Data
Título
Take
19.4.14


publicado por Hugo Gomes às 21:31
link do post | comentar | partilhar

 

Jeune et Jolie (Jovem e Bela) de François Ozon com sessões diárias no Monumental (Lisboa) e UCI Arrábida (Porto). Recomendado pelo Cinematograficamente Falando …

 

 

Ver Crítica aqui


publicado por Hugo Gomes às 20:03
link do post | comentar | partilhar

 

Foi divulgado o primeiro trailer de Jersey Boys, a nova obra de Clint Eastwood com o argumento de Marshall Brickman (Manhattan) e Rick Elice, que nos remete à origem do influente grupo musical, The Four Seasons, considerado a mais popular banda de rock antes dos britânicos The Beetles. O titulo do filme é aludido à origem do primeiro quarteto da banda, todos eles oriundos da Nova Jersey.  The Four Seasons iniciariam como banda de jukebox nos anos 60, contudo o sucesso garantiu-lhes uma abrangência impar que prolonga até aos dias de hoje, Frankie Valli (o vocalista que no filme é interpretado por John Lloyd Young) é o único membro original que continua na banda actualmente. Big Girls Don´t Cry, Sherry, Can´t Take My Eyes Off You e Walk Like a Man são alguns dos êxitos do referido quarteto. Jersey Boys tem estreia para 28 de Agosto em Portugal e no elenco poderemos contar com as participações de Freya Tingley (da série Era Uma Vez …), Christopher Walken (Pulp Fiction), Vincent Piazza (da série Brodwalk Empire), James Madio (Hook), Steve Schirripa (Hereafter: Outra Vida) e Mike Doyle (Green Lantern).

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui


publicado por Hugo Gomes às 19:10
link do post | comentar | partilhar

 

Uma das mais esperadas estreias do próximo Festival de Cannes é The Rover, o novo filme de David Michôd (The Animal Kingdom), escrito pelo próprio em conjunto com Joel Edgerton. A história nos remete a um futuro próximo onde a sociedade entrou em colapso, e nesse cenário pós-apocalíptico seguimos um homem (Robert Pattinson, Twilight) que se junta com um solitário batedor (Guy Pearce, Memento) para encontrar o gangue de ladrões que roubou o seu carro. Scott McNairy (Argo), David Field (Two Hands) e Anthony Hayes (Animal Kingdom) completam o elenco.

 

 

Ver também

The Animal Kingdom (2010)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 


publicado por Hugo Gomes às 18:28
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

 

A produção documental, I Love Kuduro, dos irmãos Patrocínio (Complexo: Universo Paralelo), venceu no passado Cineport - Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa no Brasil, o prémio de Melhor Fotografia. Prémio esse que foi entregue ao director de fotografia, Pedro Patrocínio. I Love Kuduro é uma produção da portuguesa BRO e da angolana De Banda, um documentário que aborda a origem do estilo musical Kuduro e da sua propagação de Angola para o resto do Mundo.   

 

Ver também

DocLisboa '13: I Love Kuduro, uma viagem pelo universo kuduro!

Os irmãos Patrocínio em busca do Kuduro!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 


publicado por Hugo Gomes às 18:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

 

BeActive encontra-se na Irlanda para as gravações de The Stand Up's, a nova série documental da produtora portuguesa que seguirá um grupo de 5 jovens comediantes (Colm Tyrell, Chris Kent, Alison Spittle, Robbie Bonham e Niamh Morron)  até ao Festival  de Comédia de Edimburgo.  A série, que conta com a produção de Nuno Bernardo (Beat Girl, Collider), vai ser transmitida no horário nobre do canal irlandês TV3.

 

Ver Também

A Estrada da Revolução já disponível em VOD!

Estreia da semana: A Estrada da Revolução, acompanhando a mudança!

Beat Girl, da portuguesa BeActive, nomeada para os Emmys

PASSATEMPO: A Estrada da Revolução

A Estrada da Revolução: A viagem pelo Médio Oriente

Collider terá sequela ... em formato videojogo!

Estreia Amanhã: Collider, o desconhecido futuro!

O português Collider tem antestreia no Festival de Cinema de Londres!

Collider: beActive sai vencedora em disputa contra a DC Comics

Primavera Árabe através de portugueses vence Prémio do Clube de Jornalistas!

Collider na Central Comic-Con

BeActive apresenta Collider em Galway!

Beat Girl ainda nos cinemas!

Beat Girl (2013)

Especial Antevisão: Beat Girl

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 18:09
link do post | comentar | partilhar

 

Foram divulgadas as primeiras imagens de MacBeth, a nova adaptação da homónima peça de William Shakespeare. O filme será realizado por Justin Kurzel (The Turning, Snowtown) e contará como protagonistas os actores Michael Fassbender (12 Years a Slave) e Marion Cottilard (Rust and Bone). Com estreia agendada para 2015.

 

 


publicado por Hugo Gomes às 03:36
link do post | comentar | partilhar

 

O ex aquo The Special Need, de Carlo Zoratti e Cosimo Bizzarri, e La Mafia uccide solo d'estate (A Máfia Só Mata no Verão), de Pierfrancesco Diliberto, foram os vencedores do Prémio de Júri da 7ª edição do 8 1/2 da Festa do Cinema Italiano, que decorreu em Lisboa desde o dia 10 até 18 de Abril no Cinema São Jorge e na Cinemateca de Lisboa. O júri da competição era composto por Lorenzo Cordelli, vice-director da Cineteca del Friuli di Gemona e prestigiado crítico de cinema, Jean Paul Bucchieri, encenador, investigador e docente na Escola Superior de Teatro e Cinema e o fadista Camané. Enquanto que o Prémio de Publico (Prémio Canis TVCine) "caiu" para  as mãos de Zoran, Il mio Nipote Scemo de Matteo Oleotto, o anterior vencedor do Prémio da Semana da Crítica Internacional do Festival de Veneza. Para além do certame, o lendário director de fotografia Vittorio Storaro, que esteve presente no festival para a apresentação do seu livro The Art of Cinematographic e a versão 3D de The Last Emperor (O Último Imperador) de Bernard Bertolucci (o qual venceu o seu terceiro Óscar), recebeu o Prémio Carreira pelo seu trabalho impar de fotografia em mais de 60 produções.

 

 

Ver Também

La Mia Classe (2013)

Anni Felici (2013)

La Prima Neve (2013)

8 1/2 Festa do Cinema Italiano: O Ultimo Imperador 3D e O Capital Humano encerram festival!

8 1/2 Festa do Cinema Italiano: Indebito de Andrea Serge e Vinicio Capossela no São Jorge

8 1/2 Festa do Cinema Italiano: Too Much Johnson, o perdido de Orson Welles

8 1/2 Festa do Cinema Italiano: Salvo

Viva la Libertà (2013)

Arranca hoje a 7ª Edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

O Último Imperador em 3D na 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 


publicado por Hugo Gomes às 03:27
link do post | comentar | partilhar

18.4.14

Entre o real e a ficção!

 

Alain Resnais e Marguerite Duras criaram em 1959 um filme quer iria ditar o rumo do cinema, Hiroshima, Mon Amour, aquele que seria um dos "sopros" cruciais da Nouvelle Vague e com isso uma nova perspectiva de fazer filmes. Resnais havia prometido aos seus produtores um documentário, mas o que conseguiu foi um misto, um híbrido que conecta o realismo de uma cidade sucumbida do dia para a noite com as fugas do passado da sua protagonista. O resultado foram dois atores profissionais que se envolveriam num ambiente que é tudo menos ficcional. Seria herege comparar La Mia Classe, de Daniele Gaglianone, com a obra-prima de Resnais e Duras, mas a verdade é que ambos estabelecem uma fronteira cada vez mais estreita entre o que é ficção e real.

 

 

No filme, Valerio Mastrandea desempenha um professor que ensina a língua italiana a uma turma de imigrantes. Os imigrantes fazem deles próprios, pois estão convictos de integrarem o "elenco" de um documentário. A verdade é que o conteúdo do produto documental em si é dissipado e guiado pela "traição", porque o realizador permitiu uma captação do real, ou seja as câmaras continuaram a filmar nos momentos que supostamente deveriam parar. Gaglianone consegue com isto um exercício que desafia o espectador a confrontar-se com os medos e situações com que esta turma multicultural se depara, não nas aulas filmadas, mas no seu quotidiano, questionando que por trás de um estereotipo ou de um cliché existe uma cara, e mais, uma experiência de vida.

 

 

São pessoas reais manipuladas e convencidas a pertencer a um mundo ficcional, mas que mesmo sob essa vertente fictícia comportam-se somente como eles próprios, peões numa realidade constantemente moldável que levam consigo um "intruso" (Valerio Mastrandea).

 

Filme visualizado na 7ª edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 

Real.: Daniele Gaglianone / Int.: Valerio Mastrandea, Daniele Gaglianone

 

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 20:41
link do post | comentar | partilhar

Em anos felizes!

 

Desde os tempos da Grécia Antiga que sempre se ouviu falar de histórias sobre filhos que matavam os seus país para poderem amar "a solo" as suas mães. Estes gestos macabros a sangue frio, revelavam uma certa psicologia freudiana em que nos remetia à primeira paixão de qualquer homem, a sua mãe. Amor materno por vezes conduz a loucuras, ciúmes obsessivos, entre outros, mas no outro lado da moeda, às mais delicadas cartas de amor, e uma delas é Anni Felici, uma autobiografia de Danielle Luchetti, em que próprio associa a sua paixão pelo cinema com a descobertas dos afectos para com a sua mãe. E é talvez sob esse modelo de declaração amorosa que a obra acentua um grau de sensibilidade elevada.

 

 

Um realizador como Luchetti habituado em retratar laços familiares no cinema, não tem medo de sujar as suas mãos no que requer a expor a vida privada e a relação por vezes complicada com o seu marido na tela, ao mesmo tempo que branqueia e dignifica a mesma. Em Anni Felici são muitos os elementos que povoam a narrativa: adultério, homossexualidade, descobertas a foro intimo, amores estivais, separação, contudo tudo é induzido numa arte performativa que em simultâneo conjuga com a poesia visual. Este é um filme que Danielle Luchetti prova uma vez mais que não sabe fazer telenovela ou tragédia grega, mas sim requisitar fragmentos memoriais e inseri-los numa narrativa calorosa e terna.

 

 

Depois disso tudo é um conjunto de actores que possui o cargo de preencher tais memórias, com Kim Rossi Stuart e Micaela Ramazzotti a compor um dos romances mais conturbados e ao mesmo tempo carnais dos últimos anos no cinema.   

 

Filme visualizado na 7ª Edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 

Real.: Danielle Luchetti / Int.: Kim Rossi Stuart, Micaela Ramazzotti, Martina Gedecki

 

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 20:39
link do post | comentar | partilhar

À espera da neve!

 

La Prima Neve é um filme que nos remete às ausências e as consequências de tal, um efeito talvez demasiado contrário à simbólica chegada da primeira neve do ano, um evento esperado que na nova obra de Andrea Serge é visto como o momento em que dois seres abalados pela perda tornam-se cúmplices afectivamente e por razões obvias no aludido titulo. De volta ao tema da imigração, o cineasta Andrea Serge recicla tal temática que tão bem usufruiu em Io Sono Li para fortalecer os laços afectivos entre os seus personagens. De inicio aparentemente frigido, La Prima Neve invoca o sentimento de um jeito melancólico, vivido na narrativa seca e ausente.

 

 

No centro desta busca em preencher o vazio inerente, encontramos Dani (Jean-Christophe Folly), oriundo de Togo que para escapar da Guerra da Líbia seguiu para Itália, mas o seu percurso ao país que o acolheu foi marcado por uma tragédia sem igual. Tragédia essa, que criará um afastamento emocional para com sua filha de apenas um ano de idade. Em paralelo nos deparamos com Michelle, uma criança rebelde que constantemente culpa a sua mãe pela trágica morte do seu pai. O destino das duas personagens se cruzarão, e os contínuos convívios entre ambos gerará as soluções necessárias para as respectivas ausências vividas. Dani encontra em Michelle o afecto de um filho e Michelle encontra em Dani o seu pai há muito perdido.

 

 

Esta relação traz à memória uma certa irreverência do conto de Tom Sawyer, nem que seja pela semelhante desta amizade improvável, mas La Prima Neve comporta algo mais que as crónicas de um miúdo "bravio". É um drama detalhista e naturalista que conserva todos os elementos que parecer já fazer parte da filmografia de Andrea Serge. Talvez devido a isso é que esta nova obra deixa rasgos para um certo desapontamento, não pela sua construção narrativa, técnica ou interpretativa, mas pelo revisitar dos lugares-comuns. Contudo continua como um sólido retrato com iguais personagens e interpretações.     

 

Filme visualizado na 7ª edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 

Real.: Andrea Serge / Int.: Matteo Marchel, Jean-Christophe Folly, Anita Caprioli

 

 

6/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 15:10
link do post | comentar | partilhar

 

Daqui a pouco na 8 1/2 Festa do Cinema Italiano, o lendário director de fotografia Vittorio Storaro (Apocalypse Now) irá apresentar a inauguração do 3D no Cinema São Jorge em Lisboa, com a cópia restaurada de The Last Emperor (O Último Imperador), a obra maior de Bernardo Bertolucci que venceu o Óscar de Melhor Filme em 1987 e um dos trabalhos mais relevantes de Storaro (também galardoado com o Óscar). Esta sessão especial terá lugar pelas 15h00.

 

 

A obra de Paolo Virzi, Il Capitale Humano (O Capital Humano), baseado num livro de Stephen Amidon, foi o filme elegido para encerrar a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano (10 - 18 de Abril). Em O Capital Humano, duas famílias completamente diferentes irão interagir após um acidente na Véspera de Natal. O filme terá lugar pelas 21h30 no Cinema São Jorge.

 

 

Ver também

Arranca hoje a 7ª Edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

O Último Imperador em 3D na 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 


publicado por Hugo Gomes às 14:01
link do post | comentar | partilhar

17.4.14

 

Daqui a pouco no Cinema São Jorge, o documentário Indebito de Andrea Serge (Io Sono Li), uma retrospectiva do artista musical Vinicio Capossela e da sua relação com o Rebetiko, um estilo musical grego de cariz revolucionário. A sessão terá inicio pelas 21h30 na sala Manoel de Oliveira e contará com a presença do próprio Capossela. Indebito encontrou-se em competição no passado Festival de Locarno. 

 


publicado por Hugo Gomes às 17:32
link do post | comentar | partilhar

 

Hoje, 17 de Abril, às 19H00 no Cinema São Jorge iremos encontrar uma das mais esperadas sessões da 7ª edição da 8 1/2 Festa do Cinema Italiano, a exibição do filme reencontrado de Orson Welles, Too Much Johnson. Encontrado por acaso em 2008, na cidade portuária de Pordenone (Itália) e restaurada pela George Eastman House em Nova Iorque, esta obra que data três anos antes da assinada obra-prima de Welles, Citizen Kane, foi galardoado na 48ª edição de entrega de prémios da National Society of Film Critics e obteve estreia mundial em Itália, acompanhado musicalmente pelo pianista e compositor Filipe Raposo. A história de Too Much Johnson, baseado numa comédia teatral de 1894, narra as aventuras de uma playboy nova-iorquino que rouba a identidade de um proprietário de uma plantação de Cuba para poder fugir ao marido de uma das suas amantes. A não perder! 

 

Ver Também

Descoberto filme perdido de Orson Welles

Citizen Kane (1941)

Arranca hoje a 7ª Edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano

 


publicado por Hugo Gomes às 12:09
link do post | comentar | partilhar

 

Estreia hoje, dia 17 de Abril, The Act for Killing (O Acto de Matar), um documentário corajoso onde o realizador e a sua equipa desafiam os lideres dos esquadrões da morte da Indonésia a desempenhar os seus exactos papeis numa reconstituição do genocídio. Um exercício perturbador que nos levará à essência da violência humana. Nomeado ao Óscar de Academia na categoria de Melhor Documentário, The Act of Killing é já considerado por imensos críticos e cinéfilos como um dos filmes do ano.  

 

Em exclusivo no Cinema City Classic Alvalade

 


publicado por Hugo Gomes às 11:12
link do post | comentar | partilhar

17.4.14

O que é o documentário?

 

Será possível alcançar os limites do documentário? Existe uma matriz que o define ou uma formula mestra que nos realça a verdadeira essência equacional da sua transfiguração enquanto cinema? Com Elena, de Petra Costa, tais questões surgem e assentam na atmosfera fantasmagórica com que o documentário se funde com a poesia, quer lírica quer visual, a encenação com a realidade dos factos e a emoção técnica com a frieza da narrativa. Todos esses ingredientes contraditórios unem-se para gerar um híbrido, não no sentido abominável, mas no divino da palavra. Um filme que paira entre os diversos cantos da arte, passando pelo teatro primórdio remoto da Grécia Antiga até aos maneirismos do egocentrismo artístico tão claro na Arte Moderna.

 

 

Elena é acima de tudo uma carta de amor pública, denunciante aos lugares-comuns e às banalidades da mesma, construindo uma linguagem suportada por um visual digno de barro, inegavelmente moldável e cúmplice para com a sua autora, Petra Costa, que dedica este trabalho à sua falecida irmã, um modelo que seguiu de perto e que viu sucumbir num ápice. Contudo, nunca na sua memória, pelo que Elena (filme) remete-nos à perda e ao medo da solidão, ao espírito decadente que inflige os seus golpes numa narrativa que para além de reforçada com o seu instinto artístico é combatida pelo afecto e pela veneração de uma figura carregada de emoção. É que a autora constrói uma fita tão pessoal que chegamos a sentir-nos culpados em "invadir" este seu Mundo.

 

 

Voltando à questão inicial, é possível identificar o esgotamento da veia documental? Por enquanto não nos é permitido garantir uma resposta concreta, sendo assim, Elena demonstra o quão ínfimas são as possibilidades de trazer cinema e torná-lo em algo infinitamente diversificado. Onde muitos viram vídeos caseiros e citações poéticas, Petra Costa viu Arte na sua forma mais pessoal.

 

Filme visualizado no FESTin 2014: Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa.

 

Real.: Petra Costa / Int.: Li An, Elena Andrade, Petra Costa

 

10/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 11:06
link do post | comentar | partilhar

16.4.14

 

O falecido Philip Seymour Hoffman e John Turturro são as principais estrelas de God's Pocket, dirigido pelo actor John Slattery (da série Mad Men), cujo o trailer foi recentemente divulgado. Baseado num novela de Peter Dexter, God's Pocket (apresentado no último Festival do Sundance) nos remete à história de um homem que tenta ocultar o corpo do seu "afilhado" e que é importunado por um colunista com ambições de desvendar a verdade por detrás da estranha morte. Eddie Marsan (Sherlock Holmes), Christina Hendricks (da série Mad Men), Richard Jenkins (The Visitor) e Caleb Landry Jones (Antiviral) completam o elenco. 

 

 

Ver Também

Morreu Philip Seymour Hoffman

Philip Seymour Hoffman protagonizará God's Pocket


publicado por Hugo Gomes às 23:37
link do post | comentar | partilhar

A corrida ao ouro!

 

Depois da sua má experiência nos EUA com Gone, o realizador brasileiro Heitor Dhalia regressa ao seu país natal para compor uma grande produção nunca vista na produção nacional, Serra Pelada, a corrida ao ouro na Amazónia, uma das maiores da Era Moderna. Sob um visual impressionante, onde Dhalia tem a "feliz cartada" de combinar a ficção com imagens reais de uma massa humana insólita, Serra Pelada funciona como um filme de época esteticamente e de reprodução estruturada, mas esquece-se que sem conteúdo não se vai a lado nenhum, e aí que reside os seus maiores problemas.

 

 

No seio deste cenário desolador de obsessão humana seguimos dois amigos, Joaquim (Júlio Andrade) e Juliano (Juliano Cazarré), que abandonam São Paulo em prol da promessa de fortuna. Cedo conseguem ascender dentro do garimpo (zona de exploração) e ter o seu próprio barranco, mas a febre do ouro tem consequências irreversíveis para os dois, onde inimigos se revelam e a própria amizade de ambos é posta à prova face ao crescimento rápido do negócio. O que inicialmente eram sonhos tornam-se em autênticos pesadelos.

 


Demasiado esquematizado e narrativamente desfragmentado para o nosso gosto (visto que o filme foi produzido inicialmente como uma série de televisão), o filme evolui com um impacto dramático que desvanece a cada cena e onde sobressaem desempenhos vazios, apesar do esforço de Juliano Cazarré, personagens descartáveis, unidimensionais, ainda que seja inegável que se valoriza pelos seus inegáveis valores de produção. Esses mesmos, evidenciam que no Brasil é possível concretizar cinema apelativo para as massas e nalguns casos superar os lugares-comuns da telenovela. Porém, e apesar de Heitor Dhalia demonstrar bons detalhes no início, acabar por prematuramente ceder ao gosto da megalomania.

 

 

Ainda assim, vale a pena frisar que, por exemplo, Portugal continua a ser um país necessitado deste tipo de produções, mas parece que por falta de interesse ou por fraca astúcia, apenas se espera à "sombra da bananeira" pelo subsidio e não se ataca potencias co-produções com outros mercados para desenvolver obras de maior dimensão.

 

Filme de abertura do FESTin 2014: Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa.

 

Real.: Hector Dhalia / Int.: Juliano Cazarré, Júlio Andrade, Wagner Moura, Sophie Charlotte, Matheus Nachtergaele

 

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 18:08
link do post | comentar | partilhar

 

Ver Também

Gone Girl na Entertainment Weekly

Primeira imagem de Gone Girl, o novo de David Fincher

tags:

publicado por Hugo Gomes às 17:52
link do post | comentar | partilhar

 

Ver Também

X-Men (2000) 

X-Men: The Last Stand (2006

X-Men Origins: Wolverine (2009) 

X-Men: First Class (2011)

Wolverine (2013)

Mystique poderá ter filme a solo!

Vejam o novo poster de X-Men: Days of Future Past

X-Men: Days of Future Past tem novo trailer!

Mais um trailer fresquinho!! (X-Men: Days of Future Past)

Entertainment Weekly revela dois teasers posters de X-Men: Days of the Future

Repetentes na sequela de X-Men: First Class

Bryan Singer de regresso a X-Men

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

tags:

publicado por Hugo Gomes às 14:18
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Fica o aviso, ou melhor 4...

Já nos cinemas: Jeune et ...

Jersey Boys - Os The Four...

The Rover tem estreia em ...

I Love Kuduro vence prémi...

A portuguesa produtora, B...

Michael Fassbender e Mari...

7ª 8 1/2 Festa do Cinema ...

La Mia Classe (2013)

Anni Felici (2013)

últ. comentários
Parece interessante :)Fico contente que este me pa...
Tenho tido uma relação de amor /ódio (*) com os an...
Vi na antestreia e passei um seca terrivel. Não há...
Adorei :D 5*
Adorei este film,não acho taõ mau como dizem, John...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Fraco
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Medíocre
2/10 - Mau
1/10 - Péssimo
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
nombloind.jpg
subscrever feeds
blogs SAPO