Data
Título
Take
29.7.13

Inferno divinal!

 

Ryan Gosling é Julian, um gerente de um clube de boxe tailandês situado na capital tailandesa, Bangkok, que a pedido da sua impiedosa e cruel mão, Crystal (Kristin Scott Thomas), procura o assassino do seu irmão, um implacável policial que faz justiça com as próprias mãos (Vithaya Pansringarm). Depois do estilístico Drive (2011), o actor volta a reunir com o realizador Nicolas Winding Refn para transmitir uma sensação infernal quase digno da visão de Dante Alighieri.

 

 

Sob um visual algo saturado e luxurioso que invoca uma Bangkok fantasmagórica e lyncheriana, Only God Forgives culmina um retrato de violência não apenas de uma singela vingança, mas sim a libertação de um homem pela opressão o qual é vítima da sua antagónica matriarca (fantástica que se encontra Kristin Scott Thomas). Gosling, o acorrentado ao ainda ventre da sua progenitora, que sob um jeito algo incestuoso invoca mais um herói dignamente refniano, frio, calculista, munido de uma natureza algo violenta e de diálogos quase ausentes e quando presentes, secos e curtos. Only God Forgives apresenta-se como um mosaico vivo, uma tragédia grega expressionista, uma obra de uma eficácia intrínseca, de difícil digestão mas de um impacto que não sendo imediato, hipnotiza. Nicolas Winding Refn distorce os maniqueísmos, envolve-se em simbolismos e utiliza a violência não como uma opção mas como uma arte integrada na narrativa.

 

 

Tendo sido recebido com assobios e uma recepção algo fria pela crítica e público no Festival de Cannes, Only God Forgives é uma obra que deve ser saboreada, vista entrelinhas, para que seja possível entrar num mundo singular e intrínseco que surge entre nós como um assombroso espectro. Tem os seus excessos de pretensiosismo, mas no geral este Só Deus Perdoa (titulo traduzido) é uma estilística viagem a um cinema que cada vez nos conquista. Não tão único como Drive, mas que mesmo assim continua a ser distinto.

 

Real.: Nicolas Winding Refn / Int.: Ryan Gosling, Kristin Scott Thomas, Vithaya Pansringarm, Tom Burke

 

 

Ver também

Drive (2011)

 

Outros

C7nema / «Only God Forgives» (Só Deus Perdoa) por Hugo Gomes

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 11:45
link do post | comentar | partilhar

sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Jean-Pierre Verscheure na...

KINO regressa com a sua 1...

Trailer de Ghostland, o n...

Clive Owen junta-se a Wil...

Leonardo DiCaprio protago...

John Wick será série de t...

Quote #09: Body Snatchers...

Jeanne! será o próximo fi...

Pop Aye (2017)

Quote #8: All Abou Eve (J...

últ. comentários
Este gênero nunca foi um dos meus preferidos, póre...
Concordo, "Índice Médio de Felicidade" e "Malapata...
O "São Jorge" é até agora o meu preferido, mantend...
Vi hoje, Robert Pattinson no seu melhor! Que venha...
Uma das maiores surpresas do ano, mesmo sendo do W...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
25 comentários
20 comentários
13 comentários
12511335_1084470088250815_732384524_o
subscrever feeds
blogs SAPO