Data
Título
Take
25.10.16

Doutor Estranho.jpg

Um estranho caso chamado Marvel!

 

Numa certa entrevista, Steven Spielberg comparou esta "onda" de filmes de super-heróis com o fenómeno do western existente há décadas atrás (abundância era "coisa" que o valha). Produtos replicados e lançados sistematicamente, que só poucos conseguiram realmente enfrentar o "maior inimigo de todos" - o tempo - e no caso destes meta-humanos, ainda estaremos vivos até surgir o determinante período em que caiam em desuso. Para tal acontecer, é preciso existir um desinteresse por parte do público, um factor crucial que se dará com o primeiro "crash" de uma das majors, o primeiro flop financeiro para ser mais concreto.

 

doctorstrangeheader.jpg

 

Enquanto vivemos nesse tempo de "vacas gordas", vamos espreitar este Doutor Estranho, o mais recente tomo da franchise Marvel Cinematic Universe, pelo qual foi lhe encarregue a missão de salvar uma saga que parece sofrer com uma modelização crónica. Tirando um ou outro, a Marvel tem pontuado com uma máquina industrial oleada, e como recentemente Joss Whedon afirmou em entrevista, questionado sobre o embate do estúdio com a sua rival DC, a grande proeza deste negócio encontra-se na sua narrativa, intacta desde o primeiro capítulo e completamente despida de qualquer transgressão estilística (relembramos a saída de Edgar Wright por divergências artísticas em Ant-Man).

 

doctorstrange_new.jpg

 

Enquanto, Zack Snyder, e companhia, tentam fazer um "treat" mais visual do outro lado do campo, o produtor executivo Kevin Feige tenta preencher a sua Marvel com os mais marcados dispositivos narrativos, como também apostando forte na concepção das suas personagens. Doctor Strange surge no tempo em que o visual torna-se sobretudo num bem essencial e necessitado neste mesmo universo, e a suas trips mágicas e dimensionais funcionam como um regalo aos olhos, mesmo que, para o espectador mais relembrado, nada disto é absolutamente original. Nota-se por exemplo, os túneis alucinogénicos de um 2001: A Space Odyssey (clássica referência do metafísico no cinema), como a desconstrução de cidades a dever muito a Inception: A Origem, de Christopher Nolan, ou seja, todos estes impressionáveis conjuntos de efeitos visuais, que consistem em formar o mundo espiritual diversas vezes referido, são de uma imaginação pobre.

 

Screen-Shot-2016-04-13-at-08.57.50-830x532.jpg

 

Essa pobreza torna-se ainda mais visível no argumento. Ora vejamos, sabemos que Dr. Stephen Strange é um egocêntrico, um arrogante com uma vida perfeita, que a certa altura, em consequências de um acidente, todo o seu mundo "cai". Fica então dependente da caridade de outros, e para sair desta mesma situação procura ajuda, nem que para isso siga para os lugares mais remotos do Mundo. Nessa sua peregrinação, dá de "caras" com uma legião de magos e feiticeiros, a partir daqui arranca outra jornada pessoal - a aprendizagem de forças que nem o próprio compreende. O nosso herói acaba por aprender uma lição que se torna útil para o desfecho do climax. É o moralismo típico Disney, mas não só, existe muita reciclagem aqui. Tirando o assunto de esoterismo pagão, este Doctor Strange é uma versão upgrade do primeiro Homem de Ferro, o filme realizado por Jon Favreau que lançou a saga bilionária, assim como Robert Downey Jr. à ribalta estrelar. Parece que a Marvel já não tem volta a dar na sua "originalidade", esgotou a fórmula e o que sobra são os mesmos truques de sempre, o humor, por exemplo, continua como a sua melhor arma. Mas até quando isso se durará?

 

STRANGE_0015_Layer-12.jpg

 

Todavia, este Doctor Strange aguenta-se "nas canelas", a razão desse mesmo apoio chama-se Benedict Cumberbatch, que adapta-se à sua personagem com o carisma necessário. Ele é o tour de force de toda esta demanda heróica influenciado por um outro universo sob o selo Disney, Star Wars. Mas nem o actor é capaz de salvar este Mundo da iminente destruição, apenas retardá-lo. Basta agora, esperar o que o tempo dirá a este novo, e vistoso, capítulo de feitos heróicos. Será que Steven Spielberg tem razão? Por enquanto, ficamos a aguardar com o discurso do nosso mais recente, assim como esquecível (prato do dia para a Marvel), vilão de serviço (desta vez é Mads Mikkelsen a vitima), na mente. O Tempo é o maior inimigo de todos, ele destrói tudo. Não, meus senhores, não estou a confundir com o Irréversible, de Gaspar Noé.     

 

"You're a man looking at the world through a keyhole. You've spent your life trying to widen it. Your work saved the lives of thousands. What if I told you that reality is one of many?"

 

Real.: Scott Derrickson / Int.: Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Rachel McAdams, Mads Mikkelsen, Tilda Swinton, Chris Hemsworth, Benedict Wong, Scott Adkins, Benjamin Bratt, Michael Stuhlbarg

 

a1366a37-8cc3-4c4f-b366-c547260f6c12.jpg

 

Ler Críticas Relacionadas

The Amazing Spider-Man (2012)

The Amazing Spider-Man 2 (2014)

Spider-Man 2 (2004)

Spider-Man 3 (2007)

Guardians of the Galaxy (2014)

Iron Man (2008)

Iron Man 2 (2010)

Iron Man 3 (2013)

Hulk (2003)

The Incredible Hulk (2008)

Thor (2011)

Thor: The Dark World (2013)

Captain America: The First Avenger (2011)

Captain America: The Winter Soldier (2014)

Captain America: Civil War (2016)

The Avengers (2012)

The Avengers: Age of Ultron (2015)

5/10
tags: , ,

publicado por Hugo Gomes às 18:34
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO