Data
Título
Take
14.11.17

oemqu2omik2xfivp6eys.png

A Sony Pictures anunciou que irá desenvolver mais um spin-off baseado no universo de Spider-Man (Homem-Aranha), que tem como foco o seu estimado leque de vilões. Depois de Venom, com Tom Hardy no elenco, e Silver & Black, será Morbius, o conhecido "vampiro vivo" a integrar o franchise.

 

Os argumentistas de Power Rangers e Dracula: Untold, Burk Sharpless e Matt Sazama já finalizaram o guião, que foi mantido em segredo até então. Tal como os seus congéneres que se encontram em produção, o filme envolto de Morbius não será relacionado com o Universo Cinematográfico da Marvel.

 

Para quem desconhece, Morbius surgiu pela primeira vez em 1971 nas páginas do volume 101 do Amazing Spider-Man, por Roy Thomas e Gil Kane. O nome verdadeiro é Dr. Michael Morbius, um cientista que sofre uma rara doença sanguínea que o torna dependente de uma certo vampirismo. A personagem foi criada como uma alternativa a Drácula de Bram Stoker.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 16:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

Lord-of-the-Rings-the-Fellowship-of-the-Ring-640x3

A Amazon Studios confirmou que irá transformar The Lord of the Rings (O Senhor dos Anéis) numa série televisiva. A criação do escritor e professor britânico J.R.R. Tolkien já rendera duas adaptações cinematográficas, uma animação de 1978, e uma trilogia de Peter Jackson (2001 – 2003) que vencera no total mais de 17 Óscares, incluindo o de Melhor Filme com o último capítulo – The Return of the King. O estúdio prometeu uma nova abordagem, assim como novas narrativas ao material escrito. 

 

Esta transportação da saga para o pequeno ecrã pela Amazon terá ainda a colaboração da New Line Cinema (a produtora que levou O Senhor dos Anéis aos cinemas), a Tolkien Estate and Truste e ainda a Harper Collins, a editora de Tolkien gerida pelos herdeiros do legado.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 16:23
link do post | comentar | partilhar

12.11.17

ShowImage.jpg

A Page Six indicou a possibilidade da atriz Gal Gadot recusar participar na sequela da “Mulher Maravilha”, caso Brett Ratner não seja afastado do projecto.

 

Ratner, produtor e realizador que tendo sido recentemente acusado de assédio sexual e má conduta profissional, é um dos integrantes da RatPac-Dune Entertainment, companhia de produção que tem cofinanciado com a Warner Bros todo o franchise envolta da DC Comics. A fonte revela que a Warner Bros. apoia a posição da “Mulher Maravilha”, apesar de ter negado qualquer indicio de chantagem e que Gadot já havia assinado a continuação muito antes de todas estas revelações.

 

Recordamos que são ao todo seis mulheres que acusam o produtor e realizador Ratner, incluindo Olivia Munn e Natasha Henstridge.

 

02RATNER1-master768.jpg

 

Henstridge, famosa no cinema por filmes como Species, relatou que o caso aconteceu quando ela tinha 19 anos de idade e ainda era apenas modelo. Segundo ela, Ratner obrigou-a a praticar sexo oral. A actriz afirmou ainda que se sentiu compelida a apresentar sua história, já que as mulheres em Hollywood continuaram a falar sobre suas experiências de assédio sexual no rescaldo dos casos Harvey Weinstein e James Toback.

 

Olivia Munn (X‑Men: Apocalypse) afirmou que Ratner masturbou-se na frente dela no set do filme After the Sunset (2004). O incidente já tinha sido detalhado nem 2010 em Newsroom, sem que o nome do realizador viesse à baila.

 

Mais recentemente, a actriz Ellen Page revelou na sua página de Facebook que durante a sua experiência na rodagem de X-Men: The Last Stand, foi constantemente confrontada com aclamações fortemente homofóbicas por parte de Ratner.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:25
link do post | comentar | partilhar

10.11.17

23319247_1852107211469302_758045583386973328_n (1)

Foram divulgadas as primeiras imagens de Incident in a Ghost Land, o novo e próximo filme de Pascal Laugier (Martyrs), aquele que é considerado um dos nomes maiores da vaga francesa do terror.

 

A obra, que se encontra ainda em rodagens, segue uma mãe de duas filhas que herda uma casa da sua tia. Na primeira noite nesta nova casa, ela confronta intrusos, lutando pela sua vida e a das suas filhas. Dezasseis anos depois, as filhas se reencontram na casa, na qual começa a surgir algo de estranho. 

 

Crystal Reed, Anastasia Phillips, Taylor Hickson, Emilia Jones, Adam Hurtig e a cantora Mylène Farmer compõem o elenco. 

 

23380053_1852107241469299_653505425394752263_n (1)

23318979_1852107648135925_615201631760138362_n.png

23318958_1852107621469261_3893126087079139012_n.pn

23435183_1852107271469296_5184625161916296581_n.pn

 Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

 


publicado por Hugo Gomes às 16:53
link do post | comentar | partilhar

3124869_x720.jpg

Morreu Márcia Cabrita, a actriz brasileira mais conhecida como Neide Aparecida na série humorística Sai de Baixo. Encontrava-se há mais de 10 dias internada no Hospital Quinta d'Or, na sequência de um cancro nos ovários que a levou afastar-se da telenovela, Novo Mundo, que gravava. A sua morte foi confirmada nesta madrugada. Tinha 53 anos.

 

Celebrizada como a empregada de Caco Antibes (personagem de Miguel Falabella) na popular sitcom brasileira Sai de Baixo, Cabrita foi uma presença habitual na produção televisiva, integrando o elenco de várias novelas e séries, assim como teatro e Cinema. Neste último, variando pouco entre filmes de família ou filmes protagonizados por Xuxa.   

 

Márcia Cabrita (1964 - 2017)

 


publicado por Hugo Gomes às 13:51
link do post | comentar | partilhar

6.11.17

artificial-intelligence-luc-besson-tnt.jpg

Foi divulgada a primeira imagem de Anna, o novo filme de Luc Besson (Lucy, Valerian) que arrancou produção neste mês de Novembro.

 

Sendo uma co-produção entre a EuropaCorp e a Lionsgate (detém os direitos de distribuição), Anna, como assim é intitulado, contará com um elenco "A-List" composto por Helen Mirren, Cillian Murphy e Luke Evans. A protagonista será a estreante Sasha Luss.

 

Em relação ao enredo do filme, de momento apenas sabe-se que será uma obra de acção bem ao estilo de Taken: Busca Implacável (franchise produzido pelo próprio Besson).

 

994ad9105a550190e70f5fe7f90ca56f_L.jpg

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 16:02
link do post | comentar | partilhar

thor-taika-waititi.jpg

Com Thor: Ragnarok a arrebatar mais de 400 milhões de dólares mundiais no primeiro fim-de-semana, o realizador neozelandês Taika Waititi anunciou mais de três projectos que irá trabalhar futuramente.

 

Entre eles, a esperada sequela da sua comédia “mockumentaria” (falso-documentário) What We Do in the Shadows: O Que Fazemos nas Sombras, e uma animação stop-motion sobre o chimpanzé de Michael Jackson, Bubbles, o qual revelou em entrevista para o site Vice.

 

Porém, a animação não foi o único plano divulgado em tal conversa. Waititi anunciou que irá avançar com um projecto antigo, uma comédia nazi. Questionado pelo jornalista da Vice (“Uma comédia Nazi? Eu ouvi bem?”), o realizador respondeu de forma irónica “Eu o escrevi há cinco anos atrás, e agora chegou o timing perfeito, os nazis voltaram a ser cool

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 15:35
link do post | comentar | partilhar

Red-Sonja-red-sonja-40198277-1920-1080.jpg

Uma nova adaptação de Red Sonja irá avançar para o cinema. Segundo a Deadline, a Millennium Media está disposta a financiar e produzir a nova versão cinematográfica da anti-heroína inspirada no universo de Robert E. Howard (criador de Conan, O Bárbaro), que surgiu nos anos 70 pela Marvel Comics.

 

O motivo deste aceleramento derivou do sucesso culminado pelo filme A Mulher-Maravilha, que segundo o produtor Avi Lerner, confirmou o desejo do público por mulheres heroínas. Desconhece-se mais pormenores acerca desta futura produção, excepto, que será apostado em novas ideias e se afastará da anterior adaptação em 1985, com Brigitte Nielsen e Arnold Schwarzenegger nos principais papeis.

 

Recorde-se que o regresso de Red Sonja ao grande ecrã tem sido falada há anos, inclusive numa versão protagonizada por Rose McGowan com Robert Rodriguez na realização. A ideia foi abandonada, sendo que McGowan integrou o elenco do mais recente Conan, The Barbarian, como vilã.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

tags:

publicado por Hugo Gomes às 15:02
link do post | comentar | partilhar

4.11.17

gd8ljenaeahpn0wslmlz.jpg

Amazon Studios e a Warner Bros. Television encontram-se em negociações para transformar The Lord of the Rings (O Senhor dos Anéis) numa série televisiva. A criação do escritor e professor britânico J.R.R. Tolkien já rendera duas adaptações cinematográficas, uma animação de 1978, e uma trilogia de Peter Jackson (2001 – 2003) que vencera no total mais de 17 Óscares, incluindo o de Melhor Filme com o último capítulo – The Return of the King.

 

De momento não foi revelado nenhum acordo entre ambas as corporações, mas é sabido o interesse da Warner Bros. em levar a saga para o pequeno ecrã, tendo como imagem o sucesso que The Games of Thrones (Guerra dos Tronos) tem acumulado. O facto da série O Senhor dos Anéis estar a ser comprada pela Warner Bros. marca um descongelamento resultante de um processo judicial entre o estúdio e a propriedade de Tolkien, a disputa envolvia os herdeiros e editores de Tolkien, Harper Collins, que teve o seu fim em Julho deste ano, tendo-se prolongado desde 2012.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 16:39
link do post | comentar | partilhar

the_square_h_2017.jpg

Os vencedores dos últimos Festivais de Berlim e Cannes se irão defrontar nos European Film Awards, cuja as nomeações acabam de ser reveladas no Festival de Cinema Europeu de Sevilha. Os galardoados On Body and Soul, o ultimo de Aki Kaurismäki (The Other Side of Hope), 120 Battements par Minute, Loveless e The Square compete a estatueta principal, e no caso do mais recente filme de Ruben Östlund, o mais nomeado aos prémios, contando com 5 indicações.

 

 

Outros destacados são Lady Macbeth, de William Oldroyd, uma primeira longa-metragem que conquista duas nomeações, a de melhor atriz (Florence Pugh) e do prémio Descoberta, e a animação artística Loving Vicente como forte concorrente na distinção de Longa-Metragem de animação. O português Gabriel Abrantes encontra-se entre os nomeados na categoria de Curta-Metragem com o seu Os Humores Artificiais.

 

Filme Europeu

On Body and Soul

The Other Side of Hope

The Square

Loveless

120 Battements Par Minute

 

Documentário

Austerlitz

Communion

Stranger in Paradise

La Chana

The Good Postman

 

Realizador

Ildikó Enyedi (On Body And Soul)

Aki Kaurismäki (The Other Side Of Hope)

Yorgos Lanthimos (The Killing Of A Sacred Deer)

Ruben Östlund (The Square)

Andrey Zvyagintsev (Loveless)

 

Atriz

Paula Beer (Frantz)

Juliette Binoche (Bright Sunshine In)

Alexandra Borbély (On Body And Soul

Isabelle Huppert (Happy End)

Florence Pugh (Lady Macbeth)

 

Ator

Claes Bang (The Square)

Colin Farrell (The Killing Of A Sacred Deer)

Josef Hader (Stefan Zweig - Farewell To Europe

Nahuel Pérez Biscayart (120 Battements Par Minute

Jean-Louis Trintignant (Happy End

 

Argumentista

Ildikó Enyedi (On Body And Soul)

Yorgos Lanthimos & Efthimis Filippou (The Killing Of A Sacred Deer)

Oleg Negin & Andrey Zvyagintsev (Loveless)

Ruben Östlund (The Square)

François Ozon (Frantz)

 

Comédia Europeia

King of the Belgians

The Square

Vincent and the End of the World

Welcome to Germany

 

Prémio Descoberta

Godless

Bloody Milk

Summer 1993

The Eremites

Lady Macbeth

 

Animação

Loving Vincent

Zombillénium

Ethel & Ernest

Louise en Hiver

 

Curta Metragem

Information Skies

Copa-Loca

Love

En La Boca

Fight on a Swedish Beach!

Os Humores Artificiais

Timecode

The Party

Ugly

The Circle

The Disinherited

Written / Unwritten

Wannabe

You Will Be Fine

Young Men and their Window

 


publicado por Hugo Gomes às 14:57
link do post | comentar | partilhar

3.11.17

Hamsaiam-708-01.jpg

O Porto/Post/Doc regressará já no final deste mês - entre 27 de Novembro a 3 de Dezembro - para uma quarta edição. O Festival portuense dedicado especialmente ao documentário tem crescido bastante em tão pouco tempo de vida, tornando-se nos dias de hoje uma dos mais relevantes mostras de Cinema do país.

 

Contudo, apesar do “especial foco” no género documental e todas vias que diluem com essas realidades, o Porto/Post/Doc abrirá com a antestreia da tão esperada obra de Sofia Coppola, The Beguiled. Uma diferente perspectiva do clássico de Don Siegel que reuniu os actores Clint Eastwood e Geraldine Page, onde um soldado da união encontra abrigo no seio de mulheres sulistas, garantiu o prémio de Realização à realizadora durante a sua apresentação em Cannes. Nicole Kidman, Kirsten Dunst e Colin Farrell compõem o elenco deste atmosférico thriller no feminino. Este pedaço de ficção abrirá portas para a secção Highlights, recheado de obras diversificadas dedicadas a um público mais alargado. A sequela de Uma Verdade Inconveniente, o muito audaz 120 Batimentos por Minuto, de Robin Campillo (vencedor do Prémio Especial de Júri do Festival de Cannes), e Lucky, o derradeiro desempenho de Harry Dean Stanton, prometem fazer a delícias dos espectadores cinéfilos.

 

rs-the-beguiled-40c4f4af-b311-43cc-b868-9932ca6d51

 

Em destaque estará o Foco Miroslav Janek, com a projecção de duas obras incontornáveis da carreira de Janek, um cineasta checo com principal aptidão para a sensibilidade, o escutar dos menos privilegiados, dando assim voz às suas causas e emoções. Teremos ainda o ciclo Peter Muller Expanded, centrado na obra do realizador suíço-canadiano. Com apoio da Swiss Films, serão exibidos quatro trabalhos de Muller, filmes com principal aptidão para questões existenciais dos tempos modernos, em contraste com a natureza tribal que nos tornam nós, humanos, em seres comunitários de devidas exigências.

 

André Santos e Marco Leão, possivelmente, serão uma das duplas mais promissoras e fascinantes do nosso cinema. Na secção Intimidades, o Porto/Post/Doc convida o espectador a conhecer o que os une, a película entrelaçada nas suas vivências que se configura em enredos cinematográficos com cariz experimental e intimista. Outro convite irrecusável é a retrospectiva dedicada ao cinema-verdade de Jean Rouch, com cópias restauradas de forma a comemorar, da melhor maneira, o centésimo aniversário do seu nascimento.

 

CIDragonflyEyes-708.jpg

 

A Competição Internacional trará 12 filmes de produção recente, contando com a presença do muito elogiado Dragonfly Eyes (Olhos de Libélula), de Xu Bing (vencedor do Prémio FIPRESCI no último Festival de Locarno) e Era Uma Vez Brasília, de Adirley Queirós (realizador de Branco Sai, Preto Fica), que fora o filme de encerramento do Doclisboa. Para terminar, a intitulada Competição Cinema Novo, composto por 9 de filmes de universidades e politécnicos portugueses, ou de estudantes portugueses a estudar no estrangeiro, e a menção do documentário sobre rap portuense Não Consegues Criar O Mundo Duas Vezes, de Catarina David e Francisco Noronha.

 

O 4º Porto/Post/Doc decorrerá no Teatro Municipal do Porto – Rivoli, Faculdade de Belas Artes U.Porto, Cinema Passos Manuel e Maus Hábitos. Toda a programação, poderá ser vista aqui.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:50
link do post | comentar | partilhar

park-chan-wook.jpg

Chan-Wook Park é o mais recente cineasta a aventurar-se no pequeno ecrã e no mundo das séries televisivas. O realizador sul-coreano por detrás dos êxitos de culto, Oldboy: Velho Amigo e The Handmaiden, irá adaptar o livro de John Le Carré, The Little Drummer Girl (A Rapariga do Tambor) para a BBC / AMC.

 

A intriga segue uma actriz aspirante que durante as suas férias é contratada pela Inteligência Israelita, de forma a expulsar o líder de um grupo terrorista palestino responsável por uma série de atentados. A série será protagonizada por Florence Pugh, a revelação da obra Lady Macbeth. A produção arrancará no início do próximo ano.

 

Recordamos que o bestseller já havia dado origem a um filme de 1984, realizado por George Roy Hill e com Diane Keaton e Klaus Kinski nos principais papeis.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

30.10.17

Justin-Lin-Fast-and-Furious.jpg

Justin Lin poderá regressar à saga Fast and Furious (Velocidade Furiosa) em futuros capítulos. O anuncio foi feito pelo actor, e também produtor do franchise, Vin Diesel, através de um vídeo na sua página de Facebook. “Vocês querem que o 9º e 10º filmes da saga sejam incríveis. Nós ouvimos as vossas preocupações sobre onde a história deve chegar nos capítulos finais. Adivinhem quem é o realizador? Aquele que foi responsável por ressuscitar esta bela saga. Justin Lin!”

 

 

O realizador não foi o único retorno anunciado, outra cara bem conhecida dos fãs deverá marcar presença nos próximos episódios, a actriz Jordana Brewster, que participou em 5 filmes do franchise como irmã da personagem Dominic Toretto (Vin Diesel).

 

Recorde-se que os oito filmes da saga já renderam mais de 4,40 mil milhões de dólares em receitas. O nono Velocidade Furiosa encontra-se agendado para 2020, mas antes será avançado um spin-off que irá focar nas personagens de Luke Hobbs (Dwayne Johnson) e Deckard Shaw (Jason Statham), em  Julho de 2019.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 00:18
link do post | comentar | partilhar

29.10.17

M%26L_CUISINE.jpg

O certame da 15ª edição do Doclisboa contou com uma presença maioritariamente feminina, as mulheres governaram a mais recente mostra do cinema documental de Lisboa. Seis anos depois da sua primeira longa-metragem, Nana, Valérie Massadian regressa ao formato com Milla (que já havia sido apresentado no último Festival de Locarno), consagrando-se como o grande vencedor da Competição Internacional. Enquanto isso, Vira Chudnenko, de Inês Oliveira, é laureada como o Melhor Documentário da mostra nacional. Destaque ainda para o prémio de público atribuído a Diálogos ou Como o Teatro e a Ópera se Encontram para Contar a Morte de 16 Carmelitas e Falar do Medo, de Catarina Neves.

 

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL
Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme: Milla
, de Valérie Massadian
Prémio Sociedade Portuguesa de Autores: Why is Difficult to Make Films in Kurdistan
, de Ebrû Avci
Prémio Jornal Público / MUBI para Melhor Curta-Metragem: Saule Marceau
, de Juliette Achard
Menção Honrosa: Spell Reel
, de Filipa César


COMPETIÇÃO PORTUGUESA
Prémio Revelação / Prémio Canais TVCine para Melhor Primeira Obra: Those Shocking Days
, de Selma Doborac
Prémio NOVA FCSH/ Íngreme para Melhor Filme: Vira Chudnenko
, de Inês Oliveira
Prémio Kino Sound Studio: À Tarde
, de Pedro Florêncio


PRÉMIO DO PÚBLICO

Prémio RTP para Melhor Filme Português: Diálogos ou Como o Teatro e a Ópera se Encontram para Contar a Morte de 16 Carmelitas e Falar do Medo, de Catarina Neves
Prémio Escolas / Prémio ETIC para Melhor Filme: I Don't Belong Here
, de Paulo Abreu


COMPETIÇÃO TRANSVERSAL
Prémio Fundação INATEL para Melhor Filme de Temática Associada a Práticas e Tradições Culturais e ao Património Imaterial da Humanidade: Martírio
, de Vincent Carelli
Menção Honrosa: Medronho Todos os Dias
, de Sílvia Coelho e Paulo Raposo
Prémio José Saramago - Fundação José Saramago para Melhor Filme falado maioritariamente em português, galego ou crioulo de origem portuguesa: Spell Reel
, de Filipa César

 

VERDES ANOS
Prémio FAMU para Melhor Filme: Norley and Norlen
, de Flávio Ferreira
Prémio Especial Walla Collective: Pesar
, de Madalena Rebelo
Prémio Melhor Realizador: 
Ana Vijdea, John 746
Prémio Walla Collective para melhor Work in Progress - Arché: Sílvia
, de María Silvia Esteve
Prémio Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas para melhor Projecto em Desenvolvimento: Follha 84
, de Catarina Mourão

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 11:41
link do post | comentar | partilhar

gettyimages-670294666.jpg

O produtor e chef de cozinha Anthony Bourdain, falou, durante o seu painel na PGA Produced by Conference, que um dos impulsores da liberdade criativa é a sua chamada regra "não-a-idiotas". Ao exemplificar este mesmo termo, Bourdain, acompanhado pela produtora e co-criadora do programa "Parts Unknown", Lydia Tenagli, relatou um episódio em que ambos se afastaram de um magnata dos média, cujo nome não fora revelado [mas foi automaticamente entendido como Harvey Weinstein], que se encontrava disposto a financiar um dos seus projectos.

 

"O tipo era claramente um monstro, e ofereceu-nos riquezas incalculáveis - era o que sempre queríamos. Eu não quero trabalho com esse tipo, nunca. Não há quantidade de dinheiro no mundo que tornará isso mais fácil. Teria sido um compromisso letal. Teria sido um constante veneno que acabaria por comer as nossas almas até terminarmos como Quentin TarantinoOlhando para trás em uma vida de cumplicidade e vergonha e compromisso".

 

har.jpeg

Vale a pena mencionar que Bourdain é o namorado da actriz Asia Argento, uma das alegadas vitimas de Harvey Weinstein, e que a crítica directa a Tarantino deriva do o facto deste ter afirmado e lamentado não ter feito nada para auxiliar as supostas vítimas do produtor. "Havia mais do que apenas os rumores normais, as fofocas normais", disse ele ao New York Times, acrescentando que "Não lhe foi dito em segunda mão. Eu sabia que ele fez algumas dessas coisas (...) Gostaria de ter tomado responsabilidade pelo que ouvi. Se tivesse feito o que devia ter feito, não teria trabalhado com ele".

 

Tarantino disse ainda que estava ciente do acordo entre Rose McGowan e Weinstein e que a sua namorada de então, Mira Sorvino, havia lhe contado sobre um incidente envolvendo o produtor, em que este fez avanços indesejados: "Eu não queria acreditar que ele fazia isso tão abertamente. Eu fiquei, como: 'A sério? A sério?' Mas o que eu pensei na época é que ele estava particularmente interessado na Mira", disse Tarantino.

 

631281498_0.jpg

 

Recorde-se que o caso Weinstein tem feito as manchetes da imprensa um pouco por todo o mundo, com actrizes como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow, Ashely Judd, Léa Seydoux, Cara Delevingne, Kate Beckinsale, Mira Sorvino e como já havia sido referido, Asia Argento, a revelarem situações de assédio sexual e mesmo violações executadas ao longo de décadas pelo magnata. O caso mais recente foi o de uma modelo italiana que diz que em 2013 foi violada por Harvey num hotel.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 10:01
link do post | comentar | partilhar

28.10.17

pjimage.jpg

Segundo a Variety, o actor Zachary Levi (da série Chuck) foi o escolhido para interpretar Shazam na sua aventura a solo. 

 

David F. Sandberg, realizador de Lights Out e Annabelle: Creation, tomará as rédeas deste novo projecto da DC Comics, «Shazam!», o outrora conhecido como Capitão Marvel. Henry Gayden e Darren Lemke serão os argumentistas. 

 

O filme Shazam havia sido falado em tempos, muito devido à escolha e Dwayne Johnson como o arqui-inimigo - Adão Negro (Black Adam). Porém, foi divulgado que esse não será o vilão do filme, por sua vez a personagem antagónica protagonizará um filme próprio. O confronto entre as duas personagens estará agendada para um terceiro filme.

 

Shazam será produzido pela New Line Cinema, subsidiária da Warner Bros., especializado em filmes mais contidos e modestos, e irá arrancar a rodagem em Janeiro de 2018.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 13:38
link do post | comentar | partilhar

14.10.17

harvey_weinstein_1280_gettyimages-633045584.jpg

O produtor Harvey Weinstein é expulso da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (AMPA).

 

Foi esta a decisão tomada na reunião de emergência convocada hoje com 54 membros do conselho da Academia, no qual se incluem Steven Spielberg, Kathleen Kennedy e Whoopi Goldberg, na sede de Beverly Hills. O comité considerou, via comunicado, que o seu ex-membro “não merece o respeito de seus colegas”, desta forma a decisão serviu para “enviar uma mensagem que a era da ignorância voluntária e vergonhosa cumplicidade no comportamento sexual predatório e assédio no local de trabalho na nossa indústria acabou".

 

Recordamos que Weinstein já havia sido despedido da sua própria empresa após o conhecimento das acusações de assédio, abuso de poder e até violação. Esta última negada pelo produtor.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:44
link do post | comentar | partilhar

vf_mathieu_amalric_arnaud_desplechin_slider_4578.j

O realizador francês Arnaud Desplechin, cujo o seu recente Les Fantômes d'Ismaël [ler crítica] estreou esta semana nos cinemas portugueses, revelou ao site C7nema pormenores acerca do próximo filme, que segundo o próprio, terminara o primeiro rascunho do argumento.

 

Ainda sem título, o realizador de Rois et Reine e Trois souvenirs de ma Jeunesse revelou que com esta sua futura obra entrará “em território desconhecido” da sua carreira. “Uma produção singular que bravamente entra num universo hitchcockiano”. Tendo como inspiração “um artigo de jornal. Um homicídio, para ser mais exato.”, Desplechin falou-nos que apenas interessa “focar nos factos … somente nos factos.” O filme “será um objeto completamente seco, despido do lado ficcional, mas ao mesmo devedor do estilo imposto por um The Wrong Man, de Hitchcock.”, chegando mesmo a comparar “com o livro In Cold Blood (A Sangue Frio), de Truman Capote, apenas a narração do real, do facto, não havendo espaço para imaginação e pelo suposto.”

 

Quanto a mais pormenores, Desplechin retratará “a condição da mulher nos dias de hoje”, esperando com isso “uma atmosfera bem sociopolítica, nada parecido do que fizera anteriormente.”

 

O realizador espera começar a filmá-lo já neste Inverno.

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 23:39
link do post | comentar | partilhar

CineEco_Bannerweb2_final.png

Arranca hoje (14/10) o Cine’Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental, o único festival de cinema com temática ambiental em Portugal e um dos poucos eventos desta magnitude cinematográfica fora das grandes metrópoles dos país. A decorrer, de forma ininterrupta, desde 1995, a localidade de Seia, na Serra Estrela, acolhe mais um espectáculo cinematográfico com elevada preocupação ecológica, procurando-se entre debates e reflexões sobre a actualidade do nosso Mundo ver a maneira como poderemos solucionar alguns destes estados.

 

A abertura será tremendamente especial para a localidade, com a exibição de um dos grandes clássicos do cinema português, Os Lobos, recentemente editado e restaurado em DVD pela Cinemateca Portuguesa. Registo da passagem do italiano Rino Lupo em Portugal, Os Lobos fora rodado em diferentes localidades da cidade beirã e é hoje tido como uma das "jóia da cinematografia portuguesa", citando Félix Ribeiro na altura da sua estreia em 1923.

 

29B.jpg

A sessão será apresentada por Tiago Baptista, director do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento (ANIM), e acompanhada pelo pianista britânico radicado em Portugal Nicholas McNair. Lobos é uma das propostas que José Vieira Mendes, crítico e programador do Cine'Eco, mais destaca nesta nova edição do simpaticamente apelidado de "festival ecológico". Em conversa ao Cinematograficamente Falando …, e em resposta quanto ao que destacaria da programação deste ano, Mendes diz: "Já fiz as minhas escolhas ao fazer a selecção e programação dos filmes. Portanto destacaria todos os filmes, porque todos merecem destaque inclusive uma forte selecção de curtas-metragens sobre a Água, como recurso escasso que compõe quase uma secção e que este ano vai ter um Prémio Especial para este tema.

 

Mas lá vai, para quem não possa estar em todos: Para além da antestreia nacional do filme do Al Gore [An Inconvenient Sequel: Truth to Power], temos Os Burros Mortos Não Temem Hienas, de Joakim Demmer, que olha para a especulação aos terrenos para exploração agrícola na Etiópia; Nahui Ollin ­Sol em Movimento junta oito realizadores a darem a sua visão sobre a biodiversidade do México e a forma como está a ser alterada; A Idade das Consequências, realizado por Jared P. Scott, um filme muito abrangente e polémico que olha para a intersecção entre fenómenos como a Primavera Árabe, o chamado Estado Islâmico e a radicalização de pessoas, bem como a crise dos refugiados, e as mudanças do clima; Perseguido Corais, de Jeff Orlowski, mostra o fundo dos oceanos e como os corais estão a desaparecer; Ondas Brancas, com realização de Inka Reichert, envolve os esforços de surfistas que lutam contra a contaminação do mar, quer pelo lixo quer pelos micro-plásticos; Rio Azul: Pode a Moda Salvar o Planeta?, da dupla David McIlvride e Roger Williams, atira-se à indústria da moda e ao impacto considerável que esta tem sobre o ambiente e a poluição das águas e rios. 

 

the-odyssee-still-1.jpg

Também serão mostrados, na competição de filmes em língua portuguesa, por exemplo, Moon Europa, de Nuno Escudeiro — que estreou no IndieLisboa 2017 —, filma o Árctico a e as poucas pessoas que lá vivem em invernos inóspitos; Belo Monte: Um Mundo Onde Tudo é Possível, de Alexandre Bouchet, que examina a construção e exploração da controversa barragem brasileira com o mesmo nome; Deriva Litoral, de Sofia Barata, que olha para os temporais do inverno de 2013 e 2014 e o seu impacto ao longo da costa portuguesa; ou Terra e Luz, um filme de ficção pós- apocalíptica do brasileiro Renné França, que é um filme ambiental e que passou no Fantasporto 2017. Entretanto, hoje já houve actividades para crianças com a belíssima longa de animação Song of the Sea, que esteve nos Óscares há dois anos e passou relativamente despercebido nas sessões comerciais. A abertura começa logo ao final da tarde, com a A Odisseia, de Jérôme Salle, o biopic que também esteve pouco tempo em cartaz, sobre o lendário explorador dos mares Jacques Cousteau."

 

Como programador, José Vieira Mendes teme efectuado um trabalho árduo em conseguir seleccionar e compor um programa de filmes e propostos para todos os públicos, porém condicionadas a uma só temática. "Os requisitos obviamente que tenham implícita uma mensagem, de preferência positiva com melhorar os nosso comportamento em relação ao ambiente, por outro lado também que coloquem questionamento e provoquem discussão sobre os grandes problemas ambientais". Obviamente nem tudo com motivações ecológicas possui a qualidade de integrar o Cine'Eco, nesse caso, segundo o programador, o que se procura é tudo aquilo que todos os festivais de cinema procuram "bons filmes, de preferência inéditos ou que não tenham tido a visibilidade que merecem tanto nos outros festivais como nas salas de cinema comerciais." 

 

theageofconsequences_4-h_2016.jpg

Desde 1995, que o festival existe e cresce sem interrupções, toda esta motivação vivente deriva sobretudo do "do empenho do Município de Seia, que suporta o festival quase na íntegra e faz dele um dos eventos âncoras do concelho. E por outro uma pequena equipa que vive literalmente o Cine’Eco Todo o Ano entre Seia e Lisboa — como é o caso do meu colega Mário Branquinho, Director do Cine’Eco e da Casa Municipal da Cultura de Seia, e meu caso como programador, que sou um senense adoptado, e vivo em Lisboa e outras pessoas da autarquia e colaboradores voluntários —  que procura estar atento (ou mesmo participar) ao mundo dos festivais de cinema de ambiente da GFN (e não só) procurando trazer os melhores filmes de ambiente, para apresentar no Cine’Eco".

 

Quanto ao crescimento, o Cine'Eco tem vindo "crescer um pouco à proporção das preocupações das pessoas em relação às questões ambientais, a sua mediatização e essa tal agenda político-ambiental. Assim para além das sessões competitivas e sessões especiais, o festival realiza várias actividades paralelas, onde as questões ambientais estão sempre presentes. A realização de uma grande conferência sobre questões ligadas ao ambiente e ao desenvolvimento, consta sempre da programação do festival, para a qual são convidadas figuras de referência e que envolve o público da região. O programa conta igualmente com exposições, workshop’s, concertos e outras iniciativas de e para a comunidade. As escolas são mobilizadas para as sessões do festival, mas o festival também vai aos estabelecimentos de ensino do concelho e da região."

 

777_a_Terra_e_Luz_77.jpg

Mas existe um enorme perigo cultural e em Portugal o "afunilamento" de propostas deste género restringidas às grandes cidades como Lisboa e Porto, sobretudo exclusivamente transladadas para a capital. Em resposta a isso, o Cine'Eco possui "uma vasta rede de extensões por todo o país, como a que decorre ao longo do ano — Cine'Eco Todo o Ano! —, o que ajuda a ir ao encontro de um público mais vasto, possibilitando que os filmes e as suas mensagens circulem e cheguem a um número mais alargado de espectadores. Este ano, conseguimos uma nova parceria. O Cin'Eco será alargado aos 15 concelhos da Comunidade Intermunicipal das Beiras e da Serra da Estrela, composta por 250 mil habitantes, que constitui um novo contributo de aproximação à região." Das extensões, é ainda destacado "os Açores, outra região com um forte apelo à natureza e onde também é muito acarinhado pelo público."

 

Contudo, ao dito "afunilamento cultural" que atinge o país, José Vieira Mendes comenta: "Isso é normal que os festivais se centrem nas grandes capitais, pois é onde alcançam mais público, mais orçamento, mais mediatização e até mais patrocinadores e parceiros.  Fugimos à regra e conseguimos no Cine'Eco e em pleno interior do País, por exemplo um forte mobilização dos alunos do concelho e da região, numa perspectiva de sensibilização para as questões ambientais e na procura de criação de público para o cinema. Por outro, envolvemos várias personalidades do concelho na dinâmica do festival. Seja como elementos do júri, seja na mobilização e acompanhamento de grupos para as sessões de cinema. Este ano, foram designadas 27 pessoas da comunidade para apadrinharem as 9 longas-metragens internacionais, contribuindo para essa aproximação e um maior envolvimento da população de Seia e da região. 

 

p9-hadfield-song-a-20160818.jpg

"O cinema de ambiente não é propriamente uma área para as grandes massas de público, mesmo que seja especializado. Por isso, o Cine'Eco tem feito o seu caminho, conquistado públicos e despertando consciências para as questões ambientais, embora se reconheça que o público seja ainda uma fragilidade do festival e onde ainda há muito trabalho a fazer mesmo a nível da componente de turístico ambiental, nacional e internacional, apesar de estar-mos integrados e ser-mos membros fundadores da Green Film Network, a rede de festivais de cinema de ambiente."

 

Provavelmente, 2017 tem sido o ano onde o aquecimento global apresentou-se mais como uma agenda politica, é nos recordado o caso de Donald Trump e a saída dos EUA do Tratado de Paris, e a sequela Uma Verdade Inconveniente [An Inconvenient Sequel: Truth to Power], que integra a programação do Cine'Eco. José Vieira Mendes esclarece até que ponto a ecologia é uma perspectiva politica e como o festival contorna / ou abraça essa mesma vertente: ao longo do seu percurso de mais de duas décadas, o Cine'Eco tem mesmo abraçado essa causa procurado ir de encontro ou acompanhar às grandes questões ambientais da actualidade ou da agenda político-ambiental mundial, dai este ano termos escolhido como inspiração o bestseller, Tudo Pode Mudar: Capitalismo vs. Clima, da Naomi Klein, bem como o documentário Uma Verdade (Mais) Inconveniente, do Al Gore, — que vai ter estreia nacional na quarta, dia 18 no Cine'Eco, em sessão especial — que chega na hora certa depois de facto o Presidente Donald Trump ter anunciado que ia se distanciar do Acordo de Paris do ano passado sobre o limite das emissões de carbono causadoras das mudanças climáticas.  Por outro lado, o CineEco vai de encontro às necessidades da comunidade local, através de vários mecanismos desencadeados, no quadro da dinâmica cultural e ambiental do município de Seia."

 

A 22ª edição do Cine'Eco vai decorrer até dia 21 de Outubro, na Casa Municipal da Cultura de Seia e no CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela.

 

la-et-mn-an-inconvenient-sequel-truth-to-power-tra

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 11:41
link do post | comentar | partilhar

13.10.17

59ca8c5b00a92072524399.png

Numa viagem, no seu sentido mais poético e elusivo, o que menos importa é o destino. São os trilhos, essas veias sanguinárias que nos transportam para uma experiência a mercê da vivência. E são as experiências que vão este segundo episódio do CLOSE-UP – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão.

 

De 14 a 21 de Outubro, a ocupar os mais diferentes espaços da Casa das Artes, e tendo como mira o sucesso da edição anterior, o CLOSE-UP apresentará mais de 40 sessões de cinema, workshops direccionados a escolas e famílias, uma produção própria (de Tânia Dinís) incluída no panorama no feminino de produção portuguesa, e a exposição fotográfica de André Príncipe (realizador de Campo de Flamingos, Sem Flamingos), intitulada de O Perfume de Boi, a ter lugar no foyer.

 

The_Man_With_a_Movie_Camera_2_vertov.jpg

O primeiro dia será marcado pelo filme-concerto de Man with a Movie Camera, de Dziga Vertov, devidamente sonorizado pelos Sensible Soccers (encomenda do CLOSE-UP). O gosto da melodia pop do grupo a tentar provar cadência para com uma das obras mais influenciáveis da História do Cinema.

 

Como qualquer viagem, digna do seu nome, o CLOSE-UP será dividido por diferentes etapas (secções) que nos acompanharão ao longo destes sete dias de pura reflexão cinematográfica. O Tempo de Viagem revela-nos uma metáfora sobre a maturação, o crescimento induzido por esses caminhos dados a lugares incertos. Andrei Tarkovsky é a "rock star" desta secção com Nostalghia [ler critica], a sua "aventura" em Itália. O existencialismo procurado por um poeta russo em terras toscanas e romanas funciona como um sacrifício que nos guia quase em modo retrospectivo e introspectivo ao cinema do seu cineasta. Wim Wenders é outro importante signo deste mesmo espaço, não fosse ele um dos grandes "caminhantes" do road movie.

 

26SUBHOBERMAN-master1050.jpg

 

Em "Fantasia Lusitana" esperam-nos quatro longas-metragens portuguesas em oposição a um programa de nove curtas, incluindo uma sessão dedicada a Tânia Ribeiro com a estreia de Armindo e a Câmara Escura. No lote nacional, destacamos principalmente as exibições da mais recente longa de Salomé LamasEl Dorado XXI, e de Luciana FinaO Terceiro Andar

 

Vinda da nova vanguarda soviética, a cicerone Larissa Shepitko e Eleem Klimov serão figuras relembradas nesta edição de Histórias de Cinema. Mas não serão as únicas. A partilhar o espaço está a dupla Peter Handke e Wim Wenders com Die linkshändige Frau e o sempre poético Wings of Desire, bem como David Lynch, indiscutivelmente o realizador do ano, nem que seja pelo reavivar da série Twin Peaks que tanto deu que falar, no Observatório, representado pelo spin-off cinematográfico, Fire Walk with Me.

 

the-tribe-is-a-movie-starring-deaf-people-thats-no

 

O resto da programação será constituído por sessões direccionadas para escolas e família, e ainda Infância & Juventude, que como o nome indica será um olhar comig-to-age; desse crescimento que por si deverá ser visto como uma viagem. E que melhor filme para transpor essas duas jornadas alusivamente interligadas que American Honey de Andrea Arnold [ler critica]? Claro que nem todas viagens são felizes e a juventude pode ser inconstante, inconsequente e até inconcebível, como o caso de The Tribe, de Myroslav Slaboshpytskyi, filme que, infelizmente, chegara demasiado tarde ao circuito comercial português, tendo em conta o seu historial de controversas passagens em festivais por esse Mundo fora. Nesta secção destacamos ainda o clássico de Victor Erice, El Espíritu de la Colmena.

 

A música e o cinema vão se fundir para criar um encerramento memorável, assim promete esta 2ª edição do CLOSE-UP, com três curtas de Reinaldo Ferreira, ou Reporter X + Dead Combo. A proposta parece indigesta, incompatível e sobretudo experimental, mas o cinema é um experimento que transformou-se, como se pode verificar, na mais complexa das experiências. A viagem está marcada. 

 

160929_MOV_AmericanHoney.jpg.CROP.promo-xlarge2.jp

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 20:36
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

"Life find a way": Traile...

Ryan Reynolds será Pikach...

Quentin Tarantino vai rea...

No Escurinho do Cinema: a...

Conheçam os vencedores do...

Isle of Dogs abre 68º Fes...

Vem aí mais um filme sobr...

"Qualquer cinema que exib...

Tesnota vence 11º Lisbon ...

A Flauta Mágica de Mozart...

últ. comentários
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
I bought Raytheon on this site, I do not know whet...
Muito ansioso, especialmente por ser do Wes Anders...
ou seja, uma bosta de comentario de quem nao enten...
Obrigado pelo reparo, corrigido ;)
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO