Data
Título
Take
20.12.14

df-04280-04333-comp-gallery-image.jpg

 

Segundo os críticos do estado de Nevada (EUA), o último filme de David Fincher, Gone Girl, é o melhor filme do ano de 2014 e Rosamund Pike, a melhor actriz. Já o actor, a escolheu caiu em Jake Gylenhaal em Nightcrawler: Repórter da Noite, e o respectivo argumentista e realizador, Dan Gilroy, como o melhor em ambas as categorias.

 

Melhor Filme
Gone Girl

Melhor Realizador
Dan Gilroy, Nightcrawler

Melhor Actor
Jake Gyllenhaal, Nightcrawler

Melhor Actriz
Rosamund Pike, Gone Girl

Melhor Actor Secundário
J.K. Simmons, Whiplash

Melhor Actriz Secundária
Patricia Arquette, Boyhood (ex-aqueo) Jessica Chastain, A Most Violent Year

Melhor Argumento
Dan Gilroy, Nightcrawler

Melhor Fotografia
Interstellar

Melhor Design de Produção
The Grand Budapest Hotel

Melhores Efeitos Visuais
Interstellar

Melhor Elenco
Guardians of the Galaxy

Melhor Filme de Animação
Big Hero 6

Melhor Documentário
Citizenfour

Melhor Desempenho Jovem
Ellar Coltrane, Boyhood


Ver Também

Boyhood (2014)

Gone Girl (2014)

Guardians of the Galaxy (2014)

The Grand Budapest Hotel (2014)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 23:04
link do post | comentar | partilhar

10806385_743406579075866_8464804698735099583_n.jpg

inherent_vice_ver6.jpg

 

 

Ver Também

Critic's Choice Awards - Birdman lidera as nomeações!

Inherent Vice, novo filme de Paul Thomas Anderson, tem novo poster!

Novo trailer de Inherent Vice, o novo filme de Paul Thomas Anderson!

Primeiro trailer de Inherent Vice, o novo filme de Paul Thomas Anderson!

A Most Violent Year é o melhor filme de 2014 para a National Board of Review!

Independent Spirit Awards 2014: Os Nomeados

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 

tags:

publicado por Hugo Gomes às 21:44
link do post | comentar | partilhar

19.12.14

10407367_639490176160606_5494975598958383458_n.jpg

Foi divulgado a primeira imagem de Crimson Peak, o filme de terror gótico que Guillermo Del Toro dirigirá antes de se aventurar na sequela de Pacific Rim: Batalha do Pacifico. Neste primeiro vislumbre é possível ver a actriz Jessica Chastain (Interstellar) na pele do seu personagem, Lucille Sharpe. A história de Crimson Peak nos levará à região da Cumbria (Reino Unido) em pleno século XIX, onde Mia Wasikowska (Map to the Stars) é uma aspirante autora que descobre que o seu novo marido, Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddlestone, Thor), não é o que aparenta ser. Com estreia prevista para Outubro de 2015, o elenco de Crimson Peak é completado por Charlie Hunnam (Pacific Rim), Doug Jones (Hellboy) e Leslie Hope (Talk Radio).

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 15:43
link do post | comentar | partilhar

Novembro2014.png

Foi revelado o Top de Novembro de 2014 dos Circulo de Críticos Online Portugueses (CCOP), com Cinematograficamente Falando … incluído. Boyhood, de Richard Linklater (crítica aqui), o grande favorito da crítica internacional, lidera o top mensal. Já em segundo posição, a mordaz crítica aos medias tecida por Dan Gilroy, Nightcrawler (crítica brevemente), e por fim, em terceiro lugar, Viva la Libertá, de Roberto Andó (critica aqui).

 

A lista completa pode ser vista aqui

 


publicado por Hugo Gomes às 15:22
link do post | comentar | partilhar

18.12.14

nova iorque crimeo.jpg

Foi divulgado o primeiro trailer de  O Crime de Nova Iorque, o filme de Rui Filipe Torres baseado no homicídio do cronista Carlos Castro em 2011 num Hotel de luxo em Nova Iorque, tendo como principal fonte a homónima peça escrita e interpretada por João d'Ávila (que voltará a desempenhar Carlos Castro), enquanto o seu homicida, o modelo Renato Seabra que se encontra de momento a cumprir pena de 25 anos numa prisão norte-americana, será interpretado por Ruben Garcia. Crime em Nova Iorque terá a sua antestreia na Cinemateca Portuguesa exactamente quatro anos após o crime.

 

 

Ver Também

Morte de Carlos Castro adaptado ao cinema!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:23
link do post | comentar | partilhar

thumbnail_19703.jpg

Foi divulgado um novo trailer do novo filme de Clint Eastwood, American Sniper. Com Bradley Cooper (The Hangover, American Hustle) no principal papel, American Sniper é baseado na autobiografia de Chris Kyle, um  Navy Seal que torna-se numa perfeita maquina de matar, tendo mesmo o recorde de assassinatos a longa distância (160 a 255 disparos fatais). Curiosamente, American Sniper era inicialmente uma obra que iria ser realizada por David O'Russell (American Hustle), tendo depois passado pelas mãos de Steven Spielberg, até por fim chegar a Eastwood. Sienna Miller, Kyle Gallner e Jake McDorman integram igualmente o elenco. Estreia dia 22 de Janeiro nos cinemas nacionais!

 

 

Ver Também

Critic's Choice Awards - Birdman lidera as nomeações!

A Most Violent Year é o melhor filme de 2014 para a National Board of Review!

Trailer de American Sniper, de Clint Eastwood

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:09
link do post | comentar | partilhar

will-turner.jpg

Pirates of the Caribbean (Os Piratas das Caraíbas), a saga milionária da Disney, regressará aos cinemas em 2017, e a estrela Johnny Depp mantém-se a “bordo” deste dito quinto filme. Por esta altura tal noticia não é novidade nenhuma, mas durante uma entrevista com o site IGN, o actor Orlando Bloom revelou alguns pormenores relevantes quanto à eventual produção. Segundo este, quando confrontado com a questão se iria ou não voltar ao franchising, o actor que interpretou o heroico Will Turner nos primeiros três filmes da série, afirmou:

 

"Não estou completamente certo sobre isso, mas de momento fala-se disso. Basicamente, eles [Disney] querem reiniciar toda a fasquia, eu penso, que tem algo a ver com a minha relação com o meu filho.”

 

“Claro que sou agora o novo Davey Jones [o trágico vilão do segundo e terceiro filme], por isso resido no fundo do oceano. Seria engraçado trabalhar com isto, visto estar nas profundezas e sem nada de interessante para fazer, e estar todo deformado.”

 

Será o regresso de Will Turner ao mundo da pirataria? Será o suposto quinto filme um reboot? De momento apenas sabe-se que a Disney encontra-se na composição do casting, eventualmente nos próximos dias seremos “bombardeamos” com as aquisições deste novo capítulo da saga que já rendeu mais de 3 mil milhões de dólares em todo o Mundo. Recordamos que o filme terá como titulo Dead Men Tell No Tales, e voltará a ser produzido pelo célebre produtor executivo Jerry Bruckheimer, mesmo após os anúncios de "divórcio" com a Disney, depois do flop de The Lone Ranger: O Mascarilha.

 

Ver também

The Lone Ranger (2013)

Piratas das Caraibas 5 já tem data de estreia!

The Incredibles 2 e Cars 3 são alguns dos novos projectos da Pixar

Christoph Waltz poderá ser vilão em Os Piratas das Caraíbas!

Pirates of the Caribbean 5 já tem realizadores!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

tags:

publicado por Hugo Gomes às 10:40
link do post | comentar | partilhar

17.12.14

 

Ver também

The Hobbit: An Unexpected Journey (2012)

The Hobbit: The Desolation of Smaug (2013)

The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring (2001)

The Lord of the Rings: The Two Towers (2002)

The Lord of the Rings: The Return of the King (2003)

Mais um trailer de The Hobbit: The Battle of the Five Armies!

Gandalf e Galadriel em The Hobbit: The Battle of the Five Armies

Primeiro teaser trailer de The Hobbit: The Battle of the Five Armies!

The Hobbit: The Battle of the Five Armies (Poster e imagem!)

DVD / The Hobbit: An Unexpected Journey (Edição Especial - 2 Discos)

Orlando Bloom de novo como elfo ?

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 20:44
link do post | comentar | partilhar

17.12.14

Sangue, O.jpg

O sangue corre como um rio em fúria!

 

Na primeira longa-metragem de Pedro Costa, o rio que surge diversas vezes em cena pode muito bem ser considerado uma entidade fantasmagórica, talvez o grande condutor de toda intriga e a certa parte, a artéria sanguínea deste O Sangue. Se o rio é relevante, as suas personagens tornam-se atípicas em relação à intriga que Pedro Costa culmina, mas sempre com um pé atrás em cometer o óbvio.

 

6a00e5523026f588340120a623af62970b.jpg

 

São relações longe de ser consumidas e pequenos mundos isolados que surgem numa prisão invisível que o realizador constantemente esboça por vias de uma ruralidade contrastada com a vida citadina, que entra no terceiro acto, como um lugar frio e abundado por seres "leprosos". Um crime oculto é o que une dois seres desencontrados mas reconciliados entre os segredos e a tragédia, e a ilusão de uma independência anárquica que motiva dois irmãos separados por gerações. "Sabes qual é a maior invenção do Homem?", a questão que ecoa diversa vezes sem uma resposta obvia, deixando o espectador reflectir ao mesmo tempo que aceita a rebeldia da narrativa imposta por Costa.

 

13.JPG

 

Neste seu primeiro filme, é evidente desvendar os traços característicos da filmografia do realizador, entre os quais o seu endurecedor pessimismo e a frieza com que são criado os seus personagens, Pedro Hestnes é o boneco ventríloquo dessa "voz". Um embrião solitário do Cinema Novo, O Sangue tem referências ao cinema da Nouvelle Vague e a teatralidade de um Alain Resnais, assim como a imprevisibilidade dos seus gestos e os poemas proclamados da vulgaridade. Mas para dizer a verdade existe aqui um paralelismo com Leo Carax, talvez ambos os cineastas elevam um movimento cinematográfico ainda longe de ser ouvido, a rebelião de um cinema despreocupado com julgamentos, onde as ideias se fundem no lirismo das situações e nas características impróprias dos personagens.

 

sangue02.jpg

 

A condizer com estes factores, uma fotografia há muito não vista do panorama do cinema português e arrisco a afirmar que estamos perante num dos melhores exemplos do preto-e-branco numa altura em que tal coloração tornou-se obsoleta e propícia à expansão da veia artística. O Sangue é um cinema português camaleônico, expressivo não no sentido literal, mas em forma, descrito por uma fotografia impar, conservadora do seu estado de graça, ou seja as alusões que resultam em uma nova "criatura".  

 

Real.: Pedro Costa / Int.: Pedro Hestnes, Nuno Ferreira, Inês de Medeiros, Henrique Viana, Luís Miguel Cintra, Isabel de Castro

7859cb15d8b59ad5bccab415ebe59bcf.jpg

 

8/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 14:24
link do post | comentar | partilhar

1385370249006_0570x0354_1385370574573.jpg

O consagrado filme de Pawel Pawlikowski, Ida, recentemente distinguido como Melhor Filme nos Prémios da Academia de Cinema Europeu, vence agora o Prémio Lux, atribuído pelo Parlamento Europeu desde 2007. A jornada identitária entre uma jovem freira polaca e a sua tia conseguiu “bater” os outros finalistas, Bande de Filles, de Céline Sciamma (ler crítica), e Class Enemy, do estreante Rok Bicek.

 

Ver Também

Ida (2013)

Ida vence European Film Awards 2014!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 13:51
link do post | comentar | partilhar

16.12.14

Mapa para as Estrelas.jpg

O Inferno chamado Hollywood!

 

No filme de teor fantástico Society, da autoria de Bryan Yuzna, a alta-sociedade é descrita, sob um jeito metafórico e propício à crítica social, como uma comunidade de "monstros" consanguíneos, regidos por um sistema de constantes rituais de integração e de vanglória pelos excessos. Provavelmente, pouco ou nada tem de relacionado com a nova obra de David Cronenberg, Map to the Stars (Mapas para as Estrelas), o qual se baseia num livro escrito por Bruce Wagner (Dead Stars).

 

39019.jpg

 

O realizador canadiano desgarrou-se há anos do ramo do "body horror", o qual é constantemente mencionado e por isso comparado com a sua segunda fase cinematográfica - a da densidade psicológica. Nesta sua nova e chamada terceira fase, Cronenberg aventura-se na crítica social, com isso adaptando para o grande ecrã os mais difíceis livros contextualizados à sua missão (como foi o caso de Cosmopolis). Para as más-línguas, esta é a fase da sua parceria com o jovem actor Robert Pattinson, que após fazer suspirar milhões de fãs tenta agora alcançar um estatuto divergente da de pop star.

 

107763_original.jpg

 

Mas não divaguemos por, até estabelecer o porquê da ligação entre Society e este Map to the Stars. A razão é que o sentimento de repugnação, ilustrado de forma criativa na obra de Yuzna, é insuportavelmente presente em todo o fio condutor deste "penetrar" nos bastidores de Holywood. Porém, como em diversas obras teorizadas, a crítica não se encontra na indústria em si, mas nas personalidades que a fazem movimentar. Cronenberg trabalha com verdadeiros "monstros consanguíneos", cujos temas da paranóia, egos, famas e incesto são inúmeras vezes mencionados numa obra drasticamente seca e despida de qualquer embelezamento. Aliás, empatia é o que falta neste bando de personagens desprezíveis e assombradas por espectros vingativos e "faustianos".

 

maps.jpg

 

Julianne Moore lidera - com magnificência e distinção (é a protagonista de uma das sequências mais singulares do cinema norte-americano actual) - um elenco suportável mas sem surpresas nem grandes destaques. , é curioso evidenciar que as limitações de Pattinson resultam de forma simbiótica com a seu personagem, um motorista de limusinas (ironia "arrancada" de Cosmopolis) que aspira ser actor.

 

Maps-to-the-stars.jpg

 

Map to the Stars, mesmo assim, apresenta um Cronenberg menor que o habitual (falta sobretudo estética). É um filme de propósitos estabelecidos e de objectivos sujos que marca uma presença corrosiva. A crítica é diversas vezes relembrada e nunca poupada, que o diga o espectador, condenado à mercê de um mundo asqueroso, sonhado mas não contemplado. As "chamas" envolvem Hollywood como um dos novos círculos do Inferno de Dante.

 

"On the stairs of Death I write your name, Liberty."

 

Real.: David Cronenberg / Int.: Julianne Moore, Mia Wasikowska, Robert Pattinson, John Cusack, Evan Bird, Olivia Williams, Carrie Fisher, Sarah Gadon

 

Maps-to-the-Stars-2.jpg

 

Ver Também

Cosmopolis (2012)

tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 17:24
link do post | comentar | partilhar

c76b444c201ec1d7caffb9d066949860_L.jpg

Foi revelado um novo trailer de Cinderella, aquele que será o primeiro filme de acção real da Disney inspirado no popular conto da autoria de Charles Perrault. Esta nova versão será dirigida por Kenneth Branagh (Hamlet, Thor) e terá um elenco de luxo, composto pela jovem Lily James (da série Downtown Abbey) como Cinderella, Richard Madden (da série Game of the Thrones) como o príncipe encantado, Cate Blanchett como a malvada madrasta (poster acima), Helena Bonham Carter como a fada madrinha e ainda Holliday Grainger, Sophie McShera, Stellan Skarsgård e Nonso Anozie. O estúdio promete que esta nova Cinderella será mais rebelde que as versões anteriores, principalmente a bem-sucedida animação de 1950, vinda igualmente da Disney. Com estreia prevista para Março de 2015.

 

 

Ver também

Primeiro trailer de Cinderella, da Disney

Disney avançará com adaptação de A Bela e o Monstro!

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 14:30
link do post | comentar | partilhar

15.12.14

s.jpg

 


publicado por Hugo Gomes às 23:20
link do post | comentar | partilhar

BK4jNk3CAAEGcd-.jpg

Foi divulgado o trailer de Knight of Cups, um dos dois novos projectos que o realizador Terrence Malick (Tree of Life) lançará em 2015. O filme protagonizado por Christian Bale (The Dark Knight, Exodus: Gods and Kings) foi mantido em secretismo durante a sua rodagem, sendo ainda hoje difícil de definir o seu enredo, porém e tendo em conta o trailer estamos perante mais uma reflexão metafísica malickeana, desta vez à luxúria e aos excessos. Cate Blanchett, Natalie Portman, Brian Dennehy, Antonio Banderas, Freida Pinto, Wes Bentley, Isabel Lucas, Teresa Palmer, Imogen Poots, Armin Mueller-Stahl e Ben Kingsley completam o elenco. Knight of Cups irá marcar presença no próximo Festival de Berlim, que decorrerá 5 a 15 de Fevereiro de 2015.

 

 

Ver Também

The Tree of Life (2011)

To the Wonder (2012)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 21:20
link do post | comentar | partilhar

É Feliz o Homem que é Alto.jpg

A conversa animada!

 

Antes de preparar L'Écume des Jours, Michel Gondry aventurou-se no registo do documentário / entrevista. Uma conversa com o celebre linguista e activista Noam Chomsky, que bem poderia ser acompanhado por um formato quase televisivo ou modelizado do documentário de testemunho. Parecendo em teoria um exercício académico, Gondry, habituado com a excentricidade visual, narra todo este "blá blá" com animações da sua autoria e de igual interpretação. Talvez seja por essa vertente que o realizador consegue trazer alguma frescura ao registo, mas essa singularidade visual não o converte em algo mais transcendente que um mero exercício de estilo.

 

34751-848x475.jpg

 

Obviamente que esta conversa, difícil de ser acompanhada para quem não se encontra familiarizado com o tema, até mesmo Gondry tem duvidas em embarcar nesta filosofia colectiva, é extensa mas rica, por vezes divagando por temas sobre temas, esboçando a vida de Chomsky, os momentos que o marcaram e que o levaram a tornar-se no homem que é hoje lembrado pelas suas teorias sobre "n" assuntos. Se a sua conversa intelectual e sugestiva preenche sob um jeito cerebral as referidas e inundantes animações, Is the Man who is Tall Happy? resulta mesmo assim num engodo por via do método de Tadoma, o qual é citado pelo próprio Chomsky como uma leitura de expressões e linguagens através do tacto, formação especializada a deficientes audiovisuais. Quero com isto salientar que através deste disfarce técnico somos remetidos a uma cansativa demonstração de ego, mais do que explorar as convenções e perspectivas dadas pelo linguista.

 

6.jpg

 

Assim, ficamos com ideias de tópicos sobre a complexidade do cérebro humano, o que funciona mal no ensino educacional, o quanto uma criança pode aprender sobre línguas e até as propriedades psíquicas dos objectos. Temas esses, quase retidos a conversas de café, são muitas vezes interrompidos pelas dificuldades linguísticas na hora de fomentar questões por parte de Gondry. Vale pelo conceito e forma, porque inerentemente não ficamos satisfeitos.

 

Real.: Michel Gondry / Int.: Michel Gondry, Noah Chomsky

 

film.org.pl_52b36a76adef5.image_.jpg

 

Ver Também

L'Écume des Jours (2013)

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 17:54
link do post | comentar | partilhar

Birdman.jpg

Mais uma vez Birdman, de Alejandro Gonzalez Iñarritu, está novamente em altas na award season! Depois de ter sido o filme mais nomeado nos Golden Globes, repete a mesma façanha no Critic’s Choice Awards (Prémios da Crítica), atribuídos pela Broadcast Film Critic's Association. Arrecadou 15 indicações, nomeadamente os cobiçado Melhor Filme, Melhor Realizador (Iñarritu) e Melhor Actor (Michael Keaton), o filme é seguido por The Grand Budapest Hotel, com 11 nomeações, e Boyhood, com 8 nomeações.

 

A cerimónia de entrega prémios irá decorrer no próximo dia 15 de Janeiro.

 

Filme

Birdman

Boyhood

Gone Girl

The Grand Budapest Hotel

The Imitation Game

Nightcrawler

Selma

The Theory of Everything

Unbroken

Whiplash

 

Realizador

Wes Anderson, The Grand Budapest Hotel

Ava DuVernay, Selma

David Fincher, Gone Girl

Alejandro G. Iñarritu, Birdman

Angelina Jolie, Unbroken

Richard Linklater, Boyhood

 

Actor

Benedict Cumberbatch, The Imitation Game

Ralph Fiennes, The Grand Budapest Hotel

Jake Gyllenhaal, Nightcrawler

Michael Keaton, Birdman

David Oyelowo, Selma

Eddie Redmayne, The Theory of Everything

 

Actriz

Jennifer Aniston, Cake

Marion Cotillard, Two Days, One Night

Felicity Jones, The Theory of Everything

Julianne Moore, Still Alice

Rosamund Pike, Gone Girl

Reese Witherspoon, Wild

 

Actor Secundário

Josh Brolin, Inherent Vice

Robert Duvall, The Judge

Ethan Hawke, Boyhood

Edward Norton, Birdman

Mark Ruffalo, Foxcatcher

J.K. Simmons, Whiplash

 

Actriz Secundária

Patricia Arquette, Boyhood

Jessica Chastain, A Most Violent Year

Keira Knightley, The Imitation Game

Emma Stone, Birdman

Meryl Streep, Into the Woods

Tilda Swinton, Snowpiercer

 

Elenco

Birdman

Boyhood

The Grand Budapest Hotel

The Imitation Game

Into the Woods

Selma

 

Argumento Original

Birdman

Boyhood

The Grand Budapest Hotel

Nightcrawler

Whiplash

 

Argumento Adaptado

Gone Girl

The Imitation Game

Inherent Vice

The Theory of Everything

Unbroken

Wild

 

Cinematografia

Birdman

The Grand Budapest Hotel

Interstellar

Mr. Turner

Unbroken

 

Direcção Artística

Birdman

The Grand Budapest Hotel

Inherent Vice

Interstellar

Into the Woods

Snowpiercer

 

Edição

Birdman

Boyhood

Gone Girl

Interstellar

Whiplash

 

Guarda-Roupa

The Grand Budapest Hotel

Inherent Vice

Into the Woods

Maleficent

Mr. Turner

 

Caracterização

Foxcatcher

Guardians of the Galaxy

The Hobbit: The Battle of the Five Armies

Into the Woods

Maleficent

 

Efeitos Visuais

Dawn of the Planet of the Apes

Edge of Tomorrow

Guardians of the Galaxy

Interstellar

The Hobbit: The Battle of the Five Armies

 

Filme de Animação

Big Hero 6

How to Train Your Dragon 2

The Book of Life

The Boxtrolls

The Lego Movie

 

Filme de Acção

American Sniper

Captain America: The Winter Soldier

Edge of Tomorrow

Fury

Guardians of the Galaxy

 

Actor em Filme de Acção

Bradley Cooper, American Sniper

Tom Cruise, Edge of Tomorrow

Chris Evans, Captain America: The Winter Soldier

Brad Pitt, Fury

Chris Pratt, Guardians of the Galaxy

 

Actriz em Filme de Acção

Emily Blunt, Edge of Tomorrow

Scarlett Johansson, Lucy

Jennifer Lawrence, The Hunger Games: Mockingjay Part 1

Zoe Saldana, Guardians of the Galaxy

Shailene Woodley, Divergent

 

Filme de Comédia

22 Jump Street

Birdman

St. Vincent

The Grand Budapest Hotel

Top Five

 

Actor em Comédia

Jon Favreau, Chef

Ralph Fiennes, The Grand Budapest Hotel

Michael Keaton, Birdman

Bill Murray, St. Vincent

Chris Rock, Top Five

Channing Tatum, 22 Jump Street

 

Actriz em Comédia

Rose Byrne, Neighbors

Rosario Dawson, Top Five

Melissa McCarthy, St. Vincent

Jenny Slate, Obvious Child

Kristen Wiig, The Skeleton Twins

 

Filme de Ficção Científica / Terror

Dawn of the Planet of the Apes

Interstellar

Snowpiercer

The Babadook

Under the Skin

 

Filme de Lingua Estrangeira

Deux Jours, Une Nuit

Force Majeure

Ida

Leviathan

Relatos Salvajes

 

Documentário

CITIZENFOUR

Glen Campbell: I'll Be Me

Jodorowsky's Dune

Last Days in Vietnam

Life Itself

The Overnighters

 

Canção Original

Big Eyes (Big Eyes)

Everything Is Awesome (The Lego Movie)

Glory (Selma)

Lost Stars (Begin Again)

Yellow Flicker Beat (The Hunger Games: Mockingjay Part 1)

 

Banda-Sonora

Alexandre Desplat, The Imitation Game

Johann Johannsson, The Theory of Everything

Trent Reznor & Atticus Ross, Gone Girl

Antonio Sanchez, Birdman

Hans Zimmer, Interstellar

 

Jovem Actor/Actriz

Ellar Coltrane, Boyhood

Ansel Elgort, The Fault in Our Stars

Mackenzie Foy, Interstellar

Jaeden Lieberher, St. Vincent

Tony Revolori, The Grand Budapest Hotel

Quvenzhane Wallis, Annie

Noah Wiseman, The Babadook

 

Ver Também

22 Jump Street (2014)

Boyhood (2014)

 Captain America: The Winter Soldier (2014)

Dawn of the Planet of the Apes (2014)

Deux Jours, Une Nuit (2014)

Divergent (2014)

Gone Girl (2014)

Guardians of the Galaxy (2014)

How to Train Your Dragon 2 (2014)

Ida (2013)

Lucy (2014)

Maleficent (2014)

Neighbors (2014)

Obvious Child (2014)

Relatos Salvajes (2014)

Snowpiercer (2013)

St. Vincent (2014)

The Babadook (2014)

The Boxtrolls (2014)

The Fault in Our Stars (2014)

The Grand Budapest Hotel (2014)

The Hunger Games: Mockingjay Part 1 (2014)

The Lego Movie (2014)

Under the Skin (2013)

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.

 


publicado por Hugo Gomes às 16:09
link do post | comentar | partilhar

1425636_220633711447478_267862180_n.jpg

Será hoje apresentado, dia 15 de Dezembro, o último documentário de Rui Simões (Ilha da Cova da Moura), que tem como titulo Alto Bairro, no âmbito do 501º aniversário do popular Bairro Alto. Trata-se de uma viagem não só um dos locais predilectos dos lisboetas para festas e convívios até altas horas, mas um retrato às ruelas com história e os moradores que servem de testemunhos a esses contos que só a calçada preserva. E nada melhor que comemorar essa longevidade com a exibição do filme que promete condensar todo esse historial num cinema localizado no dito bairro, o recente Cinema Ideal (em simultâneo com o lançamento em DVD). A sessão (única), que decorrerá pelas 18h30, contará com a presença do realizador e da equipa técnica. Os bilhetes custarão 5 euros.

 

Para mais informação, ver no blog oficial e na pagina de Facebook

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 01:41
link do post | comentar | partilhar

14.12.14

Campo de Flamingos sem Flamingos.jpg

Spoiler: Os flamingos estão lá!

 

Em Campo de Flamingos Sem Flamingos desejamos intensamente encontrar o fio desta motivação epopeica visual, o percorrer do recorte de Portugal através do registo de imagens, onde André Príncipe, o director de fotografia Takashi Sugimoto e o operador de som Manuel Sá aplicam para preencher esse imaginário. Contudo tal proposta só é possível quem ler a sinopse de promoção deste documentário, sem noção como tal.

 

campodeflamingos_01.jpg

 

Em Campo de Flamingos Sem Flamingos (até no titulo nos demonstra uma alusão metafórica desperdiçada) vale pelas imagens recolhidas e pelos momentos em que câmara, como poucas, consegue captar, mas onde se esconde o autor no centro deste ensaio academista? O norte do espectador é abalado pela incapacidade de orientação de André Príncipe na sua narrativa visual, é no seu termo uma exposição de imagens sem um sentido cronológico nem objectivos definidos, quase como um álbum de fotografias que não queremos ver mas que o autor insiste em demonstrar. Pois bem, o desperdício é sentido em contacto com a angariação de material visual interessante, não apenas para o olhar, nas mesmo na linguagem cinematográficas, entre elas a alusão divina de um "Deus sob as formigas". De resto é mostrar o que se quer mostrar, sem nada a assinalar.

 

Ycronicavascoc3col.jpg

 

O vangloriar de imagens, o fascínio pela natureza estética que contrapõe com o retrato profundo do país que supostamente Príncipe quer expor. No final, após uma mudança drástica de registo, sentimos que o realizador brincou demasiado com uma câmara sem saber ao exacto o que filmar, e o pior é que como espectador a frustração de uma trabalho mal executado é evidente. Príncipe ficou a meio da sua missão, e o pior é que não obteve a coragem para reconhecer tal falhado acto.

 

campo.jpg

 

E como grande parte dos novatos do cinema português de autor, ficamos às "aranhas" em mais uma masturbação ao clube que estas novas "promessas" querem a todo o custo integrar, sem com isso aprender com as suas experiências, erros e ensaios. Uma proposta indulgente.

 

Real.: André Príncipe

 

343923.jpg-c_640_360_x-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

3/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 22:08
link do post | comentar | partilhar

kill-me-three-times.jpg

 

Uma das estrelas da apelidada Trilogia do Cornetto de Edgar Wright (o qual integram os filmes Shaun of Dead, Hot Fuzz e At World's End), Simon Pegg, protagoniza esta comédia de crime australiana - Kill Me Three Times. O actor será um assassino contratado para um serviço nas terras dos "aussies", mais precisamente na cidade Eagle's Nest. O realizador Kriv Stenders (Red Dog, Boxing Days) promete aqui um "conto" de chantagem, vingança e muito humor negro (glallows humour). Alice Braga, Teresa Palmer, Luke Hemsworth, Bryan Brown e Sullivan Stapleton completam o elenco deste filme que estreia em território norte-americano no dia 31 de Dezembro.

 

 

Acompanha-nos no Facebook, aqui, e no Twitter, aqui.


publicado por Hugo Gomes às 19:46
link do post | comentar | partilhar

labour-of-love.jpg

O amor é paciente!

 

Antes de começara a falar da primeira obra do cineasta indiano Aditya Vikra Sengupta, devo salientar que tal premissa já havia sido feito em 1985, sob o teor quase fabulista e rígida ao fantástico. Refiro ao filme de Richard Donner, Ladyhawke, em que dois seres apaixonados encontram-se condenados a alimentar-se exaustivamente dos instantes que dispõem, ou seja, ele, cuja maldição o converte num lobo durante a noite e ela, em que se torna falcão durante o dia. O único momento em que podem permanecer juntos sem formas animalescas pelo meio é em escassos minutos que acompanham o pôr-do-sol. Porém esses referidos minutos soam de forma divinal a este singular casal.

 

labour-of-love-003-still-through-bars.jpg

 

Em Labour of Love, a maldição é outra, porém o conceito é praticamente o mesmo. Este é um retrato de dois apaixonados que permanecem apenas na ausência, em causa está a situação precária que vivem, a industrialização de uma Índia que motiva os seres humanos a converterem-se em escravos operários. Esse cenário, ora globalizado, ora austero, faz com que o nosso casal "maravilha" obtenham turnos intercalados, rotinas implementadas, onde só um pequeno tempo de transição torna possível o reencontro, um cenário paradisíaco que o autor não poupa em abordar visualmente, caindo provavelmente no ridículo contraste, a lamechice que nada tem comum com a ideia incutida desde então.

 

3199_gl.jpg

 

Se Aditya Vikra Sengupta demonstra possuir uma hábil visão por detrás da câmara, o talento deste é inegável, fraqueja na sua decisão argumentativa. É que por entre um registo docuficcional e por vezes desmembrado do neo-realismo, Labour of Love entra em constante looping, uma premissa sustentável a uma curta-metragem que prolonga, diria antes, arrasta por mais de 90 minutos de duração. Visto que a sua realidade autenticamente formal, sem diálogos saídos dos seus personagens, funciona como um exercício cansativo que orquestra toda uma sinfonia para o seu final, esse, como já havia sido mencionado, desenquadrado à moldura "fabricada" pelo muito talentoso Sengupta (também ele director de fotografia). Porém, este é um daqueles casos em que o talento do cineasta não faz um filme, nem sequer a ideia, mas sim a execução de todo este conjunto.

 

Filme visualizado no Lisbon & Estoril Film Festival 2014

 

Real.: Aditya Vikram Sengupta / Int.: Ritwick Chakraborty, Basabdutta Chatterjee

 

laboroflove.jpg

 

5/10
tags: ,

publicado por Hugo Gomes às 14:03
link do post | comentar | partilhar


sobre mim
pesquisar
 
arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


recentemente

Críticos de Nevada elegem...

Dois novos posters de Inh...

Primeira imagem de Crimso...

CCOP: Novembro 2014

Crime de Carlos Castro co...

Novo trailer de American ...

Reboot de Pirates of the ...

Estreia amanhã: O fim de ...

O Sangue (1989)

Ida vence prémio do Parla...

últ. comentários
Esse tipo de filme não é pra qualquer um. Vai assi...
Gosto tanto tanto do Porta dos Fundos. Não vou per...
Hi, it´s a good movie, in case you want to watch i...
Talvez seja um pouco demais criticar um trailer de...
Estava com saudades das piadas sobre Star Wars pel...
Takes
10/10 - Magnífico
9/10 - Imprescindível
8/10 - Bom
7/10 - Interessante
6/10 - Razoável
5/10 - Medíocre
4/10 - Muito Fraco
3/10 - Mau
2/10 - Péssimo
1/10 - De Fugir
0/10 - Nulidade
stats counter
HTML Hit Counter
counter
links
mais comentados
nombloind.jpg
subscrever feeds
blogs SAPO