Data
Título
Take
11.6.14

Being Woody Allen!

 

O quinto trabalho de realização de John Turturro é um tofu, um substituto a …, neste caso a um filme da autoria de Woody Allen, sendo que o realizador, actor e argumentista mimetiza e muito o estilo do consagrado autor nova-iorquino. Uma história que decorre numa Nova Iorque característica, o jazz como som predominante da banda sonora, as eventuais divagações da personagem de Woody Allen (que interpreta ele próprio) e o tom descontraído como aborda sexo e religião são alguns dos ingredientes que Turturro soube e muito recriar nesta pintura sob papel vegetal. Mas a questão permanece, com toda esta “cópia”, mais do que meras influências, será que resta alguma frescura em Fading Gigolo?

 

 

Nem sempre a cópia fica por detrás do original, um facto que foi destacadamente pronunciado na obra de Orson Welles, F for Fake, contudo no novo e exaustivo trabalho de Turturro assistimos mais a uma aspiração do que uma superação, aliás o realizador joga-se em território simpatizante e não da competição. Fading Gigolo é uma comédia simplória, sujeito a rasgos momentos de genialidade delirante, mas que sobrevive duma ideia e é sobre essa mesma ideia que é limado, afinado e composto, porém sem nunca fugir demasiado da sua promessa como filme. A história remete-nos ao italo-americano Fioravante (Turturro) que decide envergar a profissão de gigolo após ter sido convencido por Murray (Woody Allen), o seu melhor amigo, mentor e neste caso … proxeneta.

 

 

Ou seja é a partir deste mesmo resume que cresce um filme malabarista com todas as referências de um cinema que desde cedo John Turturro não nega, aliás como já havia referido, é fascinado. Fading Gigolo tenta ainda incutir nas proximidades do seu desfecho uma crítica social sobre a opressão religiosa à Mulher, o resultado desta requisição é um mero acesso à veia mais emocional e moralista do filme. Perde-se em tentar ser o que não é e eclipsa todo o potencial de cinema que o autor poderia executar. Ao invés disso temos um filme para amigos, apenas dotado com alguma sensibilidade fílmica. Agora que venha o verdadeiro.

 

Real.: John Turturro / Int.: John Turturro, Woody Allen, Sharon Stone, Vanessa Paradis, Sofia Vergara, Liev Schreiber

 

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 11:35
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO