Data
Título
Take
26.1.13

Não vás para Silent Hill, dizem eles e com razão!

 

Para qualquer apreciador de videojogos, Silent Hill é um must dos chamados survival games do mesmo estilo de Resident Evil. No cinema e sabendo que o subgénero da adaptação de videojogos ainda algo infame, a versão cinematográfica de Silent Hill em 2006 e dirigido por Christopher Gans tinha as suas falhas mas valia sobretudo como uma obra visualmente vibrante e a certos momentos arrepiantes. Agora surge-nos uma sequela que nos remete a Michael J. Bassett, o homem por detrás do razoavelmente divertido Solomon Kane (2008), a dar a sua visão deste tenebroso mundo do legado de videojogo, o resultado fica-se pela pura trapalhada narrativa.

 

 

Revelations é como era de esperar ficou bastante abaixo do original, apostando num terror passageiro acompanhado por cenários e sequencias que para além de arrepiar do previsível que são ainda vagueiam pelos lugares-comuns do género. Os personagens são baços, difíceis de simpatizar, alguns deles são meros peões de jogo com pouco para oferecer (que patético está Malcolm McDowell) e a interactividade entre eles é algo irritantemente irrealista. O 3D, um mero atractivo para o êxito do filme, não o valoriza mas o torna comercialmente comum e oportunista, sendo que da tecnologia pouco ou nada aproveita-se. Silent Hill: Revelations não possui a dinâmica da versão de 2006, nem sequer um argumento decente que possa atrair o espectador para além do mero “espectáculo” de terror de videoclube.

 

 

A verdade é que mesmo de início, a fita já dava motivos para não depositar crenças, o mesmo se podia dizer de Sean Bean num desempenho muito, mas muito abaixo daquilo que esperamos dele. Acredita-se num terceiro tomo, mas a contar pelo resultado deste desajeitado, mais valem estar quietos, isso ou da próxima vez lança-lo directamente para vídeo, porque coisas ruins os nossos cinemas já se encontram cheios.   

 

“Promise me you'll never go to Silent Hill.”

 

Real.: Michael J. Bassett / Int.: Adelaide Clemens, Kit Harington, Sean Bean, Carrie-Anne Moss, Malcolm McDowell, Radha Mitchell, Deborah Kara Unger



 

Ver também

Silent Hill (2006)

 

3/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:46
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Den of Thieves (2018)

Agnès Varda trabalha em n...

Versão live-action de Swo...

My French Film Festival, ...

Jean-Pierre Verscheure na...

KINO regressa com a sua 1...

Trailer de Ghostland, o n...

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO