28.12.11

Demos assim por finalizado mais um ano cinematográfico, onde vimos tudo um pouco, desde o estrondo do último adeus de Harry Potter, a despedida de Sidney Lumet e Rául Ruiz, o macaco digital de Planet of the Apes, a conversação de Tintim para o cinema, a polémica de Lars Von Trier, o Óscar de Natalie Portman e a confirmação de James Franco como uma das estrelas em ascensão. Tudo isto e muito mais num 2011 em jeito de revista.

 

 

Um Ano de Harry Potter

 

Após dez anos a alimentar a imaginação dos cinéfilos e dos fãs, Harry Potter tem assim o seu merecido final na segunda e derradeira parte de Deathly Hallows, novamente dirigida por David Yates, realizador que ascendeu graças á saga do pequeno feiticeiro. Muitas saudades nos deixará o rol de aventuras escritas por J.K. Rowlings, fazendo assim Hogwarts, num lugar a redescobrir em cada episódio passado. Para além de muita magia, efeitos visuais e criaturas digitais, Harry Potter nos revelou três talentos que com o final da saga estarão disponíveis para se vingar em projectos igual ou menos pomposos, são eles David Radcliffe (que protagonizará a obra de terror, Woman in Black), Rupert Grint e Emma Watson. Para além de tudo nos confirmou e ressurgiu actores por vezes esquecidos como Gary Oldman, Alan Rickman e Michael Gambon e nos comprovou o talento malévolo de Ralph Fiennes em protagonizar vilões, nesta feita colocou Lord Voldemort, o nemesis do pequeno feiticeiro, num lugar cativo em ao lado de Darth Vader e Hannibal Lecter. Tendo rendido no total cerca de 7670 milhões de dólares em todo o mundo, Harry Potter torna-se assim na mais rentável saga de cinema de sempre, mas não é por encher cofres á Warner Brothers que o franchising nos deixará saudades e os fãs sabem o porquê.

 

 

OS 5 FILMES MAIS RENTAVEIS DO ANO

 

 

Titulo

 

 

Rendido em Todo O Mundo

Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2

$1,328.1

Transformers: Dark of the Moon

$1,123.7

Pirates of the Caribbean – On Stranger Tides

$1,043.9

Kung Fu Panda 2

$665.7

Twilight Saga : Breaking Dawn Part 1

$652.3

 

 

OS 5 FIASCOS DO ANO

 

 

Titulo

 

 

Rendido em Todo o Mundo

 

Orçamento

Conan, The Barbarian

$48

$90

Dream House

$38

$50

Hoodwinked Too! Hood Vs …

$16

$30

Outlander

$7

$50

The Rum Diary

$21

$45

 

 

 

Um Ano de Surpresas

 

Rise of the Planet of the Apes e Fast Five encontram-se entre os blockbusters com melhores resultados em termos de bilheteira, uma surpresa no que constitui às suas fórmulas a começar pela fita de Rupert Wyatt, uma prequela misto spin-off de um franchising á muito ameaçado de extinção, que nem mesmo Tim Burton soube ressuscita-la, encontrou em 2011 um surpreendente resultado de 480 milhões de dólares rendidos em todo o Mundo. Quanto á saga protagonizada por Vin Diesel e uns quantos carros movidos a nitro, tem este ano o seu melhor fruto, 626 milhões em todo o mundo. Outras obras também conseguiram vingar, constituindo surpresas mesmo dentro do seu género, entre eles o drama The Help de Tate Taylor, com 200 milhões de dólares em todo o Mundo e a comédia no feminino, Bridesmaid de Paul Feig, com 290 milhões de dólares em todo o globo.

 

 

Ver também

Bridesmaid (2011)

Fast Five (2011)

Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2 (2011)

Kung Fu Panda 2 (2011)

Outlander (2009)

Pirates of the Caribbean – On Stranger Tides (2011)

Rise of the Planet of the Apes (2011)

Transformers – Dark of the Moon (2011)

Twilight Saga: Breaking Dawn Part 1 (2011)

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 22:23
link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar

27.12.11

Real.: Wim Wenders / Int.: Pina Bausch, Regina Advento, Malou Airaudo

 

Filme – Pina é um rico objecto cinematográfico com uma beleza quase poética que nos apresenta como uma homenagem á coreografa alemã Pina Bausch, falecida em 2009. Wim Wenders compõe aqui um dos momentos altos da sua carreira ao fundir cinema com dança, duas artes distintas mas tão iguais como não outras. Um dos filmes destaque de 2011.

 

AUDIO

Alemão

Francês

Croata

Espanhol

Italiano

Russo

Coreano

 

LEGENDAS

Português

 

EXTRAS

Dossier de Imprensa

DVD-Rom

Trailer

 

Distribuidora – Midas Filmes

 

 

FILME –

DVD -

tags:

publicado por Hugo Gomes às 14:43
link do post | comentar | partilhar

27.12.11

Vin Diesel sob o sol carioca!

 

Nesta quinta estância, Vin Diesel e a sua trupe decidem aventurar entre as favelas do Rio de Janeiros e arquitectar o golpe dos golpes, tudo nisto em forma de vingança e sem contar com o factor de que são perseguidos por um federal experiente e implacável, desempenhado por Dwayne “The Rock” Johnson.

 

 

A verdade é que após Justin Lin ter ressuscitado a saga em 2009 com Fast & Furious (o quarto filme de um franchising composto por automóveis a nitro e acrobacias mirabolantes), em que reúne o velho elenco sob a forma de reboot, a saga decide ir mais longe ao libertar-se das suas raízes pendentes; as corridas clandestinas, e integra-lo no conjunto que o faz como um dos mais completos filmes de acção para os amantes de adrenalina em geral. 

 

 

Fast Five, como prefere ser designado é um misto entre todos os ingredientes que compõe os grandes êxitos do género, sequências de acção bem encenadas, actores famosos entre a camada mais jovem, música que integra qualquer mp3 comercial e os suspeitos do costume; tiros com fartura, explosões, sexo e todo o divertimento que não requer qualquer utilidade cerebral. Não com isto o faça um mau filme, a verdade é que este híbrido consegue o pretendido e arrecadar algumas lágrimas para aqueles que há muito não viam tanta testerona junta.

 

 

O que prejudica e muito este filme chunga de grande produção é que para além de ser desmiolado não possui a humildade de o admitir e por isso entre uma e outra, somos induzidos a uma intriga pretensiosa, uns bacocos sentimentos pelo meio, personagens em demasia e com o rótulo de dispensabilidade no meio disto e um Joaquim De Almeida a desempenhar (adivinham lá?) … um vilão aborrecido mas com um óptimo discurso em prol dos portugueses.

 

 

Eis uma fita que triunfa entre o circuito comercial e aposta no divertimento acima de tudo, porém a advertência é que a massa cinzenta deve manter … desligada! Destaque para o confronto entre titãs: Vin Diesel e The Rock, entre pontapés e "socos nos beiços".

 

PS – não ficaria mais interessante se fosse o Capitão Nascimento (Wagner Moura, Tropa de Elite) atrás do criminoso de Vin Diesel? (brincadeira!).

 

" When Hobbs crashes into Dom's 70 Charger, Dom says, "You just made a big mistake.""

 

Real.: Justin Lin / Int.: Vin Diesel, Paul Walker, Dwayne Johnson, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Don Omar, Ludacris, Joaquim De Almeida

 

Ver Também

Fast & Furious (2009)

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 14:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

25.12.11
25.12.11

A gritar desde 1996!

 

Quinze anos passaram desde o original Scream – Gritos, e nesse período de tempo, muito mudou na perspectiva de vermos o terror como mero exercício cinematográfico. Enquanto a obra de 1996, Wes Craven referencia o “teen slasher movie” (subgénero em decadência nos anos 90) num misto de homenagem aos restantes exemplares de terror, em Gritos 4 o mesmo tom é ressuscitado mas desta feita os alvos são inteiramente diferentes. Não com isto implique uma mudança drástica de estratégia, até porque Scream 4 funciona tal e qual como os seus antecessores, mas que a visão do terror variou perante os quinzes anos de intervalo. Em pleno 2011, vivemos então numa época de remakes, refilmagens de velhos clássicos, refeitos pela pomposa industria “pipoqueira” actual, como também confundimos cada vez mais o terror com a simples pornografia gráfica. Caímos no jogo de quem “mais polémica causa” e no circuito direct-to-video cada vez mais abundante, para além de tudo na nova obra de Craven ainda temos uma piscadela de olhos ao cinema mockumentario (falso-documentário), cada vez mais em uso nos dias de hoje.

 

 

Scream 4 ainda nos marca o regresso de Kevin Williamson ao argumento (a sua ausência na terceira estância se fez sentir e muito na própria qualidade), por isso poderemos contar com o retorno da intriga inteligente que sempre marcou a saga, desta vez estamos perante o regressão de Sidney Prescott (Neve Campbell) á sua antiga cidade de Woodsboro, dez anos depois do massacre que decorreu no primeiro filme. Mais amadurecida e escritor de livros de auto-ajuda, Prescott reencontra na cidade os seus velhos companheiros, mas não é só por isso que a nostalgia se instala. Os telefonemas anónimos ressurgem, mais pessoas são mortas e a vida de Sidney encontra-se novamente em perigo, mas ela e os seus amigos não têm dúvidas, alguém quer mesmo reconstruir os horrendos crimes que decorreram numa década atrás.

 

 

Mais do que uma simples reunião do velho elenco que marcaram o imaginário de muitos fãs de terror, Scream 4 se dirige como um próprio ataque á exaustão dos remakes hollywoodescos. Wes Craven regressa assim na sua antiga forma, conduzindo a mais um “teen slasher” que não irá possuir o mesmo impacto que o original obteve, ou seja, a ressuscitação do subgénero, mas que contem todo os ingredientes mais que necessários para nos fazer sentir que estamos perante em terreno experiente. Existem algumas surpresas e outros momentos que se resumem a lugares-comuns, uma veia cómica já habitual na saga e toda a ironia e referência de um género amado por muitos. Não supera o original, nem é o candidato a filme de terror do ano, mas é um regresso ao teen slasher dos anos 90.

 

What’s your favourite scary movie”

 

Real.: Wes Craven / Int.: Neve Campbell, Courtney Cox, David Arquette, Adam Brody, Rory Culkin, Emma Roberts

 

 

Ver Também

Scream (1996)

Scream 2 (1997)

Scream 3 (2000)

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:46
link do post | comentar | partilhar

25.12.11

Real.: Joe Wright / Int.: Saoirse Ronan, Eric Bana, Cate Blanchett

 

Filme – Joe Wright compõe aqui um invulgar filme de acção, frenético, violento e por vezes ingénuo como poucos. Ronan constitui assim um dos mais rígidos pilares da fita, ela é uma adolescente com um instinto assassino apurado em busca do seu passado e ao mesmo tempo perseguida pelo mesmo. Da mesma linha de The Bourne Supremacy eis a película de acção do ano com Cate Blanchett a desempenhar uma vilã impressionante.

 

AUDIO

Inglês

Checo

Húngaro

Polaco (voice-over)

 

LEGENDAS

Português

Inglês

Checo

Húngaro

Búlgaro

Hindi

Croata

Polaco

Islandês

Turco

Romeno

Esloveno

Eslovaco

Lituano

Sérvio

 

EXTRAS

Comentário com o Realizador Joe Wright
Final Alternativo
Cenas Eliminadas
Anatomia de uma Cena: The Escape from Camp G

 

Distribuidora – Sony Pictures

 

 

Ver também

Hanna (2011)

 

FILME –

DVD -

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:30
link do post | comentar | partilhar

24.12.11

tags:

publicado por Hugo Gomes às 19:13
link do post | comentar | partilhar

tags:

publicado por Hugo Gomes às 19:11
link do post | comentar | partilhar

Real.: John Pogue / Int.: Mercedes Masöhn, Josh Cooke, Mattie Liptak

 

Filme – Já o remake do sucesso espanhol (REC) era escusado, a sequela da copia é um real desastre fútil. A realização amadora de um mockumentario é substituída pela mais chunga narrativa, os efeitos visuais são descaradamente artificiais e as interpretações “manhosas”. Um filme de terror dispensável sem grande utilidade e empenho.

 

AUDIO

Inglês Dolby Digital 5.1

 

LEGENDAS

Português

Árabe

Turco

Ucraniano

Polaco

Hindi

Grego

Islandês

 

Distribuidora – PRIS Audiovisuais

 

 

FILME –

DVD -

 

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 19:08
link do post | comentar | partilhar

Real.: Patrick Lussier / Int.: Nicolas Cage, Amber Heard, Billy Burke

 

Filme – Milton (Nicolas Cage) é um criminoso que escapa do Inferno para vingar da sua filha e resgatar a sua neta de um culto satânico liderado por Jonah King (Billy Burke). Eis uma fita de acção / fantasia que combina todo os traços do filme chunga e grindhouse, tudo resumido num conjunto de ingredientes capazes de agradar todos aqueles que amam o “cinelixo”. Porém para todo os efeitos, dentro do seu subgénero já assistimos a melhores homenagens.

 

AUDIO
Inglês Dolby Digital 5.1
Checo Dolby Digital 5.1
Húngaro Dolby Digital 5.1
Polaco Dolby Digital 5.1
Turco Dolby Digital 2.0

 

LEGENDAS
Português
Checo
Húngaro
Turco
Búlgaro
Croata
Estónio
Lituano
Letão
Romeno
Sérvio
Polaco
Esloveno
Inglês para Surdos

 

EXTRAS
Um inferno de Milton
Cenas eliminadas

 

Distribuidora – Zon Lusomundo

 

 

Ver Também

Drive Angry (2011)

 

FILME –

DVD -

tags:

publicado por Hugo Gomes às 00:55
link do post | comentar | partilhar

23.12.11

tags:

publicado por Hugo Gomes às 15:16
link do post | comentar | partilhar

21.12.11


publicado por Hugo Gomes às 18:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

19.12.11

tags:

publicado por Hugo Gomes às 22:49
link do post | comentar | partilhar

tags:

publicado por Hugo Gomes às 22:45
link do post | comentar | partilhar

 

Real.: Jon Favreau / Int.: Daniel Craig, Harrison Ford, Olivia Wilde

 

Filme – Do mesmo realizador de Iron Man, Cowboys & Aliens é um blockbuster que combina dois géneros distintos de forma a conjugar uma aventura nada risível. No meio do processo, junta-se dois actores altamente carismáticos de gerações diferentes (Daniel Craig e Harrison Ford), uma estrela em ascensão no cinema (Olivia Wilde) e muitos efeitos visuais e referências de ambos os géneros cinematográficos. Pode ter sido um fiasco de bilheteira, mas Cowboys & Aliens é um sucesso no pequeno ecrã.

 

AUDIO
Inglês Dolby Digital 5.1
Checo Dolby Digital 5.1
Húngaro Dolby Digital 5.1
Polaco Dolby Digital 5.1

 

LEGENDAS
Português
Inglês
Checo
Croata
Grego
Hebraico
Árabe
Polaco
Sérvio
Búlgaro
Húngaro
Romeno
Esloveno
Islandês
Eslovaco
Estónio
Letão
Lituano

 

EXTRAS
Comentários Áudio do Realizador Jon Favreau
A História
Os Bastidores

 

Distribuidora – Zon Lusomundo

 

 

Ver Também

Cowboys & Aliens (2011)

 

FILME –

DVD -

tags:

publicado por Hugo Gomes às 22:40
link do post | comentar | partilhar


publicado por Hugo Gomes às 22:34
link do post | comentar | partilhar

Quem quer ser o próximo Papa?

 

Pouco tempo depois, desde a beatificação do papa João Paulo II, eis que surge a nova obra de Nanni Moretti, Habemus Papam, uma clara alusão à mítica frase do Vaticano (Temos Papa) proferida antes do anúncio de um novo papa. A fita é um retrato algo ácido, mas ao mesmo tempo singelo e refeito com uma calma sarcástica digna do frontal autor de La Stanza del Figlio.

 

 

A história nos remete pouco tempo depois do falecimento do antigo papa, sendo o qual decorre o conclave e é assim eleito o elemento máximo da Igreja Cristã. A escolha recaiu na personagem de Michel Piccoli, e no preciso momento em que é anunciado como o novo papa, este sofre um extremo ataque de pânico que o evita de comparecer na célebre varanda da Praça de S. Pedro, “congelando” então todo o processo de ascensão do mais alto representante de uma religião. Estas consequências levam a uma crise existencial do Vaticano, onde os fiéis desesperam pela divulgação do novo papa e os conselheiros sem mais nenhuma solução decidem recorrer à psicanálise, confrontando dois ideais numa era moderna cheia de dúvidas.

 

 

Nanni Moretti compõe assim uma das suas mais ousadas obras, um intelecto sobre as fraquezas de uma religião que não consegue evoluir e do medo de responsabilidades, alusão talvez algo metafórica do empenho da Igreja Cristã ao longo dos tempos. A ironia e a arrogância, de certa maneira estabelecida na personagem encarnada por Moretti, encontra-se estampada na narrativa que segue um sensível e terno Piccoli até conduzir a um final algo trágico e apocalíptico. Pelo meio ainda temos sequências deliciosas a não perder, como por exemplo um torneio de voleibol entre os cardeais “prisioneiros”.

 

 

Vaticano poderá ter corado face a tal retrato de certa forma anti-clerical, mas ninguém nega o realismo com que o autor reproduz um ritual tão misterioso que é o conclave. Habemus Papam é algo que recria o medo da extinção de ideais, processos e credibilidades, sem medo de ser directo nem objectivo. É a metáfora de uma ansiedade inerente de uma instituição religiosa, onde o apetecido cargo máximo já não é visto como uma bênção, mas sim uma maldição pelo qual ninguém deseja estar preso. A ver esta psicanálise cinematográfico de um dos maiores medos a nível global, a descrença de uma das mais poderosas religiões do mundo.

 

Real.: Nanni Moretti / Int.: Michel Piccoli, Nanni Moretti, Jerzy Stuhr

 

 

8/10

publicado por Hugo Gomes às 22:17
link do post | comentar | partilhar

 

Dennis Quaid é um psicopata apaixonado por mortos no próximo filme de Martin Guigui (Changing Hearts). A próxima obra de terror intitulado de Beneath the Darkness é uma fita que promete ser plena de suspense e calafrios, a história se resume a um grupo de jovens que ao descobrir um obscuro segredo de um vizinho, são perseguidos e mortos pelo mesmo, obviamente poderemos contar com aquele factor de que ninguém acredita neles incluindo as autoridades. Para além do actor principal, no elenco podemos contar com Tony Oller (da série CSI Miami), Aimee Teegarden (Scream 4), Stephen Lunsford (Bratz) e Devon Werkheiser (We Are Soldiers), Beneath the Darkness tem data de estreia para 6 de Janeiro de 2012 nos EUA, por cá a estreia ainda não se encontra estabelecida.


publicado por Hugo Gomes às 17:48
link do post | comentar | partilhar

18.12.11

tags:

publicado por Hugo Gomes às 22:30
link do post | comentar | partilhar

Armagedão dramático!

 

Lars Von Trier obteve este ano o sensacionalismo, muito graças às suas palavras em defensa de Hitler, proferidas no último Festival de Cannes, acto o qual obteve como consequência a sua expulsão no referido evento cinematográfico. O realizador de Dogville e Dancer in the Dark encontrou-se então nas “bocas” do Mundo, novamente após a polémica do seu extremo gráfico Antichrist em 2009. Melancholia, cujo mérito pessoal pode ter sido abafado pela má conduta do realizador, foi uma obra que rendeu a critica em geral, tendo vencido o prémio de Melhor Filme na European Film Awards.

 

 

A fita protagonizada por Kirsten Dunst (vencedora da Prémio de Melhor Actriz do Festival de Cannes) é um conjunto de maneirismo em simbiose com o ego do autor, remetendo-nos a uma visão algo melancólica e sob uma perspectiva da pessoa comum quanto ao badalado fim do Mundo. Porém a premissa só se revela na segunda parte do filme, que até somos deduzidos a um casamento de contornos algo cínicos, onde a personagem principal encontra-se deslocada do resto da comunidade, absorvida por um sentimento pesarosamente profundo.

 

 

Dunst lidera um elenco escolhido a dedo por Von Trier, porém a personagem que se destaca é mesmo a de Charlotte Gainsbourg (anteriormente vista em Antichrist), que fermenta o pânico e o medo. Quanto à premiada protagonista, o seu desempenho está longe dos seus arquétipo nas grandes produções hollywoodescas, sendo que os fãs da sua aparição na trilogia Spider Man de Sam Raimi sentirão diferenças na sua própria figura, a mudança de menina para mulher feita. Todavia a sua prestação que tal como o titulo indica, é melancólica, algo que soe por vezes inexpressivo e realmente depressivo, mas que funciona no centro de uma invulgar historia apocalíptica. Sublinho contudo as passagens dos actores John Hurt, Kiefer Sutherland, Alexander Skarsgard e Charlotte Rampling em prol do trabalho de Von Trier.

 

 

Melancholia opera assim como uma obra estranha e única no seio do "cinema-desastre", porém exibe todas as características tão próprias do egocêntrico autor, que é realmente um verdadeiro director de actores. A música, a imagem, a narrativa fragmentada por capítulos líricos e percorridos descontraidamente como uma partitura de música clássica e por fim a evolução algo paranormal do seu próprio desenvolvimento são pontos comuns entre esta fita e os restantes da carreira de Lars Von Trier. Um irrecusável convite a um mundo melancólico de tamanha beleza e preservação.

 

"I smile, and I smile, and I smile."

 

Real.: Lars Von Trier / Int.: Kirsten Dunst, Charlotte Gainsbourg, John Hurt, Kiefer Sutherland, Alexander Skarsgard, Charlotte Rampling, Stellan Skarsgard

 

 

Ver Também

Antichrist (2009)

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 22:18
link do post | comentar | partilhar

Real.: Seth Gordon / Int.: Jason Bateman, Colin Farrell, Kevin Spacey

 

Filme – Chegando a ter um elenco de luxo (Farrell, Spacey, Jamie Foxx e Jennifer Aniston), Horrible Bosses é uma pertinente comédia negra (quem nunca teve o pensamento de matar o patrão), mas que funciona numa colectânea de gags irresistíveis e personagens cativantes, deslocadas e por vezes inesquecíveis. Uma das comédias do ano!

 

AUDIO
Inglês Dolby Digital 5.1
Húngaro Dolby Digital 5.1
Checo Dolby Digital 5.1

 

LEGENDAS
Português
Árabe
Checo
Grego
Hebraico
Húngaro
Romeno
Inglês para Surdos

 

EXTRAS
Cenas Inéditas Não Exibidas no Cinema

 

Distribuidora – Zon Lusomundo

 

 

Ver Também

Horrible Bosses (2011)

 

FILME –

DVD -

tags:

publicado por Hugo Gomes às 17:31
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Poirot não descansa! Avan...

Ghost Dog terá sequela!

A Liga da Justiça decepci...

Primeiro vislumbre da seq...

Arranca o 11º LEFFEST – L...

The Square (2017)

Pedro Pinho avança com no...

Justice League (2017)

Hitman será série de tele...

Vem aí novo spin-off de S...

últ. comentários
Nice. Ansioso por ler a crítica e a entrevista ent...
Rapaz, o Lucky já o vi em visionamento de imprensa...
Em quais sessões estás interessado? Amanhã vou ver...
Ando por lá, sim, nem que seja só para entrevistas...
Aquela música, meu! Voltei a ser criança. Hugo, pe...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO