), Zama, um projecto que se arrasta há vários anos e que possui financiamento de diversas produtoras.

 

Adaptação da novela histórica de 1954 da autoria de Antonio Di Benedetto, Zama seguirá a longa espera de Diego di Zama, um oficial da Coroa Espanhola que serve a Assunção do Paraguai, e que eventualmente será transferido para Buenos Aires. O filme seguirá esse momento de ansiedade, pelo meio surgirá a caçada a um perigoso bandido.

 

Zama contará ainda com a fotografia do português Rui Poças, que já havia colaborado com Miguel Gomes (Tabu) e João Pedro Rodrigues (O Fantasma). O filme tem estreia para este ano, com passagem prevista para o Festival de Cannes.

 

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:01
link do post | comentar | partilhar

18.2.17

scr-4.jpg

Samuel L. Jackson poderá envolver-se na sequela de Split, o mais recente êxito de M. Night Shyamalan. A possibilidade seguiu do próprio actor ao site Collider
 
Segundo o actor, Shyamalan o desafiou a ver o seu novo filme. O resultado desse visionamento levou-o a responder ao realizador com "Ok, isto significa aquilo que penso que significa?". O ator sempre revelara desejo de voltar a trabalhar com Shyamalan, principalmente na sequela de um dos seus maiores sucessos, Unbreakable (O Protegido).
 
Fragmentado é um thriller envolto de um homem com 23 personalidades, cujas suas entidades mais negras e sádicas, o levam a raptar três adolescentes. O filme contou com um orçamento de 9 milhões de dólares e que já se aproxima dos 170 milhões de dólares em receitas globalmente, tem tido uma boa receção por parte da crítica. 
 
Há uma semana atrás, por via Twitter, Shyamalan deixou no ar que o seu próximo projeto vai expandir o universo de Split: «Eu tenho um esboço de 11 páginas para o meu próximo filme. Eu não posso dizer qual é, mas se você já viu #Split ..
 
 

NE5yaBZhUoLo95_2_b.jpg

 

*** Aviso de spoilers ***
 
O final revelou que Split é um filme de origem do próximo vilão de David Dunn, a personagem de Bruce Willis em O Protegido, o outro êxito de M. Night Shyamalan. Feita as contas, a sequela de Split será igualmente uma continuação de O Protegido, e Samuel L. Jackson poderá repetir o papel de Mr. Glass, o primeiro vilão de David Dunn.
 
 
Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 01:49
link do post | comentar | partilhar

13.2.17

The-Bad-Batch-2.png

Chega-nos o primeiro trailer de The Bad Batch, o novo filme de Anna Lily Amirpour, a realizadora irano-americana por detrás do culto A Girl Walks Home Alone at Night, que venceu o Prémio Especial de Júri no passado Festival de Veneza.

 

The Bad Batch, centrará num amor distópico duma comunidade de canibais nas vastas terras texanas. Foi descrito como um misto de Road Warror [Mad Max 2], El Topo, de Jodorowsky, e Wild at Heart, de David Lynch. Suki Waterhouse, Jason Momoa, Giovanni Ribisi e Keanu Reeves compõem o elenco.

 

Estreia prevista para 2017.

 

 

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 22:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

11.2.17

people-pacino-scarface.jpg

A Universal Pictures prepara uma nova versão cinematográfica de Scarface (baseado num homónimo livro de Armitage Trail), a terceira desde o filme de Howard Hanks em 1932 (Scarface, o Homem da Cicatriz) e a celebre variação dirigida por Brian DePalma (com argumento de Oliver Stone) de 1983 (A Força do Poder), que contava com Al Pacino no popular e infame papel de Tony Montana.

 

A ideia de um terceiro filme não é nova, mas o projecto parece ter por fim "pernas para andar" após as notícias de que os irmãos Coen fizeram uma recente "revisão" no guião. Segundo a The Hollywood Reporter, o argumentista David Mackenzie (Hell or High Water) poderá complementar o trabalho de escrita. A mesma fonte adianta, ainda, na possibilidade de Peter Berg (Patriots Day) dirigir esta nova versão (Pablo Larrain encontrava-se, anteriormente, encarregue do feito).

 

MV5BMGUzNzBhNzktZDI1Ni00NDhjLTg2OTgtYWVhZWI1OGQ2MT

 

Voltando a Scarface, ainda não se sabe ao certo qual será o apelido e nacionalidade deste novo Tony, visto que o de 1932 era um italiano em Chicago e o de 1983 um cubano em Miami. Porém, existem rumores de que ele será um mexicano em ascensão no mundo do crime de Los Angeles. Rumores, esses, que adquiriram solidez após o anuncio de que o actor mexicano Diego Luna (Rogue One: A Star Wars Story) irá protagonizar este projecto.

 

A Universal Pictures estabeleceu a data de estreia para Agosto de 2018.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 12:27
link do post | comentar | partilhar

10.2.17

orphan_01_1-h_2016.jpg

Foi divulgado o trailer internacional de Orpheline, um drama de Arnaud des Pallières (Michael Kohlhaas), com Adèle Exarchopoulos, Gemma Arterton e Adèle Haenel nos principais papeis.

 

Apresentado no último festival de Toronto, o enredo tem como base as aventuras e desventuras de quatro mulheres, que funcionaram como peças para um completo puzzle dramático.

 

Estreia prevista para Março em território francês. 

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 10:13
link do post | comentar | partilhar

9.2.17

jia-zhangke.jpg

O cineasta chinês Jia Zhang Ke (Mountains May Depart) já filma o seu novo projecto, Money & Love. Juliette Schrameck, responsável pela MK2 Films, descreveu este novo trabalho como "uma história de amor épica que se desenrola por mais de 15 anos, bem como um thriller que ocorre no submundo do crime da China" (via Variety).

 

Com um orçamento de 6,8 milhões de dólares, Money & Love aborda-nos a pobre cidade industrial de Datong em 2001, onde uma jovem bailarina apaixona-se por um mafioso local. O romance entre ambos terá consequências fatais. Consequências, essas, que levarão o casal a começar de novo.

 

Estreia prevista para Dezembro.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 21:58
link do post | comentar | partilhar

8.2.17

amigos.jpg

Surgiu a primeira imagem do remake norte-americano Intouchables (Amigos Improváveis [ler crítica]). O filme francês chegou aos 426 milhões de dólares facturados em todo o Mundo. Nesta nova versão, Bryan Cranston (da série Breaking Bad) e Kevin Hart (Get Hard, Ride Along) substituirão assim os anteriores papeis interpretados por Omar Sy e François Cluzet.

 

Para quem não conhece, Intouchables remetia à história de amizade entre um ex-condenado imigrante e um milionário tetraplégico. O seu sucesso entre o público e crítica derivou da equilibrada condução entre a comédia e o drama e as questões económico-sociais e étnicas que abordou durante o seu enredo, tudo num conceito bem mainstream.

 

Simon Curtis (My Week with Marilyn, Woman in Gold) será o realizador.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:59
link do post | comentar | partilhar

The-Beguiled-Nicole-Kidman.jpg

Foi revelado o primeiro trailer de The Beguiled, o novo filme de Sofia Coppola. Trata-se de um remake do homónimo filme de Don Siegel, protagonizado por Clint Eastwood e Geraldine Page. Nicole Kidman, Kristen Dunst, Elle Fanning e Colin Farrell completam o elenco.

 

Baseado num livro de Thomas P. Cullian, The Beguiled leva-nos a uma América mergulhada na sua Guerra Civil, onde um soldado da união (o lado nortista do conflito), ferido, é acolhido e tratado por uma jovem rapariga sulista numa escola feminina. A estadia deste militar causará impacto, quer sentimental, quer ideológico no dito estabelecimento de ensino. 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 18:41
link do post | comentar | partilhar

QuaseMemoria_MarianaXimenes.jpg

O 8º FESTIn: Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa, regressa a Lisboa já no próximo mês de Março, entre os dias 1 a 8, convocando uma mostra inteiramente falada em português, com convidados especiais e a Mulher com tema central.  

 

Serão mais de 70 filmes, uma selecção lusófona que arranca com O Outro Lado do Paraíso, a obra de Andre Ristum, e encerra com Elis, a cinebiografia da cantora brasileira Elis Regina dirigido por Hugo Prata, e cuja protagonista, Andréia Horta, marcará presença no festival.   Outra presença destacada neste oitavo ano é a da actriz Mariana Ximenes, "cara" conhecida pelas inúmeras telenovelas da Globo, que vem demonstrar ao público português, através do FESTin, a sua faceta mais cinematográfica. A actriz apresentará dois filmes em competição, Prova de Coragem, de Roberto Gervitz, e Quase Memória, do lendário cineasta brasileiro Ruy Guerra.     

 

A_Floresta_das_Almas_Perdidas_-_O_destino_de_Carol

 

O FESTin contará ainda com duas antestreias portuguesas, o novo trabalho de Sérgio Graciano (Assim Assim), Uma Vida à Espera, e a primeira longa-metragem de José Pedro Lopes, A Floresta das Almas Perdidas, uma obra de contornos fantásticos e de terror, sobre duas figuras que penetram num local comum entre os suicidas. Outros filmes seleccionados a merecer atenção são o documentário Curumim, de Marcos Prado, que causou certo impacto no Festival de Berlim do ano passado, a de um brasileiro condenado à morte por tráfico de drogas na Indonésia, e o regresso de Cláudio Assis (vencedor do prémio de Melhor Filme do FESTin em 2011 com Febre do Rato), com o road movie Big Jato.  

 

O FESTin é ainda um dos eventos culturais seleccionados para fazer parte da Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura. Entre as diversas actividades no Cinema São Jorge, estão previstas debates, mesas redondas, masterclasses e sessões especiais de cinema. Neste último ponto, há que realçar a mostra especial do realizador cubano Titón (alcunha de Tomás Gutiérrez Alea), falecido em 1996. A sua viúva e protagonista de algum dos seus filmes, Mirtha Ibarra, estará presente. A actriz foi responsável pelo documentário Titón – de Habana a Guantanamera, que também será exibido. Ainda, a homenagem à cineasta portuguesa Margarida Gil, onde a sua carreira será condensada e discutida no Cinema São Jorge.  

 

Para mais informação sobre a programação, ver aqui

 

10203082_YuVgK.png

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:38
link do post | comentar | partilhar

635596446126222737-Jack.jpg

Já não tardava as notícias de um remake. Toni Erdmann, de Maren Ade, um dos fortes candidatos ao Óscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira, vai contar com uma versão americana.


Versão, essa, que contará com Jack Nicholson como protagonista, marcando o regresso do actor, que se encontrava ausente dos grandes ecrãs há mais de sete anos. Segundo a Variety, Nicholson é um grande fã do filme de Maren Ade, tendo abordado um responsável da Paramount Pictures para adquirir os direitos da obra. Ao lado do actor, contaremos ainda com a presença da actriz Kristin Wiig (Ghostbusters).


Toni Erdmann, apresentado em Competição na última edição do Festival de Cannes, centra na história de Ines (Sandra Hüller) uma mulher de negócios de uma grande empresa alemã sediada em Bucareste, que é surpreendida pelo pai (Peter Simonischek), ausente após vários anos, que tem a persistente missão de lhe fazer feliz. Para isso cria um personagem: Toni Erdmann.


Estreia no dia 16 de Fevereiro, com distribuição da Alambique.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 02:10
link do post | comentar | partilhar

7.2.17

Sem Título.jpg

Arnold Schwarzenegger regressa ao cinema com Aftermath, um filme de Elliott Lester (Blitz), que tem como base um acidente aéreo ocorrido em 2002.

 

Quando um choque entre dois aviões vitima a sua esposa e filha, Roman (Schwarzenegger), desesperado procura o homem responsável por esse mesmo acidente. Do outro lado da história, uma distracção de Paul Bonanos (Scoott McNairy) levou a tal fatal evento. Decidido a conviver com esta culpa, Bonanos embarca numa nova vida, tentando recuperar a sua dignidade. A colisão entre dois homens, cuja ligação é a tragédia presente nas respectivas vidas, é inevitável.

 

Com argumento de Javier Gullón (Enemy), Aftermath chegará aos cinemas ainda este ano. Kevin Zegers, Maggie Grace e Hannah Ware completam o elenco.

 


Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 20:31
link do post | comentar | partilhar

5.2.17

seloounaoselo.jpg

Arranca a primeira edição do IndieJúnior Allianz, o Festival Internacional de Cinema Infantil e Juvenil do Porto, que irá trazer à cidade mais de 60 filmes, oriundos de 20 países diferentes.

 

A curta Até o Céu Leva Mais ou Menos 15 Minutos, de Camila Battistetti, terá as honras de abrir esta mostra de cinema direccionado aos mais novos, com óbvia partilha dos mais graúdos. A sessão de abertura contará com a presença da actriz Patrícia Queirós, entrada é gratuita, mediante levantamento de bilhete no Teatro Rivoli (no limite dos lugares disponíveis).

 

Um dos momentos de destaque deste Festival, é a secção O Meu Primeiro Filme, espaço para revelações quanto à primeira experiência cinematográfica de várias personalidades do Porto. Esta inaugural edição trará as memórias de Rui Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Porto (Mon Oncle, de Jacques Tati), a dramaturgo e poetisa Regina Guimarães (West Side Story, de Jerome Robbins e Robert Wise), o encenador Gonçalo Amorim (Goonies, de Richard Donner) e a fotografa e artista plástica Rita Castro Neves (A Night at the Opera, com os Irmãos Marx, de Sam Wood).

 

latortuerouge.jpg

 

A programação do IndieJúnior contará ainda dois workshops para crianças e famílias no café concerto do Rivoli: um de dança e cinema com o bailarino Pedro Carvalho e o outro de som com o músico Bruno Estima, e ainda um debate em paralelo, "O Bullying na Infância e Adolescência", com entrada livre.

 

Com parceria com a Câmara Municipal do Porto, o IndieJunior  decorrerá nos dias 5 a 12 de Fevereiro, no Teatro Municipal Rivoli, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett e no Cinema Trindade. A programação completa poderá ser consultada aqui.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 01:47
link do post | comentar | partilhar

4.2.17

lost_city_of_z.jpg

The Lost City of Z, o próximo filme de James Gray (We Own the Night, The Immigrant) recebe um novo trailer.

 

Trata-se da adaptação do livro de David Grann, a história real de um espião britânico, Percy Fawcett (Charlie Hunnan), que abandonou a sociedade vitoriana para se aventurar na floresta amazónica em busca de uma avançada civilização perdida, conhecida como Z. Fawcett penetrou na selva em 1925 e nunca mais foi visto. Em Portugal, o livro foi editado pela Dom Quixote sob o título de A Cidade Perdida de Z.

 

Robert Pattinson, Sienna Miller, Angus Macfadyen e Tom Holland encontram-se no elenco. The Lost City of Z será apresentado no Festival de Berlim.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 14:05
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Novo Suspiria será negro ...

10ª Festa do Cinema Itali...

A rara aparição de Terren...

Novo trailer de Alien: Co...

FESTin promete a "melhor ...

Oscars 2017: a previsão ....

Fantasporto arranca hoje ...

Trailer de Zama, o novo f...

Samuel L. Jackson na sequ...

Amor entre canibais? Veja...

últ. comentários
A Bela e o Monstro (2017): 5*Eu amei o filme.As mú...
Annabelle: 4*A história de "Annabelle" é muito int...
On the reverse side, we still have many of vets th...
Não vejo como foi previsível. Os críticos contavam...
Não vejo como foi previsível. Os críticos contavam...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO