Domingo, 23 de Setembro de 2012

Woody Allen e a La Dolce Vita!

 

Pelos vistos não se deve levar a sério quanto um actor aclama de interpretar pela última vez, tal facto aconteceu com Joaquin Phoenix após Two Lovers (2008) e de momento encontra-se integrado no elenco da nova fita de Paul Thomas Anderson, The Master, Clint Eastwood durante o êxito de Gran Torino (2008), publicitou ser essa sua última aparição como actor, o resultado encontra-se este ano com o seu retorno ao protagonismo em Trouble with the Curve de Robert Lorenz, por fim Woody Allen que veio assegurar a sua participação como actor no seu último trabalho To Rome With Love, contando com o regresso aos grandes ecrãs após seis anos de ausência desde Scoop ao lado de Scarlet Johansson e Hugh Jackman.

 

 

Para Roma com Amor, titulo traduzido, eis a continuação da “eurotrip” que o autor  Woody Allen executa nos últimos anos. Depois de Londres, Barcelona e Paris é a vez da capital italiana, outrora berço de um dos maiores impérios da Historia, servir de palco das inúmeras intrigas clichés da filmografia de tão veterano cineasta. Allen induz os seus habituais temas, a análise das relações afectivas com um particular olhar à natureza das infidelidades e outros afins de teor romântico, sem falar da maturidade e fama, tudo descrito em múltiplos episódios que nunca chegam a cruzar, porém, recheias por todo o humor agridoce do realizador de Match Point e de Annie Hall. Entramos assim numa Roma quase surreal, onde as suas personagens, assim como as suas vivências, não nos cede à monotonia, mas sim a um organismo em plena vitalidade.

 

 

Nesta utopia de histórias, encontramos um arquitecto (Alec Baldwin), que aufere a tarefa de conselheiro amoroso ao jovem Jesse Eisenberg (o qual se vê como uma versão de si), onde é obrigado a reviver os seus trajectos românticos e as suas dores no ramo (o qual lhe surge como um espectro ácido e irónico, algo idêntico que aconteceu entre Ian McShane Scarlet Johansson em Scoop). Roberto Benigni como o mediano Leopoldo Pisanello, que do dia para a noite converte-se numa celebridade sem razão aparente. O próprio Woody Allen e Judy Davis interpretando um casal norte-americano que viaja para a cidade italiana a fim de conhecer o noivo da sua filha, assim como sua respectiva família. O autor interpreta novamente o seu ego algo hipocondríaco e inseguro, desta vez como um ex-director de ópera que encontra acidentalmente na voz do pai do seu futuro genro (o famoso cantor tenor Fabio Armiliato) uma hipótese de regressar ao activo. Por fim, o casal recém-casado (Alessandro Tiberi e Alessandra Mastronardi) e as suas peripécias que se cruzará com a prostituta interpretada por Penélope Cruz (de regresso ao trabalho com o cineasta após quatro anos de Vicky Cristina Barcelona). São estas as histórias que nos deliciarão sem muita profundidade nos 88 minutos de duração, onde vislumbramos uma magnifica Roma digna de uma "resma" de postais.

 

 

São enredos de qualidade algures entre o onírico e a pura metáfora, um olhar atento do nova-iorquino cineasta a algumas das referências que ditaram o próprio cinema italiano, em particular na sua transição ao neo-realismo digno de Fellini. Apesar de tudo, Para Roma com Amor resume-se a “mais do mesmo” da filmografia do autor. É que depois do belíssimo Midnight in Paris, era de esperar que Woody Allen moldasse ou convertesse à nova faceta encontrada, ao invés disso manteve-se como o alleneano cineasta que é, gerando um universo à sua maneira e feitio. Por fim, fica mesmo a questão - Vale a pena entrar nesta Roma vista por Allen? Sim, para todo os efeitos vale uma viagem ao seu mundo nem que seja somente pelas suas captadas paisagens.

 

“I am not a socialist, I can't even share a bathroom.”

 

Real.: Woody Allen / Int.: Woody Allen, Judy Davis, Roberto Benigni, Flavio Parenti, Alison Pill, Fabio Armiliato, Alessandro Tiberi, Penélope Cruz, Alessandra Mastronardi, Jesse Eisenberg, Ellen Page, Greta Gerwig, Alec Baldwin

 

 

Ver Também

Midnight in Paris (2011)

You Meet A Tall Dark Stranger (2010)

Whatever Works (2009)

Vicky Cristina Barcelona (2008)

Scoop (2006)

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 21:33
link do post | partilhar

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Jean-Pierre Verscheure na...

KINO regressa com a sua 1...

Trailer de Ghostland, o n...

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO