Data
Título
Take
25.7.07

 

Real.: Stephen Sommers

Int.: Hugh Jackman, Kate Beckinsale, Richard Roxburgh, David Wenham, Will Kemp

 

 

Eis Van Helsing (Hugh Jackman), um profissional caçador de monstros, sempre armado e ao serviço do Vaticano, tem aqui uma nova missão, aniquilar o terrível Conde Dracula na Transilvânia, Roménia, naquela que será o seu mais dificil trabalho até então.

Stephen Sommers, conhecido como realizador de Múmia e a respectiva sequela The Mummy Returns - o Regresso Da Múmia, dois exmplos de filmes consumidos pelos efeitos especiais, têm aqui um aparente projecto ambicioso, onde combina os três monstros da Classics Universal; Dracula, Frankenstein e o Lobisomem, protagonistas de centenas de filmes que encantaram multidões, assustaram outros mas que definitivamente marcaram a era classica de Hollywood. È á primeira vista um projecto cheio de ideias mas que infelizmente, Sommers que é um realizador sem alma, só tem um único propósito, o de encher a vista ao menos exigente espectador. É por isso que o filme tornou-se numa colagem de sequência de acção, onde aparentemente os protagonistas não têm descansos, a história é reduzida a simples referências sem espaço para expansão, mas ninguém parece não se importar com isso. Ver Van Helsing o famoso caça-monstros a utilizar sofisticados gadgets tal como James Bond para destruir as bestas, e fazer inveja a Blade de Wesley Snipes, parece ser fruto suficiente para justificar o preço do bilhete.

Basta juntar dois protagonistas bastantes carismáticos em filmes do fantástico, Hugh Jackman (o Wolverine de X-Men), Kate Beckinsale (Selena do êxito Underworld), efeitos especiais sofisticados (no caso deste filme parecem um pouco descuidados, verifica-se na deficiência do lobisomem que mais parece ter saído de um videojogo de conteudo infantil), ambientes nostálgicos e clássicos como o castelo da Transilvânia e umas incansáveis sequências de acção e voilá, eis Van Helsing.

Porém não é um grande filme, nem mesmo uma grande porcaria sem nexo, porque honestamente até diverte, o conselho está em desligar o cérebro e preparar-se para a diversão. Outro conselho, meu caro espectador, não procurem argumento consistente nesta obra, por que isso é como procurar o Santo Graal.

 

 
5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 18:42
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Filme romeno conquista 68...

Downsizing (2017)

Joss Whedon fora de Batgi...

Pedro Costa terá novo fil...

Os "restos" de Terrence M...

Anne Hathaway em novo fil...

Rabid terá remake!

Robert Pattinson trabalha...

Ira Sachs filmará em Port...

Den of Thieves contará co...

últ. comentários
Notícia triste, mais um talento do qual nos desped...
Ridículo. Não são os únicos posters desta "naturez...
A Vida Íntima de Sherlock Holmes: 5*Acho o filme e...
Estava convencido que fosse o There Will Be Blood....
Para mim, The Master.
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO