Data
Título
Take
17.10.13

 

O indie intencionado!

 

Noah Baumbach levou a Nouvelle Vague para Hollywood, uma influência tão presente na sua forma como a perseverança da fotografia monocromática digna de um dos melhores exemplares de Woody Allen, Manhattan. Contudo Frances Ha não é somente estilo e experimentalidade, é sim um filme que reserva uma mensagem tão pessoal como activa na sociedade actual que vivemos. A maturidade cada vez mais tardia e a independência pessoal consecutivamente adiada encontram-se vincadas na personalidade da homónima protagonista, Greta Gerwig no seu melhor.

 

 

Ela compõe um personagem de difícil interacção com o público, uma figura caótica e auto-destrutiva, uma jovem sem planos definidos cujo seu egoísmo (por vezes a ausência dele) e a conformidade com que encara o seu quotidiano, são como "armas maciças" que versa a sua jornada pessoal. Talvez o facto de ser uma personagem demasiado estranha para o espectador e a narrativa algo alternativa auferida por Noah Baumbach, não tornam Frances Ha em nenhum sintetizador de emoções. Mas mesmo assim, nada impede que a obra, perante tal extensa máscara, não consiga demonstrar o seu lado mais sentido, espelhado um retrato que se revela identificar com cada um de nós, o auge da concretização pessoal descrita nos primeiros passos emancipadores da protagonista. É que minutos após do seu desfecho, deparamos nós próprios com uma autónoma vontade de mudar, batalhar pelo destino negado e acima de tudo, crescer. Sem o auxilio de qualquer artificio que manipule o sentimento do espectador, Frances Ha se exibe como um sincero "mensageiro".

 

 

Nada de emoções bacocas, ênfases dramáticas ou de formatações baratas e revistas no cinema mais académico, tudo a cru e "despido" que até mesmo a referida fotografia, da autoria de Sam Levy, se revela como uma exposição quanto a sua falta de intrusão para com os sentimentos do espectador. Aliás, minto, o único momento que nos sentimos verdadeiramente manipulados (porém sem sendo algo de nocivo) é na maravilhosa sequência em que assistimos a por vezes graciosa Greta Gerwig, correndo e pulando de jeito sincronizado ao som do vibrante Modern Love de David Bowie (uma clara referência a Mauvais Sang, de Leos Carax), como um musical anos 80 se tratasse. É por estas e por outras que Frances Ha consegue ser um portento trabalho de direcção. Um dos melhores indies que temos o privilégio de assistir.

 

"Sometimes it's good to do what you're supposed to de when you're supposed to do it."

 

Real.: Noah Baumbach / Int.: Greta Gerwig, Mickey Sumner, Adam Driver

 


 

Ver Outros

C7nema / «Frances Ha» por Hugo Gomes

 

10/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 00:57
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Harvey Weinstein expulso ...

Arnaud Desplechin com nov...

Arranca hoje o 22º Cine'E...

Seguimos de viagem com o ...

Falando com José Pedro Lo...

The Foreigner (2017)

TRAÇA apresenta segunda e...

Luc Besson tem novo proje...

Le Fils de Jean (2016)

Novos actores na sequela ...

últ. comentários
Boas biopics são os verdadeiros e honestos retrato...
Boa Tarde; enviei-lhe um email para o seu email. O...
Uma Jóia do Cinema. O Kubrick sempre foi muito sub...
Já tinha visto este trailer e antes de ver fiquei ...
O Nuno Lopes tem anunciado no Instagram e no Faceb...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO