Data
Título
Take
22.3.16

Batman V Superman - O Despertar da Justiça.jpg

O Choque de Titãs!

 

Tudo indica que o "signo chinês" do ano 2016 são os super-heróis, contando num total de 6 produções correspondentes a três estúdios (sendo dois os prováveis campeões nestas "andanças") no sector. Este é um período para citar a tão popular expressão "ou vai, ou racha". Mas o início desta corrida pelos comics já se demonstrou produtiva, até porque Deadpool é um êxito garantido de bilheteira, cuja fórmula promete abalar o próprio método de produção deste formado subgénero.

 

maxresdefault (2).jpg

 

Enquanto isso seguimos para o crucial Batman V Superman: O Despertar da Justiça, o filme que colocará a junção DC Comics / Warner Bros na primeira fila, tendo como grande concorrente a Marvel / Disney, que infelizmente tem demonstrado através dos últimos filmes que as ideias estão a escassear e que a homogeneidade poderá vir a ser um "cancro" nesta linha de montagem. Quanto à DC / Warner, o percurso não começou da melhor maneira, Christopher Nolan recusou prolongar o seu The Dark Knight, tendo encerrado a trilogia por completo, mas acabou por aceitar o cargo de produtor deste reiniciado franchise. Por sua vez, o primeiro capítulo deste universo partilhado, Homem de Aço (Man of Steel), contrariando os números obtidos no box-office, não agradou totalmente os fãs (chegando até criar ódios dentro da legião).

 

maxresdefault (4).jpg

 

Em causa estava certamente a negra e trágica atmosfera, a seriedade que este Super-Homem adquiriu, deixando de lado o estilo mais "camp" e descontraído de Christopher Reeve, o humor que tem predominado este tipo de produções tornou-se numa ausência. Para além das debatidas decisões no argumento que explicitaram um herói mórbido, desequilibrado, e dotado por uma conduta duvidosa a mercê da questionação. Em todo o caso, o filme foi um fracasso artístico, a dupla Zack Snyder / Christopher Nolan falharam os testes dos fãs, mas nada que impedisse o regresso para um segundo round.

 

Batman-V-Superman-Armored-Batsuit-Costume-Comic-Co

 

Assim chegamos a Batman V. Superman, onde o Cavaleiro das Trevas entra em cena com Ben Affleck como a nova cara deste tão admirado herói. Como havia sido divulgado durante a sua campanha de marketing, este "épico" de quase três horas seria uma arriscada ofensiva de trazer para o grande ecrã o tão cobiçado "joint" - A Liga da Justiça (visto que George Miller não o conseguiu). Por isso, era mais que provável que esta sequela directa de Man of Steel fosse uma exaustiva inserção do espectador neste mesmo universo, "disparando" easters eggs em tudo o que é lado.

 

maxresdefault (3).jpg

 

Curiosamente, este BVS (vamos chamar assim) é superior ao seu antecessor, mesmo sendo deveras trapalhão na sua narrativa. Em causa está sobretudo o esforço dos envolvidos em trazer alguma credibilidade e verosimilhança a um mundo alternativo, fantasioso e fértil, mais fiel aos comics e contrariando a insípida e replicada Gotham da trilogia de Nolan. Existindo também surpresas neste novo catálogo de "bons e maus da fita", entre as quais Ben Affleck a revelar-se num Batman / Bruce Wayne mais maduro e sim, emocional. Arriscado será afirmar mesmo soando em heresia, que o infame actor (que deu vida a um dos martirológicos super-heróis do grande ecrã que fora Daredevil) consiga vestir o fato com mais dinamismo do que o próprio Christian Bale e Michael Keaton juntos.

 

Batman-V-Superman-Trailer-Fight-Heat-Vision.jpg

 

O outro "brinde" é a genialidade com que Jesse Eisenberg entrega-se na pele de Lex Luthor, o tão conhecido arqui-inimigo do nosso Homem de Aço. Dois elementos que compensarão uma produção que visa repetir os erros do costume, ou seja o fascínio pela destruição inconsequente (que toma principalmente o terceiro e último acto como refém), as personagens secundárias descartáveis, algumas entradas directas para futuros capítulos sem propósito algum para o enredo actual e a enfurecedora banda-sonora de Hans Zimmer que contrai mais omnipresença que o próprio filme.

 

Batman-vs-Superman-novo-trailer.jpg

 

Pois bem, não vamos mentir, BVS é um filme com verdadeiros problemas na sua execução, mas que sim, vai conquistar "multidões", nem que seja pelo seu inegável visual ou pela facilidade que Zack Snyder tem de arranjar taglines "Tell me do you bleed? You will". Contudo, esta é uma obra que temos a tendência, ou a tentação, de gostar, até porque é um blockbuster que esconde mais do que aquilo que mostra, e essa ocultação deriva da prolongação da sua mensagem altamente teológica. Enquanto que em Man of Steel, as comparações deste Super-Homem com o nascimento e percurso de Jesus Cristo fossem evidentes, as Estações da Cruz, a Procissão e o Caminho do Calvário são reproduzidos sob o seu contexto nesse ambicioso capítulo, em acréscimo, o seu Pilatos, neste caso Lex Luthor, que constantemente patenteia um discurso ateu de contornos profanos.

 

Batman_v_Superman_Dawn_of_Justice_105747.jpg

 

Curiosamente, existe outra metáfora escondida que é visualizada no primeiro encontro de Bruce Wayne / Batman e Clark Kent / Super-Homem. Durante a festa organizada pelo vilão de serviço, é possível deparar-nos com o quadro "O Balanço do Terror", de Cleon Peterson. O artista contemporâneo de Los Angeles considerou o seu referido trabalho, numa simbolizada luta entre poder e submissão, cuja violência é um ciclo interminável. São dois lados que se confrontam intrinsecamente (e socialmente) no nosso herói de capa vermelha, que se esboça na ideologia formatada deste "episódio-piloto".

 

1157490.jpg-r_x_600-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

 

Entre a barafunda total (o previsível abuso de CGI) e o "bem esgalhado", Batman V Superman: Dawn of Justice suscitará paixões, ódios e até mesmo alguma indiferença entre o público, contudo, a experiência não é totalmente nula. Há, sim, pequenas surpresas que fazem adivinhar o pretensiosismo da DC / Warner em não ficar a "comer poeira" do seu concorrente. Veremos como se sairá neste batalha campal de milhões investidos.

 

"The red capes are coming, the red capes are coming"

 

Real.: Zack Snyder / Int.: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams, Jesse Eisenberg, Gal Gadot, Holly Hunter, Laurence Fishburne, Diane Lane, Tao Okamoto, Scoot McNairy, Jeremy Irons, Kevin Costner, Callan Mulvey, Michael Shannon, Jason Momoa, Ezra Miller

 

batman superman.png

 

 

Ler Críticas Relacionadas

Man of Steel (2013)

Batman Begins (2005)

The Dark Knight (2008)

Batman: Gotham Knight (2008)

The Dark Knight Rises (2012)

 

5/10
tags: , ,

publicado por Hugo Gomes às 23:58
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO