Data
Título
Take
24.7.10

Nolan e o seu mundo onírico!

 

Depois de ter injectado uma dose de neo-noir digno de qualquer filme de Michael Mann no predilecto herói de banda desenhada da DC Comic - Batman, no êxito de 2008, The Dark Knight, Christopher Nolan regressa em mais uma incursão de alto risco, desta vez depositando no tão batido cinema heist, um dosagem de onírico e surrealismo. Inception faz adivinhar, como já é referência nas obras recentes de Nolan, uma noção de espectáculo hollywoodesca de faro aguçado, porém é na engenhosa forma com que a fita não deixa de fora parte a massa cinzenta que guia o nosso espectador, tornando-o algo íngreme e provavelmente único naquilo que foi ultimamente produzido no cinema mainstream de grandes proporções orçamentais.

 

 

A Origem, o título português tão mal traduzido, é carregado por uma básica intriga de golpe liderada por um Leonardo DiCaprio, que após Shutter Island de Martin Scorsese, tem ganhado gosto pelas intrigas labirínticas. Ele é Dom Cobb, um especialista na extracção de segredos através dos sonhos, que reúne uma equipa all-star para “implementar” um devaneio que resultará numa ideia a um herdeiro de uma empresa milionária de recursos energéticos. Porém tão embaraçoso para as audiências de Verão, mas deveras perfilado pelos toques de blockbuster que se fazem sentir pelos paradoxais efeitos visuais ao serviço da criação destes cenários oníricos, Inception aposta na sofisticação das “mesmas cartas” que sustentam o subgénero. Podendo afirmar que custa mesmo acreditar que Hollywood realmente apostou pesado neste projecto, onde o nível de risco era demasiado, principalmente em relação à complexidade do seu argumento e pior, da sua narrativa que define o suposto do filme, labiríntica.

 

 

Todavia o novo filme de Nolan, mesmo criado sobre o hype envolto do material divulgado na sua concepção como trailers e posters, consegue contornar os supostos fracassos que se faziam adivinhar em tão melindrosa fita. Inception é puro êxtase cerebral, o filme-entretenimento que combina acção, um poderoso argumento (não caindo nas comparações com The Cell de Tarsem Singh) e um elenco competente sendo em principal destaque Ken Watanabe, Marion Cottilard (a ascender cada vez mais em Hollywood) e Tom Hardy. Ellen Page tem em princípio o seu papel de catapulta para as grandes produções (em X-Men – The Last Stand, a rapariga pouco se desuniu), o mesmo se pode dizer a Joseph Gordon-Levitt (que provavelmente voltará a trabalhar com Christopher Nolan no terceiro Batman) e Leonardo DiCaprio, a provar cada vez que é uma estrela cinematográfica com excelente escolha nos seus papéis. Contudo, tal como em Shutter Island de Scorsese, o protagonista volta a desempenhar o papel de um homem abalado pela trágica morte de sua mulher.

 

 

Um David Lynch era capaz de criar um clima menos lúcido e mais surrealista ao mundo onírico representado, mas sendo sincero, só Nolan foi capaz de oferecer a esse próprio legado o seu estatuto de blockbuster, favorável às grandes massas. Inception é poderoso, é puro produto da imaginação do autor como também fiel às linhagens do cinema norte-americano, e dentro do seu género como daquilo que fora produzido no país nos últimos anos é do mais excitante que se poderia produzir. Para terminar ainda há espaço para a fotografia de Wally Pfister (predilecto de Nolan) e sempre imponente Hans Zimmer na secção de banda sonora.

 

inception-trailer-movie-leonardo-de-caprio.jpg

Só é pena que o universo de sonho imposto pelo realizador seja menos delirante que a própria natureza onírica e apresenta uma rigidez formal, demasiado anexado à realidade regulamentar. Mas nada que realmente prejudique um dos mais entusiasmantes entretenimentos dos últimos anos.  

 

“We create the world of a dream. We bring a subject into that dream and they fill it with their secrets.”

 

Real.: Christopher Nolan / Int.: Leonardo DiCaprio, Marion Cottilard, Ellen Page, Joseph Gordon-Levitt, Ken Watanabe, Cillian Murphy, Tom Hardy, Lukas Haas, Michael Caine, Tom Berenger

 

 

Ver Também

Shutter Island (2010)

The Dark Knight (2008)

Christopher Nolan

8/10

publicado por Hugo Gomes às 02:52
link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De Gustavo a 8 de Agosto de 2010 às 17:38
Depois de Shutter Island, Leonardo DiCaprio está a fazer grandes filmes, inception é espectacular, recomendo, mas há que puxar pela cabeça


De miguel a 21 de Agosto de 2010 às 21:15
Que filme!
Recomendadíssimo!

Continua o bom trabalho, Hugo ! :D


Comentar post

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Jean-Pierre Verscheure na...

KINO regressa com a sua 1...

Trailer de Ghostland, o n...

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO