Data
Título
Take
24.4.14

 

Foi divulgado o novo trailer de Capitão Falcão de João Leitão, uma produção que nos aborda um super-herói português porém sob um jeito de paródia politica. Nesta fita seguiremos o homónimo vingador mascarado (Gonçalo Waddington) e o seu sideckick, Puto Perdiz (David Chan), ao serviço de Salazar na luta contra o Comunismo e a restauração dos “bons valores” do Estado Novo. Uma produção da Individeos e a ser distribuído pela Zon Lusomundo, contudo ainda sem data de estreia. José Pinto, Miguel Guilherme, Rui Mendes, Tiago Rodrigues, Carla Maciel, Nuno Lopes, Bruno Nogueira, Ricardo Carriço, Manuel João Vieira, António Durães, Luís Vicente e Pepê Rapazote integram o elenco

 


publicado por Hugo Gomes às 13:36
link do post | comentar | partilhar

 

O produtor Paulo Branco revelou ontem, 23 de Abril, durante uma conferência de imprensa que vai avançar com uma queixa contra a distribuidora Big Pictures 2 Films, em causa está, segundo o próprio, práticas irregulares no mercado. Durante a conversa com os jornalistas, o produtor divulgou que essa mesma empresa, liderada por António João, faz exigências “precisas” e “discriminatórias” à Medeia. Um exemplo citado foi o caso da exibição do último filme de Wes Anderson, The Grand Budapest Hotel, o qual a Big Pictures detém, e que foi exigido à Medeia uma quantia monetária de segurança para que este pudesse exibir o filme nos seus cinemas. Prática infrequente no panorama das distribuições / exibições, sendo que por norma é uma percentagem do rendimento do filme em sala que segue para a distribuidora e nada de “garantia de segurança paga de avanço”. Como consequência, Paulo Branco decidiu retirar The Grand Budapest Hotel das suas salas, mesmo estando a gerar excelentes resultados de bilheteira, e recusa a exibir qualquer filme da empresa até que esta situação esteja regularizada.  

 

Ver Também

Paulo Branco denuncia "insustentabilidade da exibição independente"!

 

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 09:22
link do post | comentar | partilhar

 

Aceder à programação e outras informações, aqui

 

 


publicado por Hugo Gomes às 01:23
link do post | comentar | partilhar

 

Já se encontra disponível o trailer do filme Boyhood, a nova obra de Richard Linklater (Before Midnight), que foi apresentada e aclamada no último festival do Sundance. Trata-se de um filme que remete-nos à história de um rapaz desde os seus 6 anos até ao fim da sua adolescência, algo perfeitamente banal dentro do melodrama cinematográfico, porém Boyhood tem um sabor especial - foi filmado durante 12 anos, sendo possível graças a este processo acompanhar o crescimento real dos seus personagens. Ellar Coltrane, Ethan Hawke e Patricia Arquette integram o elenco.

 

 

Ver também

Boyhood: a sensação do Sundance!

Before Midnight (2013)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui


publicado por Hugo Gomes às 01:18
link do post | comentar | partilhar

23.4.14

 

Foi divulgado um novo trailer de Sin City: A Dame To Kill For, a sequela da adaptação cinematográfica da graphic novel de Frank Miller, que fora lançado em 2005 sob a direcção do próprio autor em conjunto com Robert Rodriguez (ambos continuam na realização deste novo capítulo) e uma pequena participação de Quentin Tarantino. Neste novo filme regressaremos a Basin City, a apelidada Nova Babilónia, cenário para as múltiplas histórias ditadas pela violência, corrupção e luxúria. Tendo como estreia prevista para 22 de Agosto nos EUA, Sin City: A Dame to Kill For conta com os desempenhos de Mickey Rourke, Joseph Gordon-Levitt, Jessica Alba, Bruce Willis, Josh Brolin, Rosario Dawson, Eva Green, Juno Temple, Lady Gaga, Jaime King e Ray Liota.

 

 

Ver Também

Sin City: A Dame To Kill For (O Trailer)

Novas imagens de Sin City: A Dame to Kill For

Primeiras Imagens: Josh Brolin na sequela de Sin City

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui


publicado por Hugo Gomes às 23:57
link do post | comentar | partilhar

Depois da bem-sucedida experiência que foi o lançamento em simultâneo em sala, DVD e VOD de Viramundo, Uma Viagem Musical com Gilberto Gil de Pierre-Yves Borgeaud, a distribuidora Alambique decide repetir a iniciativa com dois filmes, ambos com estreia em sala já amanhã, dia 24 de Abril, no Cinema City Classic Alvalade (Lisboa). Os filmes são o documentário Tropicália de Marcelo Machado e For Those in Peril (Por Aqueles em Perigo) de Paul Wright, dois "peões" de um novo modelo de distribuição que permite o espectador ver o respectivo filme da maneira que desejar, seja em experiência numa sala de projecção, quer no conforto de casa por vias do VOD (videoclube de televisão) ou até adquiri-lo em DVD (Tropicália será lançado neste formato no dia 28 de Abril).  

 


publicado por Hugo Gomes às 23:33
link do post | comentar | partilhar

 

Nuno Bernardo, fundador, produtor e argumentista da beActive, empresa especializada na produção e distribuição de conteúdos multi-plataforma, foi seleccionado pela ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual em Portugal para representar o nosso país na 15ª edição do European Film Promotion’s, denominado Producers on the Move, uma iniciativa paralela ao Festival de Cinema de Cannes. Este evento que conta com mais uma década de vida (fundada em 2000) como objectivo reunir mais de 20 produtores europeus que irão orientar outros profissionais da área para eventuais parcerias para os seus futuros projectos ou simplesmente fomentar oportunidades executivas. A empresa beActive está ligadas à produção de filmes como Beat Girl, Collider e o recente documentário A Estrada da Revolução (já disponível para Video On Demand). 

 

 

Ver Também

A portuguesa produtora, BeActive, filma nova série na Irlanda!

A Estrada da Revolução já disponível em VOD!

A Estrada da Revolução (2014)

Estreia da semana: A Estrada da Revolução, acompanhando a mudança!

Beat Girl, da portuguesa BeActive, nomeada para os Emmys

PASSATEMPO: A Estrada da Revolução

A Estrada da Revolução: A viagem pelo Médio Oriente

Collider terá sequela ... em formato videojogo!

Collider (2013)

Estreia Amanhã: Collider, o desconhecido futuro!

O português Collider tem antestreia no Festival de Cinema de Londres!

Collider: beActive sai vencedora em disputa contra a DC Comics

Primavera Árabe através de portugueses vence Prémio do Clube de Jornalistas!

Collider na Central Comic-Con

BeActive apresenta Collider em Galway!

Beat Girl ainda nos cinemas!

Beat Girl (2013)

Especial Antevisão: Beat Girl

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 


publicado por Hugo Gomes às 23:19
link do post | comentar | partilhar

 

A Twentieth Century Fox prepara um remake do clássico de culto Flash Gordon. A nova versão do filme de Mike Hodges e protagonizado por Sam J. Jones já possui produtor, John Davis (Chronicle), e até argumentistas, J.D. Payne e Patrick McKay (Star Trek 3), segundo o The Hollywood Reporter. Baseado numa banda desenhada da autoria de Alex Raymond em 1934, Flash Gordon nos remete à história do homónimo herói, um jogador de football americano que é levando para um planeta desconhecido denominado por Mongo, governado pelo tirano Ming que possui planos para destruir a Terra. Sendo que Flash Gordon tem a missão de impedi-lo. O filme de 1980 contou ainda com as participações de Melody Anderson, Max von Sydow e Timothy Dalton.

 

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:02
link do post | comentar | partilhar

22.4.14

O inicio do legado de Bava!

 

Na primeira longa-metragem que Mario Bava concretiza sozinho, após uma colaboração com cinco obras cinematográficas como co-realizador e director de fotografia, já se fazia antever que o autor seria uma influência no cinema clássico de horror ou na cinematografia italiana em geral. Longe do cognome do “pai do giallo” (género profundamente italiano), Bava investe num cenário digno das fitas de terror da Universal Classic, algo que se pode evidenciar em filmes como Dracula de Tod Browning ou Frankenstein de James Whale, contudo sente-se aqui um teor divergente dessas mesmas, uma alegoria thrash e puramente estética.

 

 

Em La Maschera del Demonio (teve como titulo internacional de Black Sunday), centra-nos como um conto gótico que remete aos tempos de inquisição, bruxaria e vampirismo, onde dois médicos estrangeiros atravessam um negro canto da Romênia, terra atormentada por lendas, maldições e fantasmas, e que eles próprio envolvem perante situações bizarras longe do simples supersticioso. Mario Bava obtém um trabalho excepcional no erguer dos cenários góticos e quase “carnavalescos”, e no visual do filme que, mesmo sendo a preto-e-branco, nos incute uma sugestão de coloração viva e berrante. Uma sensação similar que se pode extrair na visualização de outro clássico, O Gabinete do Doutor Caligari (Das Kabinet des Doktor Caligari) de Robert Wiene.

 

 

Sim, La Maschera del Demonio é uma obra excêntrica, relembrada pelos seus requisitos técnicos e estilísticos, mesmo sabendo que as interpretações são por vezes ditadas por um overacting risível e o argumento, sem muito por onde eduzir, possui um caso de mais “olhos que barriga” (baseado em "Vij",um conto de Nikolaj Gogol). Tais factores são atenuadores da eventual seriedade que a fita poderia transmitir, sem referir ao terror propriamente dito que enfrenta mais e poderoso inimigo – o tempo. Nos dias de hoje, La Maschera del Demonio é obsoleto, mas nada que impeça de ser divertido o bastante para culminar um culto, talvez mais envolto do seu teor trash que propriamente como peça de arte, contudo são as referências que graças à obra de Bava permaneceram no género, sendo que a sua visualização poderá servir de case study das mesmas.

 

 

Eis um filme valioso que apesar de todos as suas fragilidades, merece sempre uma oportunidade para ser visto e revisto, as vezes que forem precisas. E para finalizar vale a pena relembrar que foi La Maschera del Demonio que lançou, a na altura, bela actriz Barbara Steele, que viria a tornar-se numa rainha do trash, para além da sua participação em de Federico Fellini (também ele um dos “discípulos” do legado de Mario Bava).

 

"You will never escape my vengeance, or of Satan's! My revenge will seek you out, and with the blood of your sons, and of their sons, and their sons, I will continue to live forever! They will restore me to life you now rob from me!"

 

Real.: Mario Bava / Int.: Barbara Steele, John Richardson, Andrea Checchi

 

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 23:29
link do post | comentar | partilhar

O canal História nos levará a uma demanda audaciosa à ilha Oak, situada na Nova Escócia. Um local repleto de mistério, visões inexplicáveis e toda uma rede de intriga que envolve personalidades famosas como Roosevelt e John Wayne. O que estará escondido em Oak Island? Os irmãos Lagina de Michigan tentarão responder a esta questão, embarcando numa aventura à sinistra ilha. The Curse of the Oak Island (A Maldição de Oak Island) será exibido no próximo Domingo, dia 27 de Abril, pelas 22h00, e será repetido no dia seguinte pelas 00:20h, 12:40h e 19:40h. Para os amantes de mistério. 

 

 


publicado por Hugo Gomes às 23:21
link do post | comentar | partilhar

 

Jessica Chastain (The Treee of Life, Mama) será a mítica actriz Marilyn Monroe em Blonde, o filme biográfico de Andrew Dominik (The Assassination of Jesse James by the Coward Robert Ford), segundo The Wrap. Um projecto idealizado pelo próprio realizador desde o ano 2009, o qual já contou com Naomi Watts anexada. Blonde terá a produção da Plan B, a produtora de Brad Pitt.

 

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:11
link do post | comentar | partilhar

 

Foi revelado o Top de Março de 2014 dos Circulo de Críticos Online Portugueses (CCOP), com Cinematograficamente Falando … incluído. Ari Folman conquista a crítica com o seu novo The Congress, o qual é eleito o filme do mês, seguido por Wadja de Haifaa Al-Mansour (ainda sem crítica) e Harmony Lessons do cazaque Emir Baigazin.

 

 

A lista completa pode ser vista aqui

 

 

Ver também

 

The Congress (2013)

 

Harmony Lessons (2013)

 


publicado por Hugo Gomes às 22:59
link do post | comentar | partilhar

A emancipação de Sara!

 

Impunidades Criminosas, de Sol de Carvalho, é a extensão de uma homónima curta-metragem que fora apresentada no FESTin em 2012. Como longa esta obra moçambicana funciona como uma persistência da sua mensagem, a emancipação da mulher numa cultura tradicionalmente marcada por homens.

 

 

Sob esse pretexto, Impunidades Criminosas cresce como um misto de thriller que nos remete à história de Sara (Esperança Naene), uma mulher farta dos maus tratos por parte do marido, Armando (Breznev Matezo), que do dia para a noite decide resolver os seus problemas pela raiz, ou seja, matar o seu homem à "paulada" e esconder o corpo. Porém, Sara desconhecia que o seu agora falecido marido fazia parte de um gangue bastante temido nas sua vizinhança. Liderado pelo igualmente Chiquinho Paixão (Eliot Alex), o gangue decide reclamar algo que só Armando sabia o paradeiro. Para conseguir proteger a sua família das ameaças que se avizinham, Sara terá que lidar com os seus fantasmas.

 

 

Sol de Carvalho maneja um filme de baixo-orçamento movido por uma ideia, e essa ideia que persiste em toda a sua narrativa de teor maniqueísta. Contudo, isso é conseguido com uma ausência de dimensão dramática. Na verdade, este "panfleto" cinematográfico sobre a violência doméstica e opressão às mulheres está rodeado por delicadas sugestões de cinema, como por exemplo: uma câmara viva que ocasionalmente faz "milagres", uma atmosfera que injecta num panorama social o misticismo tradicional de Moçambique e uma impagável Lucrecia Paco como a doida da aldeia, talvez a única prestação genial num elenco ditado pela boa vontade e nada mais que isso.

 

 

Aliás, e para sermos esclarecedores, é sob as boas vontades que este novo filme de Sol de Carvalho assenta, e sob essas condição não há crime nenhum, porém nada impunível. Ainda assim, Impunidades Criminosas é uma pequena mostra do cinema que se faz escassamente em Moçambique.

 

"Bateu, bateu … morreu, morreu … eu vi!"

 

Filme visualizado no FESTin 2014: Festival de Cinema de Língua Itinerante Portuguesa

 

Real.: Sol de Carvalho / Int.: Esperança Naene, Eliot Alex, Breznev Matezo, Lucrecia Paco

 

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 21:23
link do post | comentar | partilhar

 

O produtor e exibidor Paulo Branco, detentor do Medeia Filmes, anunciou que vai denunciar “situações abusivas” sobre o estado actual da exibição, algo que o próprio considera "insustentabilidade da exibição independente". Em causa está a expansão da empresa distribuidora Big Pictures 2 Films, apoiada por financiamentos públicos, após o fecho da Columbia Tristar Warner em Março e a posse de grande parte do catalogo “órfão”, situações que Paulo Branco considera “graves e dissimuladas do mercado cinematográfico nacional". O produtor ainda acusa a distribuidora em questão, associado à Zon Audiovisuais SGPS segundo o relatório de contas de 2012, de proibir a exibição dos filmes, lamentando a "enorme descrença no efeito das muitas queixas já apresentadas à Autoridade da Concorrência, assim como ao Instituto do Cinema e do Audiovisual e à Secretaria de Estado da Cultura". Paulo Branco já havia criticado o tratamento indigno das exibidoras e distribuidoras independentes em Portugal que favorecem um mercado dominante pela Zon Lusomundo, sendo que tais consequências, segundo o próprio, levaram ao encerramento do King em Novembro do ano passado. Para discutir a situação, Paulo Branco convocou uma conferência de imprensa para esta Quarta-Feira.

 

Ver também

Columbia TriStar Warner Portugal LDA encerra!

O último dia dos Cinemas King

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 15:50
link do post | comentar | partilhar

 

Duas curtas-metragens portuguesas irão marcar presença na 67ª edição do Festival de Cannes, a primeira é Boa Noite, Cinderela de Carlos Conceição (imagem em cima) que foi selecionada para integrar a programação da Semana da Crítica, um evento paralelo ao mediático festival. O quinto filme do realizador é descrito, segundo o próprio como uma versão mais carnal do popular conto da Gata Borralheira. Joana Verona, João Cachuda e David Cabecilha formam o elenco. A segunda curta nacional é Caça Revoluções de Margarida Rego (trailer em baixo), que também contará com estreia no próximo IndieLisboa, um filme experimental inspirado numa foto tirada em 1974, "pouco depois da Revolução Portuguesa sair às ruas". Vai ser exibido em outra prestigiada secção paralela, a Quinzena dos Realizadores

 

 

Ver também

A 53ª Semana da Crítica de Cannes revela o seu poster!

Grace of Monaco abre Festival de Cannes!

Jane Campion no júri de Cannes

8 1/2 Fellini é destaque no poster do Festival de Cannes

The Homesman - Tommy Lee Jones aventura-se novamente no Western em Cannes

The Rover tem estreia em Cannes!

Jean-Luc Godard tem novo filme e em 3D!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui


publicado por Hugo Gomes às 14:43
link do post | comentar | partilhar

21.4.14

 

Segundo The Hollywood Reporter, depois da desistência de David Fincher ao futuro biopic de Steve Jobs escrito por Aaron Sorkin (The Social Network), a Sony encontra-se em negociações com o realizador Danny Boyle (Slumdog Millionaire, Trainspotting) para levar o cabo o projecto e a estrela Leonardo DiCaprio para protagoniza-la. Porém a mesma fonte adianta que é o próprio Boyle que anseia e tenta convencer DiCaprio a desempenhar o falecido influente co-fundador da Apple Computers, visto ambos já terem trabalhado juntos em 2000 com o drama The Beach. Este novo filme sobre a vida de Jobs, ainda sem titulo definido, tem como base na bem-sucedida biografia  escrita por Walter Isaacson.

 

Ver Também

David Fincher poderá realizar nova biopic de Steve Jobs

The Social Network (2010)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 23:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | partilhar

 

A marcar presença no próximo Festival de Cannes estará The Homesman, o segundo trabalho de direcção para o cinema do actor Tommy Lee Jones (The Three Burials of Melquiades Estrada), o qual o trailer foi divulgado recentemente. Neste western que se avizinha seco nos deparamos a história de George Briggs (Tommy Lee Jones) e Mary Bee Cudy (Hilary Swank) que têm a missão de transportar três mulheres dementes numa arriscada viagem de Nebrasca a Iowa, atravessando um faroeste selvagem e perigoso. Miranda Otto (I, Frankenstein), Meryl Streep (The Iron Lady), Hailee Steinfeld (True Grit), Tim Blake Nelson (The Incredible Hulk), Jon Lithgow (da série Dexter), James Spader (da série Boston Legal) e William Fichtner (The Lone Ranger) completam o elenco desta obra baseada na novela de Wesley A. Oliver

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui


publicado por Hugo Gomes às 23:03
link do post | comentar | partilhar

Super-Heróis, a arma do cinema contra a televisão!

 

Com apenas dez anos de existência, já se ouvia falar sobre a morte do cinema, por isso é fácil de imaginar que em 100 anos de vida foram imensos os ultimatos ao fim da longevidade da Sétima Arte. O cinema passou por muito; crises económicas e sociais, duas grandes guerras, entre outros, contudo conseguiu sobreviver através dos tempos porque simplesmente conseguiu adaptar. Anos 50 surgiu então o verdadeiro "inimigo", a televisão e a sua expansão nas casas dos anteriores espectadores assíduos do cinema,  oferecendo apostas de diferentes conteúdos audiovisuais sem que seja preciso sair do conforto de casa. Assim sendo o cinema teve que adaptar mais uma vez para enfrentar este seu "inimigo público", apostando em grandes produções e projectos ambiciosos que a televisão era incapaz de oferecer na época. Ou seja para além dos chamados filmes de orçamentos colossais, o sexo e a violência foram outros atractivos importantes. Contudo até mesma televisão teve que adaptar à sociedade actual e responder às necessidades do seu público e assim vice versa, o confronto entre pequeno e grande ecrã ditou as mudanças de ambas as plataformas.

 

 

Actualmente, sem parecer puro acto de pessimismo, a televisão aufere apostas mais diversificadas e irreverentes com o cinema, sendo que este último como escape à sua extinção e decréscimo acentuado, adquiriu uma linguagem própria do mundo televisivo. Um dos factores mais evidentes deste "contágio" encontra-se nos filmes da Marvel, capítulos que se interligam diversas sagas e produzidas sob um frenesim incansável pelos seus respectivos estúdios. Ora vejamos, Thor tem de relacionado com Homem de Ferro, e Homem de Ferro tem muito de Capitão América. Tudo se tornou uma grande industria em que supostamente o gratuito é logo pensado em outro projecto, sucedidos filmes que levam uma legião de fãs a ver "religiosamente", não filmes, mas mais um capitulo da sua série cinematográfica, facilmente similar às séries televisivas só com orçamentos e custos de produção elevados.

 

 

Porém nos dias de hoje até o universo dos super-heróis é abalado pela televisão, sendo que os respectivos estúdios apostem mais uma vez no pequeno ecrã, com séries spin-offs a ser transmitidas como suplementos das sagas cinematográficas (como por exemplo S.H.I.E.L.D. por parte da Marvel ou Arrow e o ainda em produção Gotham da DC Comics). O cinema para contornar este conformismo por parte dos seus ditos e "fieis" espectadores optou por criar filmes ambiciosos onde os factores que dificilmente encontraremos nas produções televisivas, estão presentes em doses industriais, um desses é definitivamente os efeitos visuais que resultam em sequencias de acção nunca vistas.  

 

 

Marc Webb, realizador da pérola indie (500) Dias com Summer e do primeiro e satisfatório The Amazing Spider-Man, revelou recentemente durante o evento SXSW que na produção deste segundo filme foi induzido pelo estúdio em utilizar e abusar dos CGI, efeitos visuais e sonoros que pudessem coligar com a tecnologia 3D, ainda visto hoje uma atracção circense cinematográfico, a fim de auferir uma grandiosidade visual. E talvez seja por isso que The Amazing Spider-Man 2 seja um mimo para vista, um objecto minado de uma linguagem de videojogo capaz de agradar às mais vastas audiências. Mas tal como "pacto do Diabo", tais decisões trazem consigo consequências graves do foro narrativo e de ênfase dramática.

 

 

O produto de Marc Webb possuía potencial para mais do que um simples blockbuster inconsequente e visualmente pomposo, mas nada feito, a carga dramática que o realizador por vezes incursa é jogado para o segundo plano, transformando com isso as suas personagens em seres unidimensionais e vazios. Apenas o elenco consegue transmitir alguma vida a este dito conjunto de "bonecos" caricaturais (Emma Stone, o talentoso Dane DeHaan e Jamie Foxx, só para dar um exemplo). Mas até eles são desperdiçados, porque simplesmente este The Amazing Spider-Man 2 foi pensado desde o inicio em simplesmente perfazer os requisitos dos spin-offs que estão de momento a ser produzidas e as sequelas agendadas e rodadas em simultâneo, ou seja criação de uma nova saga "marvelesca".

 

 

Mas então o que é que nos resta neste filme, fora os seus atributos tecnológicos? Praticamente um percurso aos marcos da banda desenhada e formulas sobre formulas, enraizadas em mais formulas, e todas elas coladas com "cuspo". Soará como cantiga de velho, purista ou simplesmente ignorante perante a crescente relevância da banda desenhada na sociedade actual, mas isto é apenas um produto de merchandising, feito por questões obvias - vender - e a qualquer custo. Quanto às aventuras do "aranhiço" propriamente ditas, Sam Raimi construiu algo mais consistente nos seus filmes (não, não conto com Spider-Man 3), onde usufruiu de uma liberdade audaz, antes da ditatorial tomada dos estúdios. Um filme com prefixo de Fantástico, que de fantástico nada tem.

 

"You know what it is I love about being Spider-Man? Everything!"

 

Real.: Marc Webb / Int.: Andrew Garfield, Emma Stone, Jamie Foxx, Dane DeHaan, Paul Giamatti, Sally Field, Paul Giamatti, Chris Cooper, Colm Feore, Felicity Jones

 

 

 

Ver Também

The Amazing Spider-Man (2012)

Spider-Man 2 (2004)

Spider-Man 3 (2007)

 

4/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 18:19
link do post | comentar | partilhar

20.4.14

 

A 8 1/2 Festa do Cinema Italiano segue de digressão pelo resto do país, depois de ter espalhado a magia do cinema italiano na cidade de Lisboa nos dias 10 a 18 de Abril. Próximo destino: Coimbra no dia 21 a 23 de Abril no Teatro Académico Gil Vicente, sucedido pelo Porto em 24 e 27 de Abril na Casa de Artes.

 

Ver programação completa, Coimbra aqui / Porto aqui

 


publicado por Hugo Gomes às 21:58
link do post | comentar | partilhar

Entre as "maravilhas" de Malick!

 

Preso ao seu estilo, Terrence Malick nos apresenta, segundo a critica, o seu "Blue Valentine", tudo devido à natureza do tema. Apenas concretizado um ano depois do seu muito ambicioso mas transversal Tree of Life (o que é um recorde, tendo em conta o próprio enigma que é Malick), o autor traz um quadro de decepção e procura por novos amores, onde o preenche com as habituais e belas sequências que acentuam a ligação forte entre Homem e Natureza. É uma simples história matrimonial, o "feliz para sempre" de qualquer modelar romance cinematográfico que sucessivamente dá lugar ao fim da mesma, a separação, e a busca dos variados elementos em desvanecer o vazio inerente.

 

 

Pegar Terrence Malick pelo seu estilo adquirido não é fácil e talvez de certa maneira ingrato, sendo este e talvez um dos relevantes aspectos da sua filmografia, a sua alma cinematográfica, o reduto da sua criatividade, contudo e popularmente falando "que é demais enjoa" e To the Wonder é basicamente isso, um regresso ao mesmo olhar, à mesma convicção e a mesma essência artística, o seu activo espírito esotérico. Com isto saliento que apesar de tudo a nova obra de Malick não deve ser encarada de maneira com uma obra menor, aliás quem dera a imensos cineastas ter a capacidade de reproduzir um filme destes a nível técnico, o problema de To the Wonder é apenas a sua limitação estética, estilística e narrativa que sucede ao cansaço rotineiro ao espectador que anseia por mais, mas sob uma nova vertente pelas mãos do misterioso realizador de The Thin Red Line.

 

 

Assim sendo, para o aficionado malickiano (acredito que um autor destes possui uma legião de acérrimos fãs) este é um filme a reter, não a sua melhor e mais entusiasmante obra mas algo que merece a dita veneração por entre filosofias e poesias citadas, mas para o resto dos cinéfilos, e tendo em conta que são conhecedores dos trabalhos de Malick, é um drama seco, pretensioso e artisticamente narcisista (aliás quando um autor não consegue sair do seu estilo tem tendência a converter a tal). Por fim temos a oportunidade de assistir a bonecos autómatos ao invés de personagens e um actor do calibre de Javier Bardem reduzido a tal.

 

"We wish to live inside the safety of the laws. We fear to choose. Jesus insists on choice. The one thing he condemns utterly is avoiding the choice. To choose is to commit yourself. And to commit yourself is to run the risk, is to run the risk of failure, the risk of sin, the risk of betrayal. But Jesus can deal with all of those. Forgiveness he never denies us. The man who makes a mistake can repent. But the man who hesitates, who does nothing, who buries his talent in the earth, with him he can do nothing."

 

Real.: Terrence Malick / Int.: Ben Affleck, Rachel McAdams, Olga Kurylenko, Javier Bardem

 

 

Ver Também

The Tree of Life (2011)

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 21:24
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Capitão Falcão - O traile...

Paulo Branco avança queix...

Arranca Hoje o IndieLisbo...

Boyhood, o filme que demo...

Novo trailer de Sin City:...

Tropicália e Por Aqueles ...

Nuno Bernardo, produtor p...

Vem aí remake de Flash Go...

La Maschera del Demonio (...

A Maldição de Oak Island ...

últ. comentários
mas já nao teve recentemente um filme com o Asthon...
Vi, adorei, mas não fiz critica alguma, fica a sug...
Nossa, cara! Adorei esse filme! Nem mesmo havia vi...
Parece interessante :)Fico contente que este me pa...
Tenho tido uma relação de amor /ódio (*) com os an...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Fraco
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Medíocre
2/10 - Mau
1/10 - Péssimo
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
nombloind.jpg
subscrever feeds
blogs SAPO