Data
Título
Take
29.12.13

Entre o sangue e o afecto!

 

Desde Still Walking (2008) que não restam duvidas, Hirokazu Koreeda é o novo detentor do titulo "o mais japonês de todos os realizadores japoneses", o verdadeiro descendente da arte de Ozu. Um dos poucos capazes de transformar temas do quotidiano, enredos triviais sem força fílmica, em espectáculos cinematográficos de excelência, incutindo e preservando as relações entre as diferentes personagens, mantendo as suas ambições dramáticas. Contudo com Like Father, Like Son, a sua nova obra, o espectador assíduo do percurso artístico de Koreeda depara-se até ao momento com o seu filme mais ousado e sofisticado, sem com isso perder o seu toque como "amante" do mais caloroso dos sentimentos.

 

 

 

A ternura é algo que demora a sentir nesta nova criação, mas quando por fim é "solto" difícil mesmo é não ficarmos avassalados com tamanha percussão. Like Father, Like Son nos remete a um enredo que parece predilecto dos inúmeros ensaios "telenovelescos" e mediáticos; um casal da classe média alta que descobre que o filho de seis anos na verdade não é seu, mas sim fruto de uma troca na maternidade. O legitimo encontra-se aos cuidados de uma peculiar família de classe média baixa, o qual ambas as partes decidem exercer uma troca de forma a compensar os anos perdidos a criar o filho errado. Contudo esta decisão irá durante o percurso narrativo questionada pelos diversos dilemas, quer de legado ou simplesmente de amor.

 

 

Uma colisão entre classes sociais onde Hirokazu Koreeda "toca" mas não aprofunda, sendo que o seu cinema não erguido sobre panfletarismo nem intervenções a foro social, mas sim em emanar a emoção que parece algo perdida no cinema de hoje. Claramente, Like Father, Like Son é um profundo "must" na sua ênfase dramática, um jogo de emoções que cada espectador deliciará em ser manipulado, tudo isto num processo delicado, sensível e sim … modesto e humilde. Koreeda não seguiu o telefilme nem sequer novela, incutiu cinema de coração e manteve intacto o seu estilo já reconhecido.       

 

Real.: Hirokazu Koreeda / Int.: Masaharu Fukuyama, Machiko Ono, Yôko Maki

 

 

Ver Também

Still Walking (2008)

 

9/10

publicado por Hugo Gomes às 23:47
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

Pinhead de regresso! Divu...

Primeiro vislumbre de Joh...

QUOTE #7: Pauline Keal

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO