Data
Título
Take
1.3.16

Deuses do Egipto.jpg

 

Age of Mythology!

 

Já indiciado como o maior fiasco do ano, Gods of Egypt joga com as mesmas "peças" que o anterior Clash of the Titans, reinventado livremente uma mitologia. Ao contrário do seu antecessor que se vingou nas bilheteiras mundiais, a nova fita de Alex Proyas embica por uma estrutura narrativa mais consistente, mas nem por isso longe da puerilidade.

 

750x-1.jpg

 

Infantilidade saiu-se o realizador, o mesmo homem por detrás dos cultos The Crow e Dark City (e ainda surpresa de I, Robot), que soma aqui uma produção amaldiçoada por deuses, desde primeiro momento em que foi anunciado. Ora foram as acusações de falta de diversidade cultural nas personagens, ora foi a repulsa geral dos espectadores após as primeiras imagens, ou simplesmente o desinteresse do mesmos perante um ano recheado de super-heróis, a verdade é que Proyas acusou a crítica de ser injustiça para que o seu trabalho, argumento que apenas fizera um filme para público e para o público apenas. Contudo, até mesmo nesse sentido, Gods of Egypt falha através dos elementos mais básicos do cinema-espectáculo.

 

maxresdefault.jpg

 

Primeiro, não sabe construir personagens e muito menos relações entre elas, os sentimentos vinculados parecem forçados, soldados a frio para quem os renega, segundo o uso e abuso de efeitos visuais sufoca a narrativa que poderia ser lançada como um mero dispositivo de contar uma simples história, e anexado ao enredo a previsibilidade e os lugares-comuns de sempre são invocados pela enésima vez. O problema numa liberdade fantasiosa não é ser livre, é ser-se criativo e Gods of Egypt é prejudicado simplesmente por isso, pela ausência de imaginação. Tudo ocorre automaticamente, glorificando um trabalho de narração digno de um videojogo e numa sucessão pouco interactiva com as suas respectivas sequências de acção, essas datadas e empoeiradas.

 

chad-640x334.jpg

 

Com Gerard Butler a repetir as "façanhas" de 300, ou pelo menos tentando por isso, e um Geoffrey Rush como a presença de luxo dos blockbusters actuais, Gods of Egypt especifica o evidente, os deuses abandonaram Alex Proyas, que apresenta aqui o seu pior trabalho de carreira.   

 

"You're not fit to be king… it's my turn now."

 

Real.: Alex Proyas / Int.: Brenton Thwaites, Nikolaj Coster-Waldau, Gerard Butler, Geoffrey Rush, Courtney Eaton, Elodie Yung, Chadwick Boseman

 

gods-of-egypt.jpg

 

3/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:00
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO